Quais são as chances de cura do câncer de mama?

Por:
Quais são as chances de cura do câncer de mama?
22 de outubro de 2021 Dra. Nubia
Quais são as chances de cura do câncer de mama?

É perfeitamente normal e compreensivo que uma mulher se sinta assustada e receosa quanto ao futuro, ao receber um diagnóstico positivo de câncer de mama.

Apesar de ser uma situação desafiadora para qualquer mulher, felizmente hoje os recursos da medicina fazem com que a grande maioria dos casos tenha um resultado positivo de cura.

Atualmente, com os exames disponíveis, é possível determinar o tamanho, a localização e o estágio de avanço do câncer, o que permite traçar uma sequência ideal de tratamento para cada paciente, seja com medicações (quimioterapia,  bloqueio hormonal, terapia alvo e imunoterapia), equipamentos (radioterapia) ou mesmo cirurgia.

Ainda assim, fica a dúvida na cabeça de muitas mulheres: quais as chances de cura de um câncer de mama?

É sobre isso que falaremos neste artigo. Acompanhe!

Quais são as chances de cura do câncer de mama

Antes de falarmos especificamente das chances (ou índices) de cura do câncer de mama, vale lembrar que quando falamos desse tipo de neoplasia, estamos falando de um conjunto bastante variado de doenças, que podem apresentar diferentes sintomas, diversos tipos de tumores e, por isso, não responder da mesma forma aos tratamentos.

Nesse sentido, os tipos de tumores que podem surgir nas mamas são mais comumente o carcinoma lobular , que surge  nas glândulas ( que produzem o leite ) , e o carcinoma ductal, que surge nos ductos mamários ( os tubos que conduzem o leite ),  sendo que, destes, os carcinomas ductais  são os tipos mais frequentes, responsáveis por até 90% dos casos de câncer de mama.

Dados e estatísticas sobre o câncer de mama, segundo o INCA

  • É o tipo de câncer mais frequente entre mulheres em todo o mundo, representando quase 25% dos casos.
  • É também o tipo de câncer que mais mata mulheres no mundo, com 684.996 casos registrados em 2020, segundo dados do INCA.
  • No Brasil, é o segundo tipo de câncer que mais afeta as mulheres, atrás somente do câncer de pele, mas é o câncer que mais mata.
  • Os índices de frequência e mortalidade aumentam consideravelmente nas mulheres com mais de 40 anos.

Mas quais são as chances de cura?

Quando falamos da resolução de tumores nas mamas, os dados mostram que, quando o tratamento é iniciado precocemente, os índices de cura superam os 90%

É inegável  que com os novos recursos disponíveis hoje pela medicina, o nível de cura de um tumor nas mamas é muito maior do que antes. Dados mostram que, na Inglaterra, esse índice dobrou nos últimos 40 anos e, nos Estados Unidos, aumentou 10% somente nesta década.

Esses mesmos dados, porém, mostram que as chances de cura do câncer de mama podem variar, de acordo com diversos fatores, como o tipo de câncer de cada paciente, a rapidez no diagnóstico e a realização do tratamento certo.

Quando o tratamento é iniciado nas fases iniciais do tumor e é feito da forma correta, as chances de cura são infinitamente maiores.

Para detecção rápida do câncer de mama, os exames são essenciais. Confira neste artigo 8 exames importantes!

Fatores que aumentam as chances de cura do câncer de mama 

Saiba um pouco mais sobre os fatores que podem fazer toda diferença para aumentar as chances de cura de um câncer de mama.

1. Diagnóstico Precoce

Como dito acima, as melhores chances de cura estão ligadas diretamente a um diagnóstico precoce. É aí que entra a importância dos exames de rotina, principalmente a partir dos 40 anos, que é quando esse tipo de câncer se torna mais frequentes.

Para isso, o exame de referência continua sendo a mamografia, que deve ser feita todos os anos pelas mulheres acima dos 40 anos. Caso esse exame identifique alguma alteração suspeita, o mastologista (especialista no cuidado das mamas) irá indicar uma biópsia, que geralmente é realizada por meio de uma agulha  para retirar fragmentos deste tumor, que serão remetidos ao laboratório. Está análise  em laboratório permite classificar o tipo de tumor, seu grau de agressividade, e ainda analisar qual será o melhor tratamento. 

Os principais exames de confirmação para suspeitas de câncer de mama são a PAAF e a Core Biópsia. Conheça cada uma delas e quais as suas diferenças!

2. Hábitos saudáveis

Apesar de ter um forte componente genético, a medicina hoje sabe que certos hábitos de vida podem fazer grande diferença na prevenção do câncer de mama.

Dados do INCA mostram que cerca de 30% dos casos de câncer de mama poderiam ser evitados com a adoção de hábitos saudáveis, como praticar atividades físicas, a manutenção do peso corporal, evitar o consumo de bebidas alcoólicas de forma exagerada, a amamentação prolongada e não fumar, mesmo que passivamente. A terapia de reposição hormonal na menopausa  deve ser avaliada individualmente, considerando os antecedentes familiares da paciente para o câncer de mama.

3. Tratamento adequado 

Como vimos acima, um dos fatores mais decisivos para o sucesso de um tratamento de câncer de mama é o tratamento adequado.

Felizmente, existem hoje inúmeras alternativas disponíveis para a condução do tratamento. Ao mesmo tempo, é importante que o tratamento escolhido seja o mais adequado para o caso específico daquela paciente, diante do tipo de tumor que ela apresenta.

Sabemos hoje que o câncer de mama não é apenas uma doença, mas pelo menos quatro tipos de doenças, que tem graus de agressividade e tratamentos diferentes.

Temos o câncer de mama receptor hormonal positivo, que responde às terapias de bloqueio hormonal, o câncer de mama HER 2 positivo, para o qual é indicada a terapia alvo, e o câncer de mama triplo negativo, onde a quimioterapia e a imunoterapia são o tratamento de escolha.  

O fator mais importante para a cura é o tamanho do tumor no momento do diagnóstico. Tumores menores que 2,0cm apresentam chances de cura acima de 90 por cento. 

Infelizmente  sabemos que nem todas as mulheres têm acesso a um diagnóstico por exame  adequado, ou mesmo o tratamento, no momento em que elas precisam, especialmente aquelas que não dispõem de recursos financeiros ou da cobertura de um plano de saúde.

4. Fatores emocionais e psicológicos

Como em todos os casos de câncer, sabemos que as questões emocionais e psicológicas exercem um importante papel na forma como a pessoa irá encarar a situação e se manter dedicada e esperançosa com seu próprio processo de cura.

Sabemos que não é fácil lidar com a doença, mas é necessário ter em mente que você “não é doente”, mas sim “está doente”.

Fatores como a espiritualidade, a autoestima e contar com uma boa rede de apoio de familiares e amigos estão ligados diretamente ao modo como a paciente encara a doença.

Prevenção ao câncer de mama: conte com a Clínica Viver

Como vimos neste artigo, as chances de cura do câncer de mama podem variar, de acordo com diversos fatores, tanto da própria mulher quanto das condições de tratamento.

Nesse sentido, estar em dia com suas consultas e exames preventivos é essencial para garantir um diagnóstico mais rápido e poder iniciar o tratamento o quanto antes, aumentando as chances de sucesso.

Para isso, conte sempre com a Clínica Viver. Somos referência em exames de imagem no Distrito Federal, e especialmente na realização de mamografias, com certificação pelo Colégio Brasileiro de Radiologia.

Caso você esteja em Brasília ou Entorno, agende online agora mesmo seus exames e venha se cuidar conosco! 

 

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NA VIVER

 

Você também pode gostar:

Você tem dúvidas sobre a mamografia? Neste artigo nós separamos os principais questionamentos das mulheres e respondemos todos eles. Confira!