Mapeamento de Endometriose: o que é e como é feito?

Atualmente, o melhor exame para o diagnóstico da endometriose profunda é o chamado Ultrassom Transvaginal de Mapeamento de Endometriose. Para o Mapeamento da Endometriose, são realizados exames de ecografia transvaginal na região pélvica e no aparelho urinário, assim como a análise do fluxo ovariano com Doppler.

Para tirar suas dúvidas, neste artigo vamos explicar como ele é feito, suas vantagens e recomendações. 

Quem deve fazer o Mapeamento de Endometriose?

Quando há suspeita, o médico responsável normalmente solicita o exame de Ultrassonografia Transvaginal de Mapeamento de Endometriose para um diagnóstico inicial. Em geral, os pacientes que devem realizar o exame se encaixam nos principais sintomas do problema e seus possíveis desdobramentos, como:

  • Cólica menstrual intensa;
  • Dor pélvica crônica;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Infertilidade causada tanto por aderência quanto por fatores imunológicos;
  • Dor ao urinar, sangue na urina ou obstrução urinária, na Endometriose do trato urinário;
  • Dor e distensão abdominal, diarreia ou prisão de ventre, náuseas e vômitos, na Endometriose intestinal;
  • Fluxo menstrual intenso, com coágulos e cólicas na Endometriose de Parede uterina (adenomiose).

Leia também:

Check-up anual: coloque seus exames em dia

Como é feito o exame de Mapeamento de Endometriose?

O exame é realizado com o mesmo aparelho de uma ultrassonografia comum. No entanto, seu preparo envolve a limpeza de intestino e a distensão da vagina com gel,  para que qualquer lesão presente na região seja identificada com precisão.

O exame é feito com uma sonda transvaginal – instrumento fino com a espessura de um polegar – que é gentilmente inserida na vagina para a análise das estruturas pélvicas. 

No exame, o médico irá analisar cuidadosamente todas as estruturas que podem ser afetadas pela endometriose, inclusive o intestino. Por isso, é necessário que a paciente faça uma preparação intestinal antes do exame, já que fezes e gases podem atrapalhar a captação de imagens pelo ultrassom. 

A preparação intestinal para o exame transvaginal é simples: geralmente recomenda-se o uso de um laxante leve na noite anterior ao exame e um enema (medicamente para lavagem intestinal) uma hora antes. 

O médico também insere uma sonda fina na vagina, para distendê-la com gel , e facilitar a identificação de focos de endometriose vaginal, um procedimento muito simples e indolor.

Ressalta-se que o exame faz parte de um avanço médico no diagnóstico, sendo que nem todo profissional é capaz de realizá-lo e de interpretá-lo. Busque uma clínica com experiência no procedimento para obter segurança com o resultado.

Entenda como é feita a ecografia transvaginal para pesquisa de endometriose

Exames ginecológicos: conheça os principais

Exame Mapeamento de Endometriose dói?

Apesar de poder causar algum incômodo, normalmente o exame não dói. São tomadas todas as precauções possíveis para não causar dor à paciente: a sonda é revestida de lubrificante antes de ser inserida na vagina e o responsável pelo manuseio deve ser um profissional treinado para isso. 

Além disso, a paciente deve ser orientada a informar os responsáveis durante o exame caso sinta dor.

Qual profissional faz o exame?

Por ser um exame diagnóstico muito importante que exige olhos treinados para identificar pequenas alterações de imagem, o Ultrassom Transvaginal de Mapeamento de Endometriose deve ser realizado por um médico especializado (ginecologista ou radiologista, nesse tipo de exame).

Como a endometriose pode se estender além de sua estrutura de origem, podendo afetar diferentes órgãos, o médico que realiza o exame de ultrassom para diagnóstico da endometriose deve ser capaz de analisar, com um olhar clínico, todas as estruturas possíveis nas quais a lesão pode se manifestar. 

Portanto, antes de marcar seu exame, escolha uma clínica com profissionais experientes e de confiança. Eles serão essenciais para que seus exames, diagnóstico e tratamentos ocorram da melhor maneira possível. 

Onde fazer Mapeamento de Endometriose em Brasília (DF)?

Se você mora em Brasília (DF) ou no entorno, a Clínica Viver de Imagens Médicas está disponível para realizar o seu Mapeamento de Endometriose com a qualidade que merece, profissionais preparados, estrutura adequada e equipamentos modernos.

Aqui, nós garantimos um diagnóstico seguro e prezamos pela agilidade na entrega de resultados.

Conheça mais sobre a Clínica Viver.

Nossas unidades estão localizadas na Asa Sul e em Taguatinga. Agende aqui a sua Ultrassom Transvaginal para Mapeamento de Endometriose na unidade de sua preferência!

Ainda em dúvida se a Viver é a melhor clínica para realizar o seu exame? Confira aqui 6 vantagens de agendar seu exame na Clínica Viver.

Dúvidas frequentes

É possível fazer Ultrassom menstruada?

Sim, não há contraindicação em fazer a ultrassonografia transvaginal menstruada. A menstruação não interfere nos resultados do exame. Caso a paciente deseje realizar o exame nesse período, é recomendado apenas remover o absorvente interno, se estiver utilizando.

Porém, em geral, aconselha-se a mulher a não realizar a ultrassom transvaginal durante o ciclo menstrual, já que muitas pacientes podem se sentir desconfortáveis com o sangramento durante a realização do exame.

Quanto tempo dura o exame Mapeamento de Endometriose?

Em média, o mapeamento da endometriose leva cerca de 1 hora para ser realizado. Porém, o tempo de duração do exame também pode variar de acordo com indicação e orientação médicas.

É necessário jejum para fazer a Ultrassom Transvaginal para Mapeamento de Endometriose?

Sim, é necessário jejum mínimo de 4 horas. Está liberada a ingestão de líquidos durante esse período.

Para saber mais sobre o preparo do exame, acesse aqui a nossa página sobre a Ultrassonografia Transvaginal para Mapeamento de Endometriose.

Mapeamento de Endometriose

Resumo

Neste artigo, para esclarecer as principais questões sobre o exame de Mapeamento de Endometriose, abordamos os seguintes conceitos:

  • Em geral, o exame é indicado para pacientes que estão apresentando os principais sintomas de Endometriose, a fim de diagnosticar com maior precisão a doença e seu estágio.
  • O exame é realizado com um aparelho de ultrassonografia comum, sendo necessária uma preparação intestinal antes do exame.
  • O Mapeamento de Endometriose não dói.
  • É recomendado que o exame seja realizado por um médico especializado.

Possui mais alguma dúvida? Coloque nos comentários deste artigo!

Saiba mais sobre a Endometriose

A endometriose é um distúrbio no qual o tecido do útero, chamado de endométrio, passa a crescer fora do útero; podendo se desenvolver dentro e ao redor dos ovários, na vagina, nos ligamentos atrás do útero, na bexiga, no reto,  intestino e até nos pulmões. 

Por afetar o sistema reprodutor feminino, a endometriose é uma das principais causas de infertilidade entre as mulheres. Além disso, pode causar dores pélvicas crônicas. 

Ultrassonografia: o que é e para que serve o exame

A ultrassonografia – ecografia, ou ultrassom –  é um exame de imagem simples, indolor e que é realizado com o objetivo de observar órgãos e tecidos do nosso corpo em tempo real. 

Quer saber mais sobre como ela é feita, em quais casos é indicada e quais os principais tipos que existem? Então, acompanhe o artigo!

Para que serve uma ultrassonografia?

É comum que os médicos façam a requisição do exame para as seguintes finalidades:

  • Identificar a gravidez e acompanhar o desenvolvimento do feto;
  • Descobrir o gênero da criança;
  • Investigar dores;
  • Avaliar a saúde dos órgãos, em geral;
  • Visualizar demais estruturas do corpo humano.

Como é realizada a ultrassonografia?

A ultrassonografia pode ser realizada em clínicas, laboratórios ou hospitais. O procedimento funciona da seguinte forma: o paciente se deita em uma maca e, após isso, o médico aplica uma camada de gel na região do seu corpo que será analisada. Em seguida, faz-se o uso de um aparelho chamado transdutor, que é deslizado em cima da camada de gel. Esse dispositivo forma as imagens que o médico vai avaliar. 

Como é realizada a ultrassonografia?

Quando o exame acaba, o gel é removido com a ajuda de um papel toalha e o paciente é liberado para ir para a casa. É importante ressaltar que a ultrassonografia é indolor e não causa qualquer tipo de desconforto ou efeito colateral. 

O resultado do exame, em geral, fica pronto na hora. Normalmente, os planos de saúde cobrem esse procedimento e ele também é realizado pelo SUS

Veja também: Sintomas e como prevenir a gordura no fígado!

Principais tipos de ultrassonografia

Sim! Dependendo do quadro clínico, ou das queixas do paciente em questão, o médico pode solicitar diferentes tipos de ecografia, a fim de analisar uma região específica do corpo e, por meio do exame, chegar a um diagnóstico. Conheça os principais a seguir.

1. Ultrassonografia morfológica

A ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre deve ser realizada quando o bebê se encontra entre 11 semanas à  13 semanas e 6 dias. É um exame muito importante para se avaliar os marcadores de anomalias cromossômicas, sendo a medida da prega nucal ou translucência nucal o mais conhecido.  Quando a prega nucal está aumentada, a chance do bebê ter Síndrome de Down aumenta, por exemplo. 

A ultrassonografia morfológica do segundo trimestre deve ser realizada  quando a gestação está entre 20 e 24 semanas. O objetivo é avaliar em detalhes todos os órgãos fetais, para se afastar a presença de malformações, como: problemas cardíacos, renais, pé torto , alterações cerebrais, e na coluna vertebral. 

2. Ultrassonografia da mama 

A ultrassonografia da mama é um dos exames utilizados na prevenção do câncer de mama, visto que o objetivo dela é identificar a presença de nódulos na região. 

É um exame que pode ser realizado em qualquer idade, e indicado principalmente em pacientes abaixo de 40 anos , já que estas pacientes tem a mama mais densa, ou seja , tem mais glândulas e menos gordura, o que facilita o exame.  

Através da ultrassonografia mamária podemos diferenciar os nódulos sólidos ( de massa) daqueles císticos ( de água) . A grande maioria dos nódulos líquidos é benigna. A maior parte dos nódulos sólidos em mulheres jovens também é benigna, e a ultrassonografia pode demonstrar com grande precisão  a natureza benigna ou maligna dos nódulos, e se for o caso, guiar a biópsia. 

3. Ultrassonografia pélvica

O objetivo desse exame é avaliar a saúde de estruturas do sistema reprodutor feminino – útero, ovários e bexiga –, ou do masculino, próstata,  vesículas seminais e bexiga.

Em algumas ocasiões, estes órgãos podem ser avaliados também via endorretal, para o caso dos homens, ou transvaginal, para o caso das mulheres. Quando a ecografia se dá desta forma, é inserida uma sonda pelo ânus do homem ou pela vagina da mulher. 

Existe um exame específico para se diagnosticar a endometriose, que é a ecografia transvaginal para mapeamento de endometriose,  que exige um preparo adequado e um tempo maior para ser realizado.

Leia também:

Mapeamento de Endometriose: o melhor exame para o diagnóstico

4. Ultrassonografia do abdome

Serve para avaliar os órgãos abdominais, sendo possível diagnosticar várias patologias, como  gordura no fígado, cálculos ( pedras ) nos rins, cálculos na vesícula , apendicite e tumores . 

5. Ultrassonografia com dopplerfluxometria 

É um exame que avalia o fluxo de sangue nos vasos sanguíneos.  

É indicado no caso de varizes de membros inferiores, na suspeita de trombose ,  para se verificar a presença de placas de gordura na parede de artérias que vão do pescoço ao cérebro,  na cirrose hepática, e na avaliação de nódulos, como por exemplo na tireoide. 

6. Ultrassonografia Transvaginal

O tipo de Ultrassonografia chamado Transvaginal é um dos mais comuns e tem como principal objetivo captar imagens dos órgãos internos como útero, trompas, ovários e colo do útero.

O ultrassom e a análise das imagens captadas permitem identificar diferentes problemas na região observada da mulher como presença de cistos, infecções, câncer ou até mesmo confirmar gravidez.

7. Ultrassonografia obstétrica

A Ultrassonografia Obstétrica utiliza ondas sonoras para criar imagens do bebê (embrião ou feto) no interior do útero da mulher, assim como imagens do próprio útero e ovários da mãe. Esse exame não usa nenhum tipo de radiação ionizante, não possui qualquer efeito colateral, e é o método preferencial para se analisar mulheres grávidas, seja para saber o sexo, avaliar a saúde do feto ou até mesmo captar imagens em 3D.

Ultrassonografia obstétrica

Nem todas as análises são obtidas nas primeiras semanas de gravidez, então é bastante comum que seja necessário fazer fazer mais de uma Ultrassonografia Obstétrica durante a gestação.

O exame de Ultrassonografia Obstétrica que permite:

  • Confirmar e estimar quantos dias de fecundação;
  • Diagnosticar anormalidades
  • Avaliar a posição do feto;
  • Analisar a placenta;
  • Analisar o fluido amniótico
  • Acompanhar o desenvolvimento do futuro bebê

Trata-se de um exame bastante simples, seguro e indolor que não precisa de grandes preparações para o procedimento.

Devo fazer com alguma periodicidade ultrassonografia? 

O ultrassom deve ser feito de acordo com as requisições médicas. Dessa forma, não há nenhuma periodicidade exata que deva ser seguida. 

Ainda assim, mulheres que estão fazendo acompanhamento pré-natal, normalmente, são submetidas ao ultrassom com uma certa frequência: cerca de 5 vezes durante os 9 meses de gestação. 

Devo fazer com alguma periodicidade ultrassonografia? 

Quando é contraindicada a ultrassonografia? 

A ultrassonografia é um procedimento extremamente simples e seguro que usa ondas sonoras de baixa potência para produzir imagens visuais, o que significa que não há riscos conhecidos à saúde e nem existem contraindicações relacionados com a realização do ultrassom.

O exame de ultrassom não usa radiação ionizante, nem agentes de contraste nefrotóxicos bastante usados em outros tipos de exames que são levemente prejudiciais à saúde do nosso organismo.

Nas ultrassonografias, as ondas sonoras são transmitidas para a região que se deseja examinar e os ecos que voltam são então captados, oferecendo imagens em tempo real da região para análise do médico.

A Clínica Viver realiza exames de ultrassonografia. Para agendar um, ou conhecer outros exames que realizamos, clique aqui! 

Confira também os convênios que atendemos. 

cta clinica viver agende seu exame
Agende seus exames na Clínica Viver de Imagens Médicas!

Exames Check up feminino para mulheres aos 40 anos: quais realizar?

Afinal, quais exames check up feminino devem ser realizados pela mulheres de meia idade?

A partir dos 40 anos, o corpo da mulher começa a passar por transformações significativas que podem comprometer a saúde e favorecer o desenvolvimento de algumas doenças. 

Como método preventivo, recomenda-se a realização de exames anuais para aferir o estado de saúde geral da paciente. Esse check up — uma recomendação médica para todas as idades —, a partir desta faixa etária, merece um comprometimento ainda mais apurado por parte delas. 

Portanto, se você é mulher e tem entre 40 e 49 anos, este artigo é para você! Aqui vamos te mostrar quais procedimentos devem ser realizados para colocar a sua saúde em dia.

Exames Check up feminino: Quais são aconselhados?

Exames de Check up regulares podem ajudar a encontrar problemas antes que comecem. Eles também ajudam a encontrar problemas precocemente, quando as chances de tratamento e cura são muito melhores.

Como mulher, você precisa de alguns exames especiais.

Sendo assim, durante o check-up feminino, seu médico geralmente irá solicitar os seguintes exames:

  • Mamografia;
  • Exames pélvicos e transvaginais;
  • Exame de glicemia;
  • Exame de colesterol e triglicerídeos;
  • Ultrassom de tireoide e abdômen;
  • Oftalmologista;
  • Densitometria Óssea.

Mamografia

A mamografia é o principal exame de rastreamento usado para identificar o câncer de mama. É extremamente importante porque permite a geração de imagens detalhadas e da mais alta qualidade para a análise médica, identificando nódulos a partir de 2 milímetros de diâmetro.

Como o câncer de mama é mais recorrente em mulheres a partir dos 40 anos, a recomendação médica — incluindo o Ministério da Saúde — é que a mamografia seja realizada anualmente por elas (em caso de histórico familiar do câncer de mama, a partir dos 35 anos).  Definitivamente dentre todos os exames Check up feminino, mamografia não pode ficar de fora.

Conheça as vantagens de realizar a sua mamografia na Clínica Viver.

Exames pélvicos e transvaginais

Os exames pélvicos e transvaginais, embora também sejam altamente recomendados para todas as mulheres antes dos 40, devem ser mantidos no check-up geral anual. Esses são indispensáveis por diagnosticar com precisão possíveis doenças, como um câncer nos ovários, mais comuns com o avançar da idade da mulher. 

A Ecografia transvaginal, por exemplo, analisa o útero e ovários de maneira precisa, sendo o principal método para diagnóstico de miomas e cistos no ovário.

Já o exame de Papanicolau é um método preventivo que analisa células colhidas do colo do útero para identificar se há a presença de câncer ou processos inflamatórios na região. 

Leia também: Pólipo no Útero: o que é, sintomas e como tratar

Exame de glicemia

Não subestime o tradicional exame de sangue, trata-se de um dos principais exames Check up feminino. Embora o exame de glicemia não seja novidade, mulheres com 40 anos ou mais costumam ter maior propensão a diabetes

Esse exame averigua a quantidade de açúcar no sangue e, a partir do resultado, identifica se o paciente se encontra em um quadro de pré-diabetes, por exemplo. O procedimento é recomendado tanto para diagnóstico como para acompanhamento e monitoramento da doença. 

Exame colesterol e triglicerídeos

Ainda dentro da categoria de exames de sangue, a partir dos 40 anos é importantíssimo checar anualmente as taxas de colesterol e triglicerídeos. Esses índices são fundamentais para você se prevenir contra infarto e outras doenças cardiovasculares.  

Ultrassom de tireoide e abdômen

O ultrassom da tireoide e o ultrassom do abdômen servem para identificar nódulos na glândula tireoide e alterações nos órgãos abdominais, respectivamente.  Sabe-se que doenças na tireoide e pedras na vesícula são mais comuns em mulheres do que em homens e costumam se manifestar mais após os 40 anos de idade, sendo importante um acompanhamento médico.

Check-up feminino com oftalmologista 

Especialmente a partir dos 40 anos, é recomendado se atentar aos sintomas da vista cansada e a doenças mais sérias, como o glaucoma, que têm mais tendências a se manifestarem a partir dessa idade.  

Densitometria Óssea

A densitometria óssea é um importante exame que mede a densidade dos ossos da paciente, sendo analisados, geralmente, o fêmur, a coluna e punho. É o exame mais indicado para o diagnóstico da osteoporose, doença que causa diminuição da densidade óssea, o que torna os ossos mais frágeis, finos e sujeitos a fraturas. A densitometria deve ser feita ao menos uma vez por ano como exame de check-up.

A sua realização é indicada especialmente para mulheres que já passaram pela menopausa, o que geralmente acontece a partir dos 40 anos. Por causa desse processo natural, há uma queda na produção do estrogênio – hormônio que tem como função, dentre outras coisas, proteger os ossos. Com isso, os ossos da mulher se tornam mais frágeis e propensos à osteoporose.   

Concluindo

Manter-se saudável não é difícil, mas requer um certo esforço e vigilância. Uma parte desse esforço é estar com exames e check ups em dia, que são usados para detectar potenciais problemas de saúde quando ainda podem ser tratados.

Os exames que você precisa mudam conforme você envelhece. Depois de iniciar um tratamento ou exame, muitas vezes acontece de que ele seja necessário periodicamente pelo resto de sua vida. Por isso, não negligencie.

 Essas são apenas algumas orientações básicas dos principais exames solicitados em uma consulta médica. Para colocar seus exames Check up feminino em dia, consulte-se com um ginecologista. A partir de uma análise clínica, o médico irá indicar todos os exames importantes para a sua saúde

Caso já tenha um pedido médico de exames em mãos, conte com a Clínica Viver para o seu diagnóstico. Clique aqui para agendar seus exames de imagem conosco!

5 cuidados básicos para a saúde da mulher

Além de seguir as recomendações básicas sobre alimentação e exercícios físicos, para se manter saudável você precisa estar atenta às mudanças do seu corpo. 

 Cuidar da saúde é, em grande parte, uma questão de hábito. Com cuidados básicos você pode prevenir doenças, ter mais disposição para lidar com a sua rotina e, até mesmo, envelhecer com mais disposição. Acompanhe!

1. Alimentação Saudável

A alimentação saudável é um dos pilares para a saúde de qualquer mulher. Embora seja uma recomendação “clichê”, ter uma alimentação saudável pode ser um grande desafio para as mulheres modernas, devido à jornada dupla. 

Por estarem sempre atarefadas com afazeres no trabalho e em casa, a tentação de optar por uma solução fácil na hora da alimentação, como fast-foods e pratos instantâneos, pode falar mais alto. 

Para evitar que isso aconteça e prejudique a sua saúde, planeje suas refeições semanalmente. Se você tiver um planejamento de alimentação, com alimentos saudáveis em todas as refeições, será difícil cair na tentação dos alimentos instantâneos e junk food. Você pode tirar um dia de domingo, por exemplo, e preparar uma variedade de pratos para levar ao longo da semana para o trabalho. Congele tudo e faça as suas marmitas! 

E, claro, consulte um nutricionista ou endocrinologista periodicamente para seguir com uma dieta alinhada com as necessidades do seu corpo e com o desempenho do seu metabolismo.

2. Exercícios Físicos

Assim como na alimentação saudável, a atividade física é mais um cuidado básico de saúde que acaba sendo ignorado quando a rotina fica mais apertada. 

“Não tenho tempo”, “minha rotina é muito cansativa”… Esses são os principais argumentos utilizados. No entanto, lembre-se: ao inserir atividades físicas como um hábito em sua rotina, seu corpo produzirá mais serotonina e endorfina, neurotransmissores que contribuem com a sensação de bem-estar, reduzindo o estresse e a ansiedade. 

Além disso, tais estímulos influenciam positivamente na memória e na capacidade de raciocínio, mantendo o corpo com mais disposição. 

Portanto, quanto mais atribulado for o seu dia a dia, mais necessário será contar com essa liberação de energia para preservar, não só a sua saúde física, como a sua saúde mental.

 Mesmo com a dificuldade de tempo, é possível fazer pelo menos 30 minutos de exercícios todos os dias, ou pelo menos 5 vezes por semana. Você pode se exercitar em casa, na academia ou na rua. O importante é não ficar parada!

Leia também:

Como avaliar sua massa magra para o verão?

3. Saúde Mental

Não basta só cuidar do corpo com alimentação saudável e exercícios. Para uma vida equilibrada, é fundamental estar atenta à sua saúde mental. 

Doenças psiquiátricas como a depressão e ansiedade são cada vez mais comuns entre mulheres jovens. Isso porque, além do estresse normal da rotina, fatores biológicos como a flutuação hormonal durante o ciclo menstrual podem contribuir para o surgimento desses distúrbios. 

Por isso, é muito importante respeitar os ciclos do seu corpo e conhecer seus limites. Não espere uma crise de ansiedade ou depressão para só então procurar ajuda. Se você sente que está constantemente estressada, ansiosa, tem dificuldades para dormir e falta energia para desempenhar as tarefas do dia a dia, procure um psicólogo para conversar. Isso pode lhe poupar de problemas maiores no futuro. 

Lembre-se de adotar as melhores práticas para se manter bem: faça terapia, se possível, procure atividades que te ajudem a focar no momento presente — como a meditação —, e, claro, separe um tempo para se divertir. O mais importante é não negligenciar esses cuidados e ter sempre momentos dedicados para você mesma e para fazer atividades que te dão prazer.

4. Saúde Sexual

Manter uma uma vida sexual ativa com saúde e equilíbrio faz parte dos cuidados básicos da mulher. Afinal, a prática também contribui para a liberação de endorfinas que atuam no sistema nervoso para diminuir a sensibilidade à dor, relaxar a musculatura, diminuir o estresse e melhorar o humor.  

É possível que algumas mulheres apresentem problemas em relação à sexualidade que as impeçam de desfrutar os benefícios de uma vida sexual saudável. Distúrbios como falta de desejo sexual, dor durante a relação sexual ou incapacidade de chegar ao orgasmo podem e devem ser tratados. Para isso, procure um ginecologista de sua confiança. Ele saberá te orientar quanto ao tratamento adequado. 

E, claro, previna-se contra IST (infecções sexualmente transmissíveis) em todas as relações, conheça os métodos contraceptivos disponíveis e invista em conhecer cada dia mais o próprio corpo. 

Leia também:

Exames ginecológicos: conheça os principais

5. Consulte-se com um ginecologista periodicamente

Mesmo seguindo todos os cuidados com alimentação, exercícios físicos, saúde mental e física, existem outros fatores que não podemos controlar. Nesse sentido, recomenda-se a toda mulher consultar-se anualmente com o ginecologista.

As consultas periódicas são importantes por serem também um método preventivo. Os médicos responsáveis geralmente solicitam exames de check-up para avaliar seu estado geral de saúde. Tipos como densitometria óssea e ultrassom transvaginal são bons exemplos de exames preventivos indicados para o check-up da mulher. Além disso, exames para prevenção de câncer de mama estão, também, dentre os mais solicitados em um check-up. 

Esses são os 5 cuidados básicos com a saúde que toda mulher deve ter para manter sua qualidade de vida e bem-estar. Mantenha em equilíbrio esses 5 aspectos da sua saúde e temos certeza que você se tornará uma mulher ainda mais forte e cheia de energia para lidar com as tarefas do dia a dia.

Na Clínica Viver temos diversos pacotes de exames para acompanhar a saúde da mulher e te ajudar a ser a melhor versão de si mesma.

Você também pode agendar sua consulta na Viver online, basta clicar AQUI