Biópsia: pra que serve, tipos e como é feita

A biópsia é um exame extremamente importante para que os médicos possam chegar a um diagnóstico preciso de diversas doenças. Na maioria das vezes, serve para identificar se um tumor é benigno ou maligno, ou para avaliar o estado de órgãos e tecidos. 

Apesar de ser um procedimento relativamente simples, os pacientes costumam se assustar com a possibilidade de realizar uma biópsia. Para combater o medo, acompanhe o artigo e tire suas dúvidas sobre o exame — como é feito, principais tipos e quando é indicado. 

O que é e qual o significado de biópsia? 

A biópsia é um exame que consiste na coleta de amostras (pequenos pedaços) de tumores, órgãos ou tecidos, para que sejam  analisados de maneira isolada posteriormente. Ela permite um diagnóstico detalhado do fragmento colhido. 

Tipos de biópsia

Existem vários tipos de biópsias que variam de acordo com a localização ou tamanho do fragmento que o médico deseja investigar. 

Visando o bem-estar do paciente, todas as técnicas são precedidas de anestesia local. Não é normal sentir dor durante o processo de coleta. 

Veja alguns dos principais tipos de exames de biópsia e como são realizados cada um deles.

biopsia

Conheça os exames de biópsia da Clínica Viver!

Biópsia com agulha 

Existem três tipos de biópsia realizadas com agulha, a Punção Aspirativa com Agulha Fina (PAAF) , a Core biopsy,  realizada com uma agulha mais grossa , e a Mamotomia, que utiliza também uma vácuo aspiração.

  • Aspiração com Agulha Fina: com uma agulha muito fina e uma seringa, retira-se uma pequena quantidade do tumor para análise. Caso a amostra esteja em camadas mais profundas, o procedimento poderá ser guiado por imagens, como de ultrassom.
  • Core Biopsy: nesse procedimento, a agulha é maior, permitindo a retirada de uma amostra superior em tamanho, comparada a amostra do exame com agulha fina. Por isso, o procedimento de core biopsy é mais indicado para se obter diagnósticos conclusivos. A core biopsy pode ser orientada pela mamografia ou ecografia.  
  • Mamotomia: nesse exame é possível a retirada de um fragmento maior que a core biopsy,  pois existe também um mecanismo de sucção do aparelho. Pode ainda ser deixado um clipe metálico para marcar o local da lesão,  que será monitorado com exames de imagem . A mamotomia pode ser guiada pela ecografia, mamografia, ou ressonância magnética. 

Biópsia Excisional e Incisional

Os tipos excisional e incisional indicam a necessidade de incisão (corte) para que o procedimento da biópsia seja realizado. 

  • Excisional: o cirurgião corta um pedaço da pele suficiente para remover todo o tumor. 
  • Incisional: o cirurgião realiza o corte na pele para retirar um fragmento do tumor. 

Biópsia Endoscópica

Também é possível realizar biópsias com o auxílio do endoscópio — instrumento óptico iluminado, com câmera flexível, que é inserido no corpo para observar seu interior. Com o endoscópio é possível retirar amostras de tecido.

Biópsia de pele

Normalmente se utiliza a técnica de shaving para remover camadas externas da pele e coletar amostras. O shaving é feito com uma navalha e pode ser utilizado para diagnosticar câncer de pele, por exemplo. No entanto, caso seja necessário coletar uma amostra mais profunda, exames por excisão são mais recomendados. 

Para que serve a biópsia?

O procedimento de biópsia é indicado, em geral, para averiguar suspeitas de má formação das células, sendo muito utilizado para analisar tumores e cânceres. 

A biópsia é um procedimento que exige recomendação médica. Por isso, é importante que você esteja sempre em dia com seus exames de check-up, cuidando sempre da sua saúde, para que possíveis complicações sejam identificadas logo cedo.  

Como é feita a biópsia?

A biópsia é portanto um exame médico no qual uma pequena amostra de tecido é removida de uma parte do corpo, para então ser examinada em microscópio por um especialista. Aqui estão algumas etapas do processo:

  • Coleta: pode ser realizada através de agulha, endoscópio ou shaving, por exemplo.
  • A amostra é armazenada: a amostra recolhida é imediatamente armazenada em uma solução de formol para conservar as células. 
  • Preparação para a análise: o fragmento de tecido é imerso em parafina para se tornar mais firme. Após endurecer, é fatiado em pedaços ainda menores, posteriormente colocados em lâminas para a análise em laboratório.  
  • Análise: a avaliação é feita por um especialista que investiga  o fragmento de tecido com o objetivo de encontrar células cancerosas. 

Embora os exames de imagem, como raios-X, sejam úteis na detecção de massas ou áreas de anormalidade, eles sozinhos não conseguem diferenciar as células cancerosas das não cancerosas. Para a maioria dos cânceres, a única maneira de fazer um diagnóstico definitivo é realizar uma biópsia para coletar células para então ter um exame mais detalhado do tecido.

Esperamos que esse nosso artigo sobre biópsia, suas utilidades e como é feita tenha lhe ajudado a entender melhor o tema.

Apesar de amedrontar, o exame de biópsia é simples e, geralmente, indolor (devido à aplicação de anestesia local). Com profissionais qualificados e acompanhamento adequado, o procedimento se torna apenas mais uma etapa fundamental para garantir sua saúde e bem-estar.

Na Clínica Viver você pode agendar exames de biópsia online, além de vários outros procedimentos!

CLIQUE AQUI para agendar um exame. 

Ultrassonografia morfológica em Brasília-DF: como é feito?

A ultrassonografia é um momento marcante e que, normalmente, gera muita emoção. Toda gestante lembra da primeira vez em que viu a imagem distorcida do filho em preto e branco no monitor. 

No entanto, a ultrassonografia é também um exame importantíssimo para uma gestação saudável, sendo possível identificar, por exemplo, problemas nos órgãos internos da criança. Para isso, é necessário um procedimento um pouco diferente do convencional: a ultrassonografia morfológica. Acompanhe no artigo para saber mais!

retangulo exames

Para que serve a ultrassonografia morfológica? 

O ultrassom morfológico é um exame feito para acompanhar com detalhes todos os órgãos, detectar possíveis malformações nos três trimestres de gestação. Dessa forma, é possível observar:

  • Confirmar a idade gestacional do bebê;
  • Avaliar o tamanho do bebê, medindo a cabeça, tórax, abdômen e do fêmur;
  • Avaliar o crescimento e o desenvolvimento do bebê;
  • Monitorar os batimentos cardíacos do bebê;
  • Localizar a placenta;
  • Mostrar anormalidades no bebê e possíveis doenças ou malformações.

O que é Ultrassonografia morfológica?

O que é Ultrassonografia morfológica?

Ultrassonografia é o nome dado ao exame que utiliza uma sonda que emite ondas sonoras. Em contato com o corpo humano, as ondas sonoras são convertidas em imagens em um monitor, tornando possível visualizar o interior do corpo. 

Desse modo, a ultrassonografia morfológica segue os mesmos princípios de todo exame de ultrassom. A diferença é que, na morfológica, os órgãos são examinados mais detalhadamente, com o objetivo de se identificar malformações na coluna , coração,  rins, pulmões, estômago, intestinos e membros superiores e inferiores. Por isto, é um exame que exige uma formação específica do médico ultrassonografista , e um tempo maior para a realização do exame.

Quando fazer o exame de ultrassom morfológico?

Ultrassonografia obstétrico x Ultrassonografia morfológica

Ultrassom morfológico primeiro trimestre

O exame de ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre deve ser realizado entre as semanas 11 e 13 de gestação. 

O exame serve para avaliar a situação do bebê e diagnosticar possíveis riscos de Síndrome de Down e outras anomalias cromossômicas, ou problemas cardíacos graves.

Neste exame são avaliados a prega nucal, ducto venoso, osso nasal, e, após análise conjunta com a idade materna , este risco é calculado.

Ultrassom morfológico segundo trimestre

O exame de ultrassonografia morfológica do segundo trimestre deve ser realizado entre as 20 e 24 semanas de gestação com o objetivo de se pesquisar  malformações fetais.

O exame serve para avaliar o sistema nervoso central, extremidades esqueléticas, face, coração, rins e outros órgãos internos do bebê. 

A ultrassonografia morfológica do segundo trimestre detecta em torno de 85% de malformações fetais. 

Ultrassonografia Obstétrica (convencional) 

A Ultrassonografia Obstétrica (convencional) é recomendada para avaliar as condições gerais da gestação, como estado da placenta, posicionamento do bebê no útero, volume do líquido amniótico, sexo do bebê, avaliar a idade gestacional,  e se o crescimento do bebê está adequado.

Agora que você já sabe a importância da Ultrassonografia Morfológica para a saúde do se bebê, converse com seu médico e agende um exame no período recomendado.

O que é possível diagnosticar com o ultrassom morfológico?

O que é possível diagnosticar com o ultrassom morfológico?

Dentre as vantagens do exame morfológico, podemos citar a possibilidade de fazer uma avaliação pormenorizada da anatomia do feto e identificar fatores de risco para doenças genéticas,  além de ter uma descrição detalhada de toda morfologia fetal. 

Os exames podem durar, em média, de vinte a quarenta minutos. O laudo é bem detalhado e descritivo, com documentação de dez a trinta imagens. 

Veja alguns exemplos do que pode ser avaliado por meio do ultrassom morfológico. 

Órgãos genitais

No exame de ultrassom obstétrico, muitas vezes não é possível identificar o sexo do bebê. Isso porque, dependendo do posicionamento da criança no útero, não é possível observar os órgãos genitais externos.

Com o exame de ultrassom morfológico é possível identificar o sexo da criança através dos órgãos genitais internos, o que independe de sua posição dentro ventre materno. 

Rosto

O exame possibilita avaliar a formação e posicionamento dos olhos, nariz e boca — essencial para reconhecer deformações no rosto, como lábio leporino.

Além disso, com o exame é possível fazer uma avaliação detalhada  das estruturas do cérebro, o que permite identificar possíveis problemas como má formação do cérebro, hidro e microcefalia. 

Órgãos internos

Coração, rins, estômago e intestinos são exemplos de órgãos internos que podem ser avaliados com o ultrassom morfológico. Má formação e complicações nesses órgãos podem ser identificados ainda em estágio inicial.

Membros

Membros superiores e inferiores podem ser facilmente monitorados. É possível avaliar por exemplo, se o bebê apresenta pé torto, ou outras malformações. 

Agende agora o seu exame de Ultrassonografia Morfológica em Brasília-DF

Agora que você já sabe a importância da Ultrassonografia Morfológica para a saúde do se bebê, converse com seu médico e agende um exame no período recomendado. 

Na Clínica Viver oferecemos Ultrassonografia Morfológica e outros exames importantes para o seu pré-natal. CLIQUE AQUI para agendar um horário.