Sintomas do câncer de mama: conheça e se proteja!

O ideal é não esperar surgirem os sintomas de um câncer para, só então, buscar ajuda. Em vez disso, devemos ter sempre uma atitude proativa e atenta, tanto para prevenir – se for possível – quanto para detectar o mais cedo possível, o que aumenta muito as chances de cura.

Com relação ao câncer de mama, não é diferente.

Nas próximas linhas listamos os principais sintomas do câncer de mama para que as mulheres possam se cuidar melhor e buscar tratamento o quanto antes.

Acompanhe!

Sintomas do câncer de mama

O ideal é não aguardar o surgimento de sintomas para buscar ajuda. No entanto, quanto antes esses sinais forem percebidos e tratados, maiores serão as chances de cura, que chegam a quase 100%, quando o câncer de mama é detectado precocemente.

Por isso, confira abaixo os sintomas que devem ligar o sinal de alerta:

Nódulo no seio

Este é frequentemente o primeiro sinal notável de câncer de mama. Muitos nódulos são descobertos por meio do autoexame das mamas ou por exames de imagem, como a mamografia. Os nódulos cancerosos geralmente têm forma irregular e são firmes ao toque, embora alguns (raramente) possam ser macios e arredondados. 

Alterações no tamanho ou forma da mama

O câncer pode causar mudanças visíveis, como uma mama que parece notavelmente maior ou de forma diferente da outra. Estas mudanças podem resultar da progressão do tumor, que distorce a arquitetura normal da mama.

Retração ou inversão do mamilo

O câncer de mama pode causar alterações na pele, que puxam o mamilo para dentro. Isso ocorre devido ao tumor que está crescendo e alterando a estrutura interna da mama.

Pele da mama com aspecto de “casca de laranja”

Esse sintoma ocorre quando os poros da pele se dilatam, e a pele da mama fica grossa e irregular. É geralmente causado por inflamação ou bloqueio dos vasos linfáticos por células cancerosas.

Vermelhidão ou descamação

Esses sintomas podem se assemelhar aos de uma condição chamada eczema – inflamação da pele, com vermelhidão, coceira e descamação – e são frequentemente associados ao câncer inflamatório de mama, um tipo menos comum, porém mais agressivo de câncer de mama.

Saída de secreção pelo mamilo

Embora possa ser benigna, a secreção do mamilo – que é espontânea e ocorre em um único ducto – é motivo de preocupação, especialmente se for sanguinolenta ou transparente.

Dor na mama ou mamilo

A dor associada ao câncer de mama é geralmente contínua e localizada em uma área específica. No entanto, é importante notar que apenas dor, sem outros sinais, não costuma ser um sintoma precoce de câncer de mama.

Inchaço em parte da mama

O inchaço pode envolver toda a mama ou apenas parte dela e pode ou não estar acompanhado de um nódulo palpável. Este inchaço pode fazer a pele parecer tensa ou mais grossa.

Esses sintomas podem variar em intensidade e apresentação e nem sempre indicam câncer. Porém, é crucial que qualquer sintoma ou mudança nas mamas seja avaliado por um profissional de saúde para garantir o diagnóstico correto e, se necessário, um tratamento adequado. 

Sinais de que NÃO é câncer de mama

Existem vários sinais e sintomas relacionados às mamas que podem preocupar as mulheres, mas que muitas vezes não estão associados ao câncer de mama. Aqui estão alguns desses sintomas que geralmente são benignos:

✅ Dor mamária cíclica: Muitas mulheres experienciam dor nas mamas, que varia de acordo com o ciclo menstrual. Essa dor é geralmente bilateral e pode ser descrita como uma sensação de peso ou sensibilidade aumentada nas mamas, o que não costuma estar relacionado ao câncer de mama.

✅ Nódulos fibrocísticos: Essas alterações benignas são muito comuns e podem causar nódulos com conteúdo líquido nas mamas (cistos ) que se movem facilmente com o toque e podem ser sensíveis. Eles frequentemente se alteram em tamanho e sensibilidade durante o ciclo menstrual.

✅ Alterações de cor da pele, sem outros sintomas associados: Variações na cor da pele das mamas sem outros sintomas (como textura de casca de laranja ou descamação) são geralmente normais e não são indicativos de câncer.

✅ Secreção mamilar múltipla e bilateral: Secreção que ocorre em ambas as mamas e pode ser espremida de vários ductos geralmente é devido a mudanças hormonais e não é tipicamente um sinal de câncer.

✅ Mamas com textura granular: Algumas mulheres têm uma textura mamária naturalmente granular (como se houvesse pequenos grãos na pele), que é uniforme e simétrica entre ambas as mamas. Isso é normal e geralmente não está relacionado ao câncer.

✅ Dor uniforme em ambas as mamas: Quando a dor é simétrica e dispersa em ambas as mamas, geralmente é relacionada a mudanças hormonais, especialmente em mulheres mais jovens ou aquelas que estão perto da menopausa.

✅ Inchaços temporários: Inchaços que vêm e vão com o ciclo menstrual são geralmente causados por alterações hormonais e são considerados normais.

Embora esses sinais e sintomas sejam geralmente benignos, é importante para qualquer mulher que experiencie mudanças novas ou incomuns nas mamas consultar um profissional de saúde – de preferência ginecologista ou mastologista. A avaliação médica é essencial para descartar qualquer condição séria e para tranquilidade.

Câncer de mama: o que fazer para se proteger! 

Como tem um forte componente genético envolvido, não há formas de se evitar completamente o risco de desenvolver um câncer de mama. No entanto, algumas medidas são importantes para reduzir esse risco ou detectar precocemente:

Realização regular de exames de mamografia

A partir dos 40 anos, as mulheres devem incluir em sua rotina de cuidados regulares a realização da mamografia preventiva. Trata-se do exame considerado “padrão ouro” para detecção precoce do câncer de mama, garantindo maiores chances de cura.

Autoexame das mamas

Conhecer a aparência e a sensação normais de suas mamas pode ajudar a detectar quaisquer mudanças incomuns. Embora o autoexame não substitua exames de imagem e exames físicos feitos por profissionais, pode ser um passo inicial importante para a detecção precoce.

Manter um estilo de vida saudável

A medicina já sabe que – apesar de a genética ser o principal fator de risco – certos hábitos de vida influenciam no risco de desenvolvimento do câncer de mama. Por isso,  manter um peso corporal saudável, praticar exercícios regularmente, limitar o consumo de álcool e evitar o tabagismo são medidas recomendadas.

Alimentação balanceada

Consumir uma dieta rica em frutas, vegetais e grãos integrais e pobre em gorduras saturadas e processadas também pode ajudar a reduzir o risco de câncer de mama.

Considerar fatores de risco genéticos

Mulheres com histórico familiar significativo de câncer de mama ou ovário podem considerar aconselhamento genético para entender melhor seu risco pessoal.

Ter cuidado com terapias de reposição hormonal prolongadas

Apesar de sabermos que, para algumas mulheres, é válido o uso de terapias de reposição hormonal, é importante discutir seus riscos e benefícios com um(a) especialista, especialmente se a terapia for prolongada.

Os cuidados acima são simples e fáceis de adotar no dia a dia, mas comprovadamente reduzem o risco de desenvolver o câncer de mama. 

Além disso, manter consultas regulares com profissional de saúde – preferencialmente ginecologista ou mastologista – ajudam a monitorar a saúde geral das mamas, bem como a discutir qualquer mudança observada.

——————————-

Uma das missões da Clínica Viver de Imagens Médicas é promover saúde, bem-estar e qualidade de vida para as pessoas. Seja oferecendo serviços de excelência, seja produzindo conteúdos úteis e sempre gratuitos.

Somos referência em exames de imagem no Distrito Federal e contamos com as tecnologias e os profissionais que você precisa para ter o melhor diagnóstico.

Se você está no Distrito Federal ou Entorno e tem exames de imagem solicitados, clique no link abaixo para agendar conosco!

Quero agendar meus exames na Viver