Mamotomia: o que é e como é feito o exame?

Mamotomia é uma modalidade de biópsia mamária com visualização por mamografia digital ou por ultrassonografia, que permite a localização precisa das lesões. 

É amplamente conhecido e divulgado que a mamografia é um dos principais exames para o diagnóstico de câncer de mama. Então, qual a função da mamotomia?

Mamomotomia e Mamografia: quais as diferenças?

A mamografia é responsável por perceber alguns problemas como:

  • Nódulos;
  • Lesões;
  • Anomalias nas mamas;

E dessa forma, não distingue se são benignos ou não.

Já a Mamotomia é responsável pelo processo de análise desses nódulos e tumores. 

O método obtém fragmentos de tecidos mamários por meio de uma agulha que funciona associada a um sistema de vácuo. O material coletado é enviado para exame anatomopatológico, que verifica a natureza das alterações.

Acompanhe o artigo para saber mais sobre o procedimento.

O que é mamotomia? 

Mamotomia é um exame ambulatorial de biópsia que, por meio da coleta de material orgânico das mamas (um pedacinho da área lesionada em questão).

A análise irá fornecer dados mais concretos e detalhados sobre a saúde das mamas avaliadas.  Pode diagnosticar tanto tumores benignos quanto um possível caso de câncer de mama. 

Por ser classificada como uma biópsia fechada, a mamotomia ao contrário da biópsia tradicional não vai necessitar de uma intervenção cirúrgica para ser realizada. 

Mamotomia: Quando a  é recomendada? 

A mamotomia é recomendada pelo médico após a observação de alguma irregularidade em exames de imagem, como a mamografia, sendo considerada, assim, a segunda etapa para um diagnóstico concreto.

É importante lembrar que a mamografia é um exame que deve ser feito anualmente por todas as mulheres acima dos 40 anos.

O diagnóstico precoce de um quadro de câncer é uma das maneiras mais eficientes de tratá-lo! Por isso, esteja em dia com seus exames de rotina.

Leia também: 

Biópsia de mama: quando é indicada? 

Mamotomia: Como é a preparação para o exame? 

Ao ser recomendado o exame, o médico poderá pedir a suspensão de algumas medicações como por exemplo:

  • Antiagregantes plaquetários, como o ácido acetil salicílico, presente em medicamentos como a aspirina, por exemplo;
  • Anticoagulantes orais tais como o Marevan.

Essa suspensão deverá ser feita 5 dias antes do exame e mantida até 2 dias depois, ou como informado pelo seu médico. 

Você também deve levar o resultado de exames recentes realizados nas mamas e que motivaram a mamotomia, como por exemplo:

  • Resultados de mamografia;
  • Ressonância das mamas;
  • Ultrassonografia mamária. 

Para realizar o exame, não é necessário estar de jejum. Recomenda-se ter um acompanhante com você. 

Leia também: 

Mamografia ou Ecografia Mamária? Qual o melhor exame para mim?

Mamotomia: Como a é feita? Dói?

Algumas pessoas possuem medo de que o exame de mamotomia possa doer ou se é algo perigoso. Contudo, trata-se de um exame relativamente simples e sem grandes complicações.

Com o auxílio da ultrassonografia ou mamografia digital, o médico localiza a área de interesse, apontada como irregular por exames anteriores.

A anestesia é aplicada apenas naquele local para que uma pequena incisão seja feita. Por meio dela, será inserida a agulha de mamotomia.

Essa agulha, integrada a um sistema de vácuo, vai permitir um corte rápido, certeiro e eficiente da amostra mamária na área lesionada. Em grande parte dos casos, o médico pode marcar a área com um “clipe” ou também chamado de marcador de titânio.

Ele servirá para auxiliar o reconhecimento da área para exames futuros, indicando que aquela área necessita de uma análise especial.  Além disso, caso seja necessária uma intervenção cirúrgica, o clipe também vai servir como um indicador eficiente do local exato da lesão.

Ao contrário do que se possa pensar, esse marcador é pequeno (medindo por volta de 3,0 mm), não faz nenhum mal para saúde e não causa dor. Além disso, não vai interferir com exames futuros e nem ser detectado em detectores de metal, por exemplo. 

Ao final do exame, a área da punção será pressionada para minimizar o sangramento, higienizada e receberá um curativo. O exame dura cerca de uma hora. 

Mamotomia: quais são os cuidados após o exame? 

Após a realização do exame, recomenda-se repouso com a suspensão de atividades físicas por 2 dias.

É importante, também, atentar-se para não molhar o curativo pelo menos nas primeiras 24 horas desde a realização do exame.

Esse cuidado se dá porque por mais que a intervenção na área tenha sido pequenaela ainda ficará sensível e poderá ocasionar dor. Depois do período de 24 horas, a troca do curativo pode ser feita sem preocupações. 

Aplicar compressas de gelo nas mamas nas primeiras horas após a mamografia também pode ajudar a prevenir o aparecimento de hematomas. Contudo, se você tomar todos os cuidados e eles ainda aparecerem, não se preocupe; esse acontecimento é normal.

Caso você experimente algum outro tipo de reação, como febre ou dor forte, contate o seu médico, porque pode ser uma infecção mamária. A ocorrência dessas após o procedimento, apesar de muito rara, é possível! 

Para dores menores após o procedimento, o médico poderá te receitar um analgésico.

Lembre-se: a suspensão de medicamentos extra para a realização do exame costuma ser necessária antes e depois do exame, por mais 2 dias. Converse com o seu médico.

Mamotomia: Por que realizar? 

O Câncer de Mama é reconhecido como o segundo câncer de maior incidência no mundo e o mais comum entre as mulheres brasileiras. Se configura como um mal contemporâneo extremamente temido. O INCA (Instituto Nacional de Câncer) divulgou 66.280 casos em seu levantamento mais recente (Abril de 2020). 

Todavia, apesar do grande número de casos, o câncer de mama apresenta percentuais de recuperação completa muito bons que só aumentam quanto mais cedo for diagnosticado.

Por essa razão, o autoexame, bem como a mamografia e mamotomia vão ser extremamente importantes para a manutenção da sua saúde. Especialmente se você possui mais de 40 anos, a mamografia tem que estar presente no seu check-up anual!

A mamotomia é um exame rápido, eficiente e sem contraindicações. Além disso, dispensa cirurgia e internação e é um dos maiores aliados na luta contra o câncer de mama. 

Comece sua prevenção hoje! 

Agora que você já está por dentro da importância da monitoração da saúde das suas mamas, que tal agendar uma mamografia conosco? 

Faça hoje os primeiros passos para sua prevenção ao câncer clicando aqui para agendar seu exame. 

A Clínica Viver apresenta uma infraestrutura preparada e completa, equipada com equipamentos de ponta e profissionais especializados no atendimento feminino prontos para te atender. Com nossa sede localizada na Asa Sul, também contamos com uma outra unidade recém inauguradas em Taguatinga, no Pistão Sul. 

Visando te ajudar a cuidar da sua saúde, a Clínica Viver oferece o Cartão Conviver. Com ele, agendar e pagar seus exames de imagem se torna ainda mais simples. Sem taxa de adesão, com preços diferenciados e métodos de pagamento facilitado. Além disso, o cartão Viver pode ajudar você e sua família a ficarem mais saudáveis hoje. 

Veja mais informações aqui e proteja você e sua família!

Punção da tireoide é dolorosa? Saiba como é feito o exame

A PAAF (Punção aspirativa por agulha fina) ou simplesmente Punção da tireoide é o exame mais eficiente para determinar a natureza de tumores da tireoide: isto é, se são benignos ou malignos. 

Além de ser um procedimento simples e rápido, apresenta um altíssimo nível de sensibilidade (que chega a ser de 90%), garantindo diagnósticos extremamente eficientes.

Trata-se de um procedimento que remove uma pequena amostra de tecido da glândula tireoide, sendo removido por meio de uma agulha e a amostra é enviada para análise laboratorial. Acompanhe mais a seguir.

Como é feita a Punção da tireoide? 

Como o próprio nome diz, a punção aspirativa por agulha fina da tireoide se utiliza de uma agulha muito fina para coletar material orgânico dos nódulos identificados na tireoide. A utilização da sonda de ultrassom associada à agulha, auxilia na precisão do procedimento e é fortemente recomendada que seja sempre utilizada durante o procedimento.

Com o paciente deitado, a inserção da agulha no nódulo é feita pelo médico e, por meio de alguns movimentos de vai-e-vem da agulha, o material (líquido ou sólido) é coletado, disposto em uma lâmina que será entregue ao paciente e levada à análise laboratorial. 

Depois do procedimento, faz-se um curativo na área da punção. Terminado o procedimento, o paciente poderá voltar à realizar suas atividades cotidianas normalmente, sem quaisquer restrições.  

Clique aqui para conhecer ainda mais sobre o exame de PAAF na Clínica Viver

Quando a punção da tireoide é recomendada? 

A Punção da tireoide (PAAF) é recomendada apenas para alguns tipos de nódulos da tireoide. São eles:

  • Nódulos iguais ou maiores que 1 cm, sólidos ou não sólidos, com microcalcificações.
  • Nódulos maiores que 0,5 cm com características de malignidade ao ultrassom.
  • Nódulos mistos com características de malignidade ao ultrassom.
  • Nódulos que apresentem um aumento de 50% em seu volume durante a fase de acompanhamento. 

Os nódulos totalmente líquidos não necessitam da PAAF para o diagnóstico, uma vez que são sempre benignos. Porém, ela pode ser utilizada para o esvaziamento desses nódulos e melhora dos sintomas associados. 

Leia mais sobre: 

Nódulos na tireoide: sintomas e características

O exame Punção da tireoide dói? 

Essa percepção varia de paciente para paciente; o que podemos antecipar é que, em geral, o exame pode causar um desconforto leve somente no momento em que é realizado, sem demandar qualquer tipo de preocupação. 

O profissional responsável pelo procedimento estará monitorando seu exame para garantir que você não passe por desconfortos desnecessários.

Em alguns casos pontuais, a aplicação de anestesia local é permitida. Isso pode ser ou a pedido do paciente ou médico ou até mesmo devido à necessidade de se realizar a punção em mais de um nódulo. 

Quanto tempo demora o exame? 

A punção da tireoide é um exame rápido que costuma durar poucos minutos até que seja concluído. Por isso, apresenta excelente diagnóstico com o mínimo de desconforto para o paciente. 

Como esses resultados são avaliados? 

Os resultados da PAAF são avaliados laboratorialmente e classificados dentro do Sistema Bethesda. Esse sistema classifica os tumores de tireoide entre I e VI, indicando aos profissionais de saúde qual a medida a ser tomada em seguida. 

A classificação I se refere a uma punção da tireoide que foi inconclusiva sobre os resultados, isto é, precisa ser repetida. Existe uma margem que varia de 2 a 20% dos casos em que uma repetição da punção precisa ser feita. 

A classificação II se refere a um tumor benigno e a VI, a um tumor maligno. Acompanhe o vídeo abaixo para conhecer mais sobre o exame e o sistema de Bethesda. 

Veja como é feito e para que serve o exame de Ultrassonografia da Tireoide Com Doppler!

Qual a possibilidade de ser câncer? 

Uma das coisas que mais preocupa os pacientes ao se deparar com um nódulo na tireoide é a possibilidade de se tratar de uma manifestação de câncer.

Porém, é importante ressaltar que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), estima-se que 60% da população terá alguma ocorrência de nódulo na tireoide durante a vida. Porém, dessas estatísticas, apenas 5% dos casos concretiza um caso de câncer. 

Os nódulos da tireoide costumam, estatisticamente, ser cancerígenos em oito a cada 100 homens e em quatro a cada 100 mulheres. 

Perceber um nódulo em qualquer parte do corpo nunca é uma experiência tão tranquila: existem muitos receios sobre procedimentos e diagnósticos, bem como o medo de um diagnóstico não desejado. 

Por isso, nós estamos aqui para tornar essa experiência o mais simples e confortável para você, te instruindo durante todo o caminho. Clicando aqui, você poderá agendar seu exame de punção da tireoide com um de nossos profissionais.

cta clinica viver agende seu exame
Agende seus exames na Clínica Viver de Imagens Médicas!

Leia também: 

Biópsia: pra que serve, tipos e como é feita

Biópsia da mama: como é feita e como interpretar o resultado?

A biópsia da mama consiste na retirada de pequenos fragmentos da área suspeita,  que pode ser um nódulo, um agrupamento de microcalcificações, ou uma área de distorção arquitetural. 

Antes da biópsia da mama por agulha, eram realizadas somente biópsias cirúrgicas, ou seja, através de um corte na pele e retirada do material para estudo em laboratório. As biópsias cirúrgicas geralmente causam cicatrizes e duram mais tempo para serem realizadas.

Biópsia da mama: Como é feita? 

A  Core Biopsy ( Core biópsia) de mama, também conhecida como punção por agulha grossa, é um exame realizado no consultório, sob anestesia local, em que uma agulha, acoplada à uma pistola específica, retira fragmentos da área suspeita na mama,  para serem depois avaliados em laboratório.

É um exame rápido, que dura em torno de 15 minutos, com resultados confiáveis, e que pode ser guiado pela ultrassonografia ou mamografia. Após o procedimento, é colocado um curativo no local, e não é necessário dar pontos.

Geralmente não causa complicações,  e quando ocorrem, na maioria das vezes se tratam de hematomas, que regridem espontaneamente, com a colocação de compressas de gelo no local. No dia seguinte, a paciente pode exercer suas atividades normalmente. 

É  muito bem tolerado pelas pacientes,  já que a qualquer sinal de dor, o médico pode anestesiar novamente o local, e não causa cicatrizes. 

O procedimento costuma gerar preocupação, uma vez que é indicado apenas quando existe uma suspeita de câncer de mama já sinalizada em outros exames, como a mamografia ou ultrassonografia.  No entanto, ressalta-se: prossiga com o diagnóstico e coloque sua saúde em primeiro lugar.

Na maioria dos casos, quando identificado precocemente, o câncer de mama é completamente curável,  sendo possível restaurar a qualidade de vida do(a) paciente, com cirurgias e tratamentos menos agressivos. 

Acompanhe o artigo e saiba mais sobre como o procedimento é realizado.

Quem solicita a biópsia de mama?

Na maioria das vezes, o ginecologista é o médico que solicita o exame após os resultados de uma mamografia ou ultrassonografia. 

Porém, é comum que a paciente seja também encaminhada a um mastologista antes da solicitação.

Conheça os exames de biópsia da Clínica Viver!

Quando fazer a biópsia de mama?

Antes da biópsia, é necessário fazer ao menos um exame de imagem: a mamografia, ou ultrassonografia. Com o resultado em mãos, é possível averiguar se foram identificadas lesões e qual é o  grau de cada uma delas. 

As possíveis lesões são estimadas de acordo com o método padrão BIRADS. Elas podem ser classificadas em : 

  • BIRADS 1 – Exame normal ou negativo;
  • BIRADS 2 – Achados benignos;   
  • BIRADS 3 – Achados provavelmente benignos;
  • BIRADS 4 – Achados suspeitos;
  • BIRADS 5 – Achados altamente suspeitos.

Recomenda-se fazer a biópsia da mama sempre que os exames de imagem apresentarem BIRADS 4 e 5. Nos casos de BIRADS 3, os médicos geralmente indicam controle com exames de imagem  em 6 meses, e, em casos de BIRADS 1 e 2, o controle anual.

Leia também:

Mamografia ou Ecografia Mamária? Qual o melhor exame para mim?

Exames ginecológicos: conheça os principais

Como interpretar os resultados da biópsia benigno?

O resultado de uma biópsia de mama geralmente determina o curso do tratamento e ajuda a prever o risco de uma mulher ter um futuro câncer na mama.

Com esse exame é possível saber tipo do câncer, seu local de origem e outras características importantes.

Pode ser também que não se encontre nenhum câncer,
uma vez que com o diagnóstico da biópsia mamária pode revelar que uma anomalia mamária é benigna ou não cancerosa. O que são ótimas noticias.

A maioria dos nódulos benignos da mama é causada por alterações fibrocísticas na mama, que são uma parte normal do ciclo menstrual.

Há também diferenças de termos utilizados de laudo para laudo, dependendo do laboratório ou clínica em que a biópsia foi realizada. Sendo assim, procure relaxar e aguardar sua consulta com o médico para que ele possa esclarecer todas suas dúvidas referentes aos resultados do exame.

resultado de biópsia de mama benigno

Como entender o resultado de uma biópsia?

Assim que a biópsia é concluída, o médico patologista examina as amostras de tecido ou fluido sob um microscópio, procurando por células anormais ou cancerosas.

  • O laudo patológico, que pode levar de uma a duas semanas para ser concluído, é enviado ao médico do paciente.
  • Ele indica se a área suspeita é cancerosa e fornece uma imagem completa da sua situação.

Como entender o resultado de uma biópsia benigna?

Para o paciente, esperar pelos resultados pode ser um verdadeiro desafio, mas é importante para se tomar uma decisão acertada sobre o seu tratamento. Seu médico analisará o relatório com você e, se necessário, discutirá as opções de tratamento.

Se nenhuma célula cancerosa for encontrada, o relatório indicará que as células do nódulo são benignas, ou seja, não cancerosas. No entanto, algum tipo de acompanhamento ou tratamento ainda pode ser necessário, conforme recomendado pelo profissional de saúde.

Como entender o resultado de uma biópsia maligna?

  • Se forem encontradas células cancerosas, o relatório fornecerá mais informações para ajudar a determinar as próximas etapas.
  • O relatório de uma amostra de biópsia com agulha grossa incluirá o tipo de tumor e a taxa ou grau de crescimento do tumor.
  • Se o câncer for encontrado, o patologista também realizará testes de laboratório para verificar se há receptores de estrogênio ou progesterona nas células.

Punção Aspirativa de Mama por Agulha Fina (PAAF) e Core Biopsy de Mama

Neste exame é utilizada uma agulha de calibre 20/21G acoplada a uma seringa para aspiração do tecido. O posicionamento da agulha é comumente guiado por exame de ultrassonografia.

Sob anestesia local, a coleta do material é realizada com movimentos de vai-e-vem da seringa. O procedimento descrito poderá ser repetido diversas vezes, até que se obtenha quantidade e qualidade suficiente do material para análise. 

O risco de complicações numa PAAF de Mama é praticamente inexistente. O que pode ocorrer é a formação de hematomas que regridem de forma rápida e espontânea.

A  principal diferença entre a Core biopsy e a PAAF, é que na core biopsy se retiram fragmentos e, na punção por agulha fina, apenas uma pequena quantidade de material. Assim, a Core biopsy permite um diagnóstico mais preciso, pois analisa tecidos e não apenas células. Geralmente, a  PAAF é indicada para esvaziamento de nódulos líquidos, os cistos. No caso de nódulos sólidos, é mais indicada a core biopsy. 

Leia também: 

Hipocôndrio Direito: Ecografia com Prova de Boyden
Ecografia de Bolsa Escrotal Com Doppler
Miomas Uterinos: o que são e principais sintomas

Biópsia da mama: recuperação

Pode ser necessário usar um sutiã especial e curativos sobre o local da biópsia da mama por alguns dias após o procedimento. Você ficará com pequenas tiras de fita ou pontos sobre o local onde sua pele foi cortada. Não tente removê-los sozinho. Seu médica irá lhe orientar em uma consulta posterior se eles cairão sozinhos ou se irão ser removidos.

Pode ser necessário colocar remédio na área da biópsia e/ou trocar os curativos em casa. Seu médico lhe dará a orientação sobre como tomar banho, higienizar e cuidar da ferida.

Analgésicos de venda livre são suficientes para aliviar possíveis dores. Para diminuir o risco de sangramento, não tome aspirina ou produtos que contenham aspirina nos primeiros 3 dias após o procedimento, a menos que um médico diga para você fazer.

A área onde foi realizada a biópsia também pode ficar preta ou escura por alguns dias depois.

Chame seu médico se notar problemas como:

  • Febre ou calafrios
  • Dor que piora com o tempo
  • Vermelhidão, inchaço, ou sangramento

Na Clínica Viver você pode agendar esses e outros exames de biópsia com um clique!

Nos exames de biópsia da mama Core Biopsy, garantimos a ENTREGA IMEDIATA DO RESULTADO logo após a coleta!  CLIQUE AQUI para agendar um horário com a gente. 

Biópsia: pra que serve, tipos e como é feita

A biópsia é um exame extremamente importante para que os médicos possam chegar a um diagnóstico preciso de diversas doenças. Na maioria das vezes, serve para identificar se um tumor é benigno ou maligno, ou para avaliar o estado de órgãos e tecidos. 

Apesar de ser um procedimento relativamente simples, os pacientes costumam se assustar com a possibilidade de realizar uma biópsia. Para combater o medo, acompanhe o artigo e tire suas dúvidas sobre o exame — como é feito, principais tipos e quando é indicado. 

O que é e qual o significado de biópsia? 

A biópsia é um exame que consiste na coleta de amostras (pequenos pedaços) de tumores, órgãos ou tecidos, para que sejam  analisados de maneira isolada posteriormente. Ela permite um diagnóstico detalhado do fragmento colhido. 

Tipos de biópsia

Existem vários tipos de biópsias que variam de acordo com a localização ou tamanho do fragmento que o médico deseja investigar. 

Visando o bem-estar do paciente, todas as técnicas são precedidas de anestesia local. Não é normal sentir dor durante o processo de coleta. 

Veja alguns dos principais tipos de exames de biópsia e como são realizados cada um deles.

biopsia

Conheça os exames de biópsia da Clínica Viver!

Biópsia com agulha 

Existem três tipos de biópsia realizadas com agulha, a Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF) , a Core biopsy,  realizada com uma agulha mais grossa , e a Mamotomia, que utiliza também uma vácuo aspiração.

  • Aspiração com Agulha Fina: com uma agulha muito fina e uma seringa, retira-se uma pequena quantidade do tumor para análise. Caso a amostra esteja em camadas mais profundas, o procedimento poderá ser guiado por imagens, como de ultrassom.
  • Core Biopsy: nesse procedimento, a agulha é maior, permitindo a retirada de uma amostra superior em tamanho, comparada a amostra do exame com agulha fina. Por isso, o procedimento de core biopsy é mais indicado para se obter diagnósticos conclusivos. A core biopsy pode ser orientada pela mamografia ou ecografia.  
  • Mamotomia: nesse exame é possível a retirada de um fragmento maior que a core biopsy,  pois existe também um mecanismo de sucção do aparelho. Pode ainda ser deixado um clipe metálico para marcar o local da lesão,  que será monitorado com exames de imagem . A mamotomia pode ser guiada pela ecografia, mamografia, ou ressonância magnética. 

Biópsia Excisional e Incisional

Os tipos excisional e incisional indicam a necessidade de incisão (corte) para que o procedimento da biópsia seja realizado. 

  • Excisional: o cirurgião corta um pedaço da pele suficiente para remover todo o tumor. 
  • Incisional: o cirurgião realiza o corte na pele para retirar um fragmento do tumor. 

Biópsia Endoscópica

Também é possível realizar biópsias com o auxílio do endoscópio — instrumento óptico iluminado, com câmera flexível, que é inserido no corpo para observar seu interior. Com o endoscópio é possível retirar amostras de tecido.

Biópsia de pele

Normalmente se utiliza a técnica de shaving para remover camadas externas da pele e coletar amostras. O shaving é feito com uma navalha e pode ser utilizado para diagnosticar câncer de pele, por exemplo. No entanto, caso seja necessário coletar uma amostra mais profunda, exames por excisão são mais recomendados. 

Para que serve a biópsia?

O procedimento de biópsia é indicado, em geral, para averiguar suspeitas de má formação das células, sendo muito utilizado para analisar tumores e cânceres. 

A biópsia é um procedimento que exige recomendação médica. Por isso, é importante que você esteja sempre em dia com seus exames de check-up, cuidando sempre da sua saúde, para que possíveis complicações sejam identificadas logo cedo.  

Como é feita a biópsia?

A biópsia é portanto um exame médico no qual uma pequena amostra de tecido é removida de uma parte do corpo, para então ser examinada em microscópio por um especialista. Aqui estão algumas etapas do processo:

  • Coleta: pode ser realizada através de agulha, endoscópio ou shaving, por exemplo.
  • A amostra é armazenada: a amostra recolhida é imediatamente armazenada em uma solução de formol para conservar as células. 
  • Preparação para a análise: o fragmento de tecido é imerso em parafina para se tornar mais firme. Após endurecer, é fatiado em pedaços ainda menores, posteriormente colocados em lâminas para a análise em laboratório.  
  • Análise: a avaliação é feita por um especialista que investiga  o fragmento de tecido com o objetivo de encontrar células cancerosas. 

Embora os exames de imagem, como raios-X, sejam úteis na detecção de massas ou áreas de anormalidade, eles sozinhos não conseguem diferenciar as células cancerosas das não cancerosas. Para a maioria dos cânceres, a única maneira de fazer um diagnóstico definitivo é realizar uma biópsia para coletar células para então ter um exame mais detalhado do tecido.

Esperamos que esse nosso artigo sobre biópsia, suas utilidades e como é feita tenha lhe ajudado a entender melhor o tema.

Apesar de amedrontar, o exame de biópsia é simples e, geralmente, indolor (devido à aplicação de anestesia local). Com profissionais qualificados e acompanhamento adequado, o procedimento se torna apenas mais uma etapa fundamental para garantir sua saúde e bem-estar.

Na Clínica Viver você pode agendar exames de biópsia online, além de vários outros procedimentos!

CLIQUE AQUI para agendar um exame. 

PAAF da Tireoide: Indicação e Como é feita

A PAAF de Tireoide – Punção Aspirativa de Tireoide por Agulha Fina é o exame mais efetivo para se determinar a natureza dos nódulos de tireoide.

A punção de tireoide é indicada para uma pesquisa mais aprofundada de nódulos da tireoide.

Este tipo de punção diferencia nódulos benignos de malignos, pois tem uma sensibilidade em torno de 90%.

 

Quando é Indicada a Punção Aspirativa de Tireoide por Agulha Fina?

Quando é Indicada a Punção Aspirativa de Tireoide por Agulha Fina?

Ela deve ser feita nos casos de:

  • Nódulos de Tireoide iguais ou maiores que 1,0 cm, sólidos, ou não sólidos com microcalcificações.
  • Nódulos maiores que 0,5 cm com características sugestivas de malignidade ao ultrassom.
  • Nódulos mistos (sólidos-císticos) ≥ 1,5 cm, e características sugestivas de malignidade no exame de ultrassonografia de tireoide ou com 2,0 cm ou mais, independentemente das características no ultrassom.
  • Nódulos que apresentem um aumento de 50% em seu volume durante a fase de acompanhamento.

Os nódulos císticos puros (líquidos) não necessitam de PAAF, pois sempre são benignos. Pode ser realizada a PAAF de Tireoide para esvaziar o nódulo e melhorar os sintomas locais.

O nódulo submetido à PAAF de Tireoide deve ser classificado seguindo o sistema de Bethesda.

 

Classificação de Bethesda para Nódulos de Tireoide

Classificação de Bethesda para Nódulos de Tireoide

É comum que a partir de análise de sintomas de Hipertireoidismo e Hipotireoidismo cheguemos a verificação da existência de nódulos da tireoide.

Nós produzimos 3 artigos sobre problemas na Tireoide:

Se nas consultas nódulos forem encontrados, por palpação ou por meio de exame não invasivo, como a Ultrassonografia da Tireoide, pode ser necessário fazer uma punção do nódulo para um diagnóstico ainda mais preciso.

Como é Feito o Exame PAAF da Tireoide?

A Punção Aspirativa por Agulha Fina de Nódulo de Tireoide é realizada no próprio consultório, e deve sempre ser guiada por ultrassonografia, pois isso aumenta muito a eficácia do procedimento, mesmo quando nódulo é palpável.

O médico visualiza o nódulo à medida em que introduz uma agulha fina e, com movimentos de vai e vem, consegue chegar ao nódulo.

A partir de determinados movimentos é possível retirar pequenos fragmentos do nódulo, que são suficientes para um estudo. Essas amostras são, então, enviadas para o laboratório de patologia, para análise. Essa análise verifica se há malignidade de forma definitiva, e, assim parte-se para o tratamento.

Em alguns poucos casos, pode ser necessária uma cintilografia de tireoide, para verificar se o nódulo é funcionante ou não funcionante, já que essa característica impacta na escolha do tratamento mais adequado.

Apesar do nome um pouco assustador, a PAAF de Tireoide é um exame rápido que causa desconforto mínimo. Geralmente, o paciente é liberado logo após a coleta, e sai apenas com um pequeno curativo.

O risco de complicações numa PAAF é praticamente inexistente, o que pode ocorrer é a formação de hematomas (coágulos), mas estes regridem de forma rápida e espontânea.

Veja mais detalhes no vídeo abaixo:

Onde fazer o exame de PAAF da Tireoide em Brasília-DF?

A Clínica Viver de Imagens Médicas, em Brasília, tem os mais modernos aparelhos para exames de imagem, a fim de colher sua melhor imagem.

Fazemos Punção Aspirativa de Tireoide por Agulha Fina guiada por ultrassonografia.

Temos, também, profissionais experientes e preparados para cuidar de sua tireoide e da sua saúde.

Ligue para a Viver. Conseguimos agendar sua consulta e/ou exame até para o mesmo dia.

E acompanhe nossos textos e vídeos para mais informações sobre sua saúde.

Comente, pergunte, participe das nossas discussões.

Aguardamos e agradecemos sua participação.

PAAF da Tireoide em Brasília-DF

SHLS 716 Sul | Ed. Centro Clínico Sul Torre I | 3º andar | Salas 320 à 324 CEP: 70390-700

PAAF da Tireoide em Taguatinga-DF

QS 3 Lotes 3, 5 e 7 | Edifício Pátio Capital Pistão Sul | 2º andar | Salas 232 e 233 Taguatinga/DF