4 exames para detectar o câncer de mama

De acordo com o Inca, o câncer de mama é um dos cânceres mais comuns entre mulheres do Brasil. Tendo esse dado como perspectiva, é importante que as mulheres procurem por acompanhamento médico, realizando o check up anualmente para um diagnóstico precoce.

Dentre os exames que podem ser realizados para detectar o câncer de mama, estão: exame de sangue, mamografia, ultrassonografia mamária, ressonância magnética e autoexame das mamas. Entenda melhor sobre cada um deles a seguir!

Exame de Mamografia

Exame de Mamografia

A mamografia é um exame muito importante para as mulheres, pois é capaz de detectar tumores nas mamas precocemente, além de outras alterações, como calcificações e lesões. 

Geralmente é recomendada após os 40 anos, ou depois dos 35 anos no caso de mulheres e homens que possuam histórico de câncer de mama na família. Além disso, pessoas com sintomas de tumores nas mamas devem realizar o exame o mais breve possível.

Ela é realizada por meio de um aparelho chamado mamógrafo. Com a pessoa posicionada em pé, de frente para o aparelho, duas chapas compressoras examinarão as mamas, vertical e horizontalmente.

Em média, o exame leva de 5 a 10 minutos para ser realizado e pode causar desconforto. Entretanto, os preparos para ele são simples. A recomendação básica é não usar produtos como desodorantes ou cremes nas axilas (pois pode interferir no resultado do exame) e realizar o exame fora do período menstrual (pois as mamas costumam estar mais sensíveis nesse período, o que deixaria o exame mais doloroso).

Mamografia: tire suas dúvidas sobre o exame

Exame de Ultrassonografia mamária

Exame de Ultrassonografia mamária

A ultrassonografia mamária é um exame preventivo, recomendado para o check up de mulheres abaixo de 40 anos. Apesar de não substituir a mamografia, o exame também consegue detectar diversas alterações mamárias, que podem indicar o câncer de mama

É realizada por meio de ondas sonoras de alta frequência, que transformam-se em imagens da estrutura interna da mama. 

Além disso, o exame é indolor e, no máximo, gera um pequeno desconforto.

Como é feito o exame de ultrassom de mama? 

Para realizar o exame, não é preciso um pré-requisito, ou seja, algum sintoma de problema. O ultrassom de mama pode ser um exame de rotina na vida de uma mulher com mais de 40 anos. 

Preparo 

Não há um preparo para realizar o exame, mas existe uma recomendação para as mulheres realizarem o exame de ultrassom após o período menstrual, sendo que nesse período a sensibilidade nos seios aumenta e o exame pode causar um incômodo grande. 

Orientações finais

O tempo de duração do ultrassom da mama pode variar entre 10 a 15 minutos.

Exame de Ressonância magnética

A ressonância magnética é um método de rastreamento indicado, de modo geral, para pacientes com alto risco. Além disso, serve também como exame complementar após a descoberta do câncer de mama, para detectar a possível existência de outros tumores e para dar uma dimensão mais exata da área atingida pelo câncer.

Com duração média de 20 minutos, o exame de imagem é realizado em uma máquina grande que gera imagens de alta definição da parte interna do corpo.

Exame de Autoexame das mamas

Exame de Autoexame das mamas

O autoexame das mamas é um dos exames mais simples para ser realizado, mas também muito eficaz. Por isso é importante que todas as mulheres, após a puberdade, realizem o autoexame da mama pelo menos uma vez por mês.

A grande vantagem do autoexame da mama é o fato de que a mulher pode realizá-lo sozinha, sem usar aparelho algum. Assim, é mais fácil fazer um acompanhamento mais frequente e observar possíveis mudanças na estrutura das mamas.

Existem três formas de realizá-lo:

  1. Em frente ao espelho: é a forma mais prática de observar mudanças visuais, como alterações nos mamilos ou no formato das mamas;
  2. Deitada: com os braços por trás da cabeça, o ideal é que a mulher apalpe as mamas em movimentos circulares e, depois, lineares em direção aos mamilos. O objetivo é tentar observar algum nódulo;
  3. Em pé: no autoexame em pé, o objetivo é também encontrar alguma alteração como a aparição de nódulos. Assim como no anterior, é importante que a mulher apalpe os seios em movimentos circulares e lineares. Além disso, é necessário pressionar os mamilos e observar o possível surgimento de alguma secreção.

Ao realizar o autoexame, saiba que as secreções mais importantes pelo mamilo são as do tipo transparente, como água, ou sanguinolentas, que saem espontaneamente,  sem apertar o bico do seio. É necessário destacar também que, apesar de muito importante, o autoexame da mama não substitui os exames médicos. Por isso, atente-se ao check up anual. 

Caso você observe qualquer tipo de alteração no autoexame, procure o médico mastologista de sua confiança.

Exame de Sangue

O exame de sangue pode diagnosticar o câncer de mama através da identificação na concentração de proteínas  como CA 125, CA 19,9, CEA, MCA, AFP, CA 27.29 e ou CA 15.3 no sangue. Normalmente é o marcador mais solicitado pelo médico. 

———————————————————–

Na Clínica viver, possuímos pacotes de exames ideais para o momento de vida de cada pessoa. Assim é possível acompanhar a sua saúde de perto.

Quer saber mais sobre? Clique aqui.

Para agendar um exame de imagem conosco, clique aqui e agende agora mesmo!

cta clinica viver agende seu exame
Agende seus exames na Clínica Viver de Imagens Médicas!

Ultrassonografia transvaginal: saiba como funciona o exame

A Ultrassonografia transvaginal é um exame de diagnóstico comumente solicitado pelos ginecologistas, uma vez que é indolor e gera resultados preciosos sobre a região uterina da mulher. 

Então, se você é mulher e tem por hábito cuidar da sua saúde preventivamente, certamente irá realizar o procedimento várias vezes ao longo da vida. Nesse sentido, acompanhe o artigo e tire suas dúvidas sobre a ultrassonografia transvaginal

Como a Ultrassonografia transvaginal funciona?

Com o auxílio de uma sonda introduzida no canal vaginal, imagens são geradas por meio de ondas sonoras emitidas dentro do corpo da mulher. 

Toda a imagem gerada pode ser vista pelo ginecologista imediatamente em um monitor conectado ao aparelho. 

O que a Ultrassonografia transvaginal avalia?

Ele avalia, basicamente, a saúde do útero e ovários da mulher. Por meio dele podem ser detectados miomas uterinos e cistos nos ovários, sendo possível caracterizá-los como benignos ou malignos. Este exame mostra ainda a espessura do endométrio, que é a membrana que reveste o útero internamente, e cujo aspecto é muito importante na menopausa. Além disso, podem ainda ser avaliadas infecções, gravidez tubária, monitorização da ovulação e tumores.

Leia também: 

Cisto no ovário: o que é? É perigoso?

De maneira geral, as doenças na região podem ser diagnosticadas rapidamente por meio do exame, até mesmo em estágios iniciais. Ou seja, é de extrema importância a realização regular da ultrassonografia transvaginal.

Como a Ultrassonografia transvaginal é feito?

Após esvaziar a bexiga, a paciente deita-se na maca com a bata entregue pelo ginecologista. Com as pernas entreabertas, a sonda com preservativo e lubrificante é inserida na paciente. A partir da inserção, o médico poderá visualizar de maneira detalhada o colo uterino, o útero e os ovários. 

Como o exame é digital, é possível imprimir ou armazenar o resultado, podendo ser utilizado futuramente em outras possíveis avaliações.

O exame dói?

Durante o procedimento, não é comum que as mulheres sintam dores. No pior dos cenários, o exame poderá causar um pequeno desconforto, devido à sonda introduzida no canal vaginal.

Indicações do exame

Após o início da vida sexual ativa, é recomendado que toda mulher faça o transvaginal pelo menos uma vez ao ano. Isso porque o exame é capaz de diagnosticar doenças precocemente, o que pode resultar em uma probabilidade maior de cura. Além disso, o médico pode indicar o transvaginal em casos de suspeita de alguma alteração na saúde do útero, mesmo fora do período de realização de check up.

Para as mulheres grávidas o exame é recomendado durante o pré-natal. Além de ser seguro para a gestante e para o bebê, o exame auxilia no acompanhamento da saúde gestacional. Com o transvaginal é possível visualizar o desenvolvimento do feto, assim como acompanhar a saúde da placenta. Por meio do exame é possível saber, inclusive, o tempo de gravidez.

Contraindicações do exame

O exame é contraindicado para mulheres que ainda não iniciaram a vida sexual. Nesse caso, durante a visita ao ginecologista serão feitos apenas exames externos.

Importância do transvaginal para a saúde da mulher

Assim como outros exames que devem ser feitos durante o check up anual, o ultrassom transvaginal é extremamente importante para acompanhar a saúde da mulher de perto.

Verificar a saúde dos órgãos reprodutores femininos é importante para a saúde de todas as mulheres. Como o exame é capaz de fazer o relatório de imagem detalhadamente, alterações graves, como tumores, podem ser identificadas facilmente. Além disso, alterações corporais mais simples, como a origem de um corrimento, também podem ser identificadas por meio do exame. 

Para agendar a sua ultrassom transvaginal, basta clicar aqui!

Check-up feminino para mulheres de 30 anos: Exames essenciais

Se você é mulher e possui entre 30 e 39 anos, este artigo é para você. Conheça, agora, os principais exames que podem ser incluídos em seu check up anual.

Lembre-se: o check up representa a melhor forma de prevenção, especialmente para doenças assintomáticas (que não apresentam sintomas). Para realizar os exames citados aqui, consulte seu/sua ginecologista para seguir com a avaliação geral da sua saúde. 

Saiba como agendar seus exames clicando aqui!

cta clinica viver agende seu exame
Agende seus exames na Clínica Viver de Imagens Médicas!

Exames de sangue

Os exames de sangue são necessários para detectar diversas alterações no corpo. Os exames mais pedidos, geralmente, são: hemograma, glicemia de jejum, colesterol e triglicérides, hormônios tireoideanos, exames de função renal e hepática. 

Eles podem detectar anemias, infecções, reações do corpo a medicamentos e muito mais. Além disso, muitas doenças graves podem ser identificadas apenas na análise do material.

Exames de fezes e urina

Comumente pedidos, os exames de fezes e urina servem para detectar diversos desequilíbrios no organismo, desde infecções simples, até mesmo tumores. 

Para ambos, existe uma gama de variações. Cada uma delas, com um objetivo diferente. Entretanto, na maioria das vezes, o material de apenas uma coleta separada em recipientes diferentes pode ser suficiente para os diferentes exames. 

Papanicolau

O exame de Papanicolau deve fazer parte do check up desde os 25. Ele é feito por meio de uma raspagem do material do colo uterino, que coleta o material. É um procedimento rápido, indolor e causa, no máximo, um desconforto durante a raspagem. Ele detecta doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), a presença de infecções e o mais importante: o vírus HPV, uma das principais causas do câncer de colo de útero.

Apesar de simples, o exame traz resultados valiosos. O papanicolau pode detectar a presença de lesões que podem desenvolver o câncer no colo do útero* e é uma das estratégias utilizadas pelos médicos para o diagnóstico precoce da doença. 

*De acordo com o INCA, o câncer do colo do útero é o quarto tipo de câncer mais comum entre as mulheres e é responsável por 265 mil óbitos por ano ao redor do mundo.

Colposcopia

O exame geralmente é recomendado em caso de alterações no Papanicolau. Ele investiga doenças na área da vagina, da vulva e do colo uterino. 

Lesões que muitas vezes não podem ser vistas a olho nu são identificadas por meio do exame, que funciona como uma lente de aumento.

Ultrassonografia das mamas

A ultrassonografia mamária é um exame de imagem indicado para mulheres com menos de 40 anos. O exame preventivo tem como objetivo detectar alterações nas mamas.

Por meio de ondas sonoras emitidas por um aparelho, as imagens são detectadas e posteriormente projetadas, sendo possível identificar lesões e avaliá-las. 

Ultrassonografia transvaginal

O ultrassom transvaginal é um exame de imagem comumente solicitado pelos ginecologistas, por ser indolor e gerar resultados rapidamente, sem emitir radiação.

Para a realização do exame, uma sonda é inserida no canal vaginal. Por meio das ondas sonoras emitidas pelo aparelho, são geradas imagens do útero, colo uterino, ovários e trompas. O exame é muito importante para identificar alterações no sistema reprodutor feminino.

Baixe aqui infográfico envelhecer saudável

Radiografia de tórax

A radiografia de tórax utiliza taxas pequenas de radiação e é importante para detectar doenças do sistema cardiorrespiratório. Nesse caso, o exame tem resultados mais gerais, pois abrange toda a área do tórax, possibilitando uma fotografia interna do corpo humano. Por meio dele, é possível visualizar o contorno do coração, os pulmões, os ossos da caixa torácica, o diafragma, dentre outras áreas do corpo. 

Os exames podem variar de acordo com as necessidades da paciente. Consulte seu médico para mais informações.

Qual médico é preciso para fazer um check-up feminino? 

Os exames para fazer um check-up feminino, normalmente são solicitados por ginecologista. Porém, outros especialistas como Clínico Geral também pedem alguns exames de rotina.

Já possui uma lista de exames na mão para o seu check up? Clique aqui e agende agora mesmo seus exames na Clínica de Imagens Médicas Viver.

Onde realizar um bom check-up feminino em Brasília? 

Aqui, na Clínica Viver, oferecemos aos nossos pacientes os mais modernos recursos e equipamentos do mercado. Além disso, todos os exames do check-up feminino são realizados por médicos. Assim, garantimos profissionalismo e segurança durante a realização de seus exames, com a entrega de resultados no menor tempo possível.

Já possui uma lista de exames na mão para o seu check up? Clique aqui e agende agora mesmo seus exames na Clínica de Imagens Médicas Viver.

 

Mamografia: tire suas dúvidas sobre o exame

De acordo com o Inca, cerca de 60 mil novos casos de câncer de mama foram apontados apenas para 2019. Felizmente a mamografia é capaz de detectar alterações na mama precocemente, o que pode aumentar consideravelmente a chance de cura de tumores malignos. Por isso a mamografia é um exame tão importante e frequentemente solicitado pelos médicos. 

Mas afinal, quando a mamografia é indicada? Como devo me preparar para o exame? Ele dói? As dúvidas são frequentes e por isso nos preocupamos em respondê-las. Continue lendo o artigo e confira!

  • Como a mamografia é realizada?

A mamografia é realizada por meio de um aparelho chamado mamógrafo, capaz de detectar calcificações, tumores, lesões e outros tipos de alterações mamárias. Em média, o exame leva cerca de 5 a 10 minutos para ser finalizado.

Ao iniciar o exame, o paciente deve estar posicionado de pé na frente do aparelho. Logo após, a compressão das mamas será iniciada, por meio de chapas idealizadas especialmente para o exame. 

  • Para quem a mamografia é indicada?

Geralmente, a mamografia é indicada para todas as mulheres acima dos 40 anos. No caso, o exame deve ser realizado pelo menos uma vez por ano como exame de rotina. Em caso de alterações mamárias perceptíveis, ou sintomas de câncer de mama, é recomendado que a paciente busque ajuda médica com uma frequência maior.

Além disso, mulheres acima dos 70 anos devem conversar com o médico de sua confiança para consultar a periodicidade indicada para seu o caso. Muitas vezes pode ser solicitado mais de um exame anual.

Já para mulheres com histórico de câncer de mama na família — principalmente na mãe ou na avó —, a mamografia deverá ser realizada a partir dos 35 anos. 

Saiba mais:

Mamografia ou ecografia mamária? Qual o melhor exame para mim?

Homens devem fazer mamografia?

Sim! Apesar de ser um caso menos frequente, o câncer de mama também pode atingir homens e, por isso, a mamografia também deve ser realizada por eles.

Assim como no caso das mulheres, os homens com histórico na família também devem dar uma atenção especial ao assunto, realizando a mamografia com a frequência recomendada pelo seu médico, principalmente em casos de alterações mamárias visíveis. 

Como as mamas masculinas geralmente são menores e menos densas, o exame aponta resultados mais pontuais.

  • A mamografia dói?

De maneira geral, o incômodo durante a mamografia convencional é uma reclamação frequente. Apesar disso, a intensidade da dor vai depender da tolerância do paciente. 

Existe, ainda, a possibilidade de realizar o exame na versão digital que, além de doer menos, leva um tempo menor para ser realizado.

Saiba mais:

7 dicas para uma mamografia sem dor

  • Quais as diferenças entre a mamografia convencional e a digital?

A mamografia digital é uma evolução da mamografia convencional, oferecendo resultados mais precisos e com menos desconforto para as pacientes. É mais indicada, especialmente, para mulheres com as mamas maiores ou mais densas, trazendo resultados mais acentuados nesses casos. 

As principais vantagens da mamografia digital são: imagens mais nítidas, armazenamento eletrônico do resultado e menor grau de desconforto durante a realização do exame. 

Já no caso da mamografia convencional, ela também apresenta resultados importantes, principalmente no caso de mulheres que não possuem as mamas densas ou grandes. Entretanto, é mais dolorosa e pode exigir exames de complementares, além de deixar a paciente exposto à radiação por mais tempo.

  • Como me preparar para a mamografia?

  1. Não use desodorantes ou qualquer outro produto na região, pois eles podem causar alteração no resultado final do exame. Isso pode gerar a necessidade de realizar a mamografia novamente.
  2. Realize o exame fora do período menstrual. De maneira geral, as mamas ficam mais sensíveis durante a menstruação e a TPM, isso pode fazer com que o exame fique mais dolorido e desconfortável.
  3. Leve os resultados de outras mamografias feitas anteriormente. A comparação entre os exames pode ajudar o médico na detecção de alterações.

—————————————————————

Espero que as suas dúvidas tenham sido respondidas. Conheça a Clínica Viver e agende seu exame.