A Pandemia passa, o Câncer de Mama sem tratamento não!

Não desista de cuidar da sua saúde!

Sabemos que enfrentamos um momento crítico na pandemia do coronavírus,  e que  com isso, algumas pacientes estão deixando de fazer seus tratamentos com medo de que sua imunidade baixe e elas contraiam a doença.  Esta situação é  extremamente grave, pois pode comprometer a sua cura, e pensando nisso,  fizemos uma entrevista com o Dr Jorge Gama, mastologista,  para esclarecer e orientar as pacientes.

O câncer mais comum e o que causa mais preocupação nas mulheres é o câncer de mama.  São várias as dúvidas das pacientes que já tiveram ou estão em tratamento do câncer de mama neste momento da pandemia.

A Clínica Viver de Imagens Médicas entrevistou o dr Jorge Gama, mastologista, e trouxe várias respostas para quem enfrenta esta realidade. A conversa foi bastante rica!

Assista ao nosso vídeo!

A mamografia é o exame de escolha, o padrão ouro, para rastreamento do câncer de mama em mulheres a partir dos 40 anos.

Fizemos um artigo com a descrição completa do exame de Mamografia, inclusive comparando-o à Ecografia de Mama.

Busque no blog Mamografia ou Ecografia Mamária? Qual o melhor exame para mim?

A Clínica Viver

Nós, da Clínica Viver, com unidades na Asa Sul e agora em Taguatinga, consideramos que, acima de tudo, a informação é sua melhor companheira na busca por uma vida saudável.

Nós dispomos de ambiente amplo e confortável, composto de grande área de recepção e espera, com área para crianças e 3 banheiros. Temos 9 salas de ultrassonografia (ecografia), além de mamografia digital e densitometria óssea.

Agradecemos seu interesse por nosso conteúdo. Acompanhe todos os nossos textos e vídeos a fim de ter mais informações sobre sua saúde. Além disso, oferecemos vídeos com informações importantes em nosso canal de saúde, no Youtube.

Estamos sempre à disposição para responder suas dúvidas. Será um prazer cuidar da sua saúde.

⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀
⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Futuras mamães: tirem as suas principais dúvidas sobre gravidez e coronavírus

Dra. Maria Teresa, Obstetra Ultrassonografista da Clínica Viver, e com a Dra. Núbia Pereira, Médica Radiologista também da Clínica Viver.

Coronavírus: o que as gestantes devem saber?

1)  As gestantes são grupo de risco para a infecção por coronavírus?

Atualmente as gestantes  e as puerperas até  45 dias sao consideradas grupo de risco, apesar de não terem sido evidenciadas infecções  mais graves em gestantes.

2)  As gestantes devem ter algum cuidado específico?

As gestantes devem ter os mesmos cuidados de higiene e contato que a população geral, ou seja : lavar as mãos com água e sabão,  ou usar álcool gel à 70%,   não compartilhar objetos pessoais , evitar aglomerações e manter os ambientes ventilados.

Você quer saber mais sobre os impactos do coronavírus na gestação?
Assista ao vídeo!

A Clínica Viver

Nós, da Clínica Viver, com unidades na Asa Sul e agora em Taguatinga, consideramos que, acima de tudo, a informação é sua melhor companheira na busca por uma vida saudável.

Nós dispomos de ambiente amplo e confortável, composto de grande área de recepção e espera, com área para crianças e 3 banheiros. Temos 9 salas de ultrassonografia (ecografia), sendo uma delas com ecógrafo para ecodoppler fetal, além de ecografias gestacionais essenciais no pré-natal

Agradecemos seu interesse por nosso conteúdo. Acompanhe todos os nossos textos e vídeos a fim de ter mais informações sobre sua saúde. Além disso, oferecemos vídeos com informações importantes em nosso canal de saúde, no Youtube.

Estamos sempre à disposição para responder suas dúvidas. Será um prazer cuidar da sua saúde.

Veja onde fazer o exame de ecocardiograma com doppler colorido fetal em Brasília-DF!

A perigosa relação entre o Coronavírus e as doenças cardiovasculares.

Coração X Covid

Queremos informar e ajudar vocês a terem o máximo de conhecimento possível sobre esse momento tão incerto.

As doenças cardiovasculares são as principais causas de mortes no Brasil, responsáveis por mais de 30% dos óbitos registrados, e causando mais de 1.000 mortes por dia.

Consequências do Covid-19 nas doenças cardiovasculares

Durante esta pandemia tem se observado que os pacientes com doenças cardiovasculares tem evitado procurar as emergências dos hospitais, com medo de contaminação. Isso pode ter graves consequências, como o infarto agudo do miocárdio, e os acidentes cérebro vasculares, que necessitam de atendimento o mais rápido possível.

Pensando nisso, a Clínica Viver de Imagens Médicas convidou a Dra Sandra Marques e Silva, médica cardiologista do Hospital de Base e Presidente da Sociedade de Cardiologia e doenças do Coração para orientações à estes pacientes.

Conheça como funciona e para que serve o exame de Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais!

Como o coronavírus afeta o coração?

Através da agressão direta às células cardíacas, causando uma inflamação, chamada miocardite, e da formação de coágulos, que podem obstruir as artérias, causando infartos.

Você quer saber por que o coronavírus causa doenças mais graves em pacientes hipertensos?
Assista ao vídeo!

A Clínica Viver

Nós, da Clínica Viver, com unidades na Asa Sul e agora em Taguatinga, consideramos que, acima de tudo, a informação é sua melhor companheira na busca por uma vida saudável.

Estamos sempre à disposição para responder suas dúvidas. Será um prazer cuidar da sua saúde.

Fazemos exames que ajudam a detectar o estreitamento das artérias ou potenciais bloqueios causados por placa.
O Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais analisa as carótidas, que são artérias que passam pela região do pescoço, originadas na curvatura torácica da aorta e direcionando-se ao encéfalo. São de fácil acesso ao ultrassom, permitindo analogia com as outras artérias de nosso corpo, de mais difícil acesso. A maior parte dos exames de Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais apresenta resultados normais, isto é, sem patologias graves encontradas. A principal função dos exames de imagem é justamente perceber qualquer problema em fase inicial de desenvolvimento, o que aumenta consideravelmente a chance de sucesso no tratamento.

Quais doenças podem ser identificados pelos exames da Clínica Viver?

Em uma pesquisa feita pelo exame de Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais podem ser identificados ou avaliados:

  • Estenoses Carotídeas
  • Placas nas Artérias Carótidas Internas
  • Estenoses das Artérias Vertebrais
  • Dissecação Carotídea
  • Tumores de Corpo Carotídeo (Paragangliomas)
  • Ateromatose de Carótidas

Agradecemos seu interesse por nosso conteúdo. Acompanhe todos os nossos textos e vídeos a fim de ter mais informações sobre sua saúde.

Além disso, oferecemos vídeos com informações importantes em nosso canal de saúde, no Youtube.

Trombose: sintomas, diagnóstico e tratamento

A trombose é uma doença grave causada por um coágulo sanguíneo que pode bloquear o fluxo sanguíneo de determinada região, ou até mesmo se deslocar pela corrente sanguínea e afetar órgãos vitais como o pulmão. 

As consequências de uma trombose não tratada podem ser letais, mas, ainda assim, muitas pessoas não conhecem todas as variações de trombose e seus sintomas, confundindo o problema com um quadro de varizes. 

Neste artigo vamos explicar como a trombose é causada, os tipos, sintomas, como funciona o diagnóstico e o tratamento. Acompanhe a leitura. 

Causas 

Quando sofremos algum tipo de ferimento na pele, por exemplo, e o sangue começa a escorrer, é possível reparar que em alguns minutos cria-se uma espécie de crosta mais escura no lugar do ferimento para prevenir que a perda de sangue continue. Esse processo natural do corpo humano é conhecido como coagulação sanguínea. 

O coágulo serve para parar sangramentos e reparar tecidos danificados. Porém, algumas pessoas podem apresentar distúrbios que produzem coágulos no interior dos vasos sanguíneos mesmo quando não há sangramento. Esse tipo de coágulo, conhecido como trombo, pode interferir no fluxo de sangue ao entupir as veias ou até mesmo se deslocarem pela corrente sanguínea e causarem danos graves a órgãos. 

Segundo o Ministério da Saúde, os fatores de risco para o desenvolvimento da trombose são:

  • uso de anticoncepcionais ou tratamento hormonal;
  • tabagismo;
  • ficar sentado ou deitado por muito tempo;
  • hereditariedade;
  • gravidez;
  • presença de varizes;
  • idade avançada;
  • pacientes com insuficiência cardíaca;
  • tumores malignos;
  • obesidade;
  • distúrbios de hipercoagulabilidade hereditários ou adquiridos;
  • história prévia de trombose venosa.
trombose-sintomas-diagnostico-tratamento
Trombose: sintomas, diagnóstico e tratamento

Muitos desses fatores podem ser eliminados facilmente com hábitos saudáveis como boa alimentação e prática frequente de exercícios físicos. 

Leia também:

O que acontece se eu não tratar as varizes?

Tipos da trombose

  • Trombose Aguda

Trata-se do tipo menos grave de trombose. Ocorre quando o próprio corpo combate o coágulo, dissolvendo-o e desentupindo as veias sem deixar sequelas. Nesses casos, o problema não evolui para quadros graves.

  • Trombose Crônica 

Ocorre quando o corpo tenta dissolver os coágulos, mas, no processo, deixa sequelas destruindo estruturas das válvulas e prejudicando o fluxo sanguíneo normal. Nesses casos há o aparecimento de inchaço, varizes e outros sintomas visíveis. 

Formas da trombose

  • Trombose Venosa Profunda

Formação de coágulo sanguíneo nas veias das pernas ou outras partes inferiores do corpo. 

  • Trombose arterial

Quando os coágulos se formam em artérias, bloqueando o fluxo sangue totalmente. 

  • Trombose hemorroidária

Quando há formação de coágulos por causa de uma hemorroida na região do ânus. 

Conheça em mais detalhes como é feito o ecodoppler venoso de membros inferiores aqui na Clínica Viver e agende seu exame!

Sintomas da trombose

A trombose, muitas vezes, pode ser assintomática. É comum não haver qualquer sintoma evidente nos casos de trombose venosa profunda, por exemplo. Por isso é importante se atentar a pequenos detalhes e manifestações que podem ser um indício de coágulos interferindo na circulação sanguínea.

Os principais aspectos a serem observados são:

  • Dor;
  • Calor;
  • Vermelhidão;
  • Rigidez da musculatura na região afetada;
  • Inchaço em uma das pernas, que vai aumentando ao longo do tempo;
  • Veias mais visíveis na pele devido à maior dilatação;
  • Sensação de peso.

Diagnóstico da trombose

O diagnóstico é feito em consulta médica para que o quadro seja avaliado de maneira clínica. Para confirmar os diagnóstico, o médico pode solicitar exames de sangue, ultrassom, venografia e outros. 

Veja alguns exemplos de exames específicos que podem identificar a trombose e seus sintomas quando se deslocam para os órgãos.

  • Ecodoppler do Fígado – indicado para a avaliação de distúrbios vasculares no fígado, principalmente na hipertensão portal, causada pela cirrose hepática, na oclusão da veia porta por trombose ou tumor, e na oclusão das veias hepáticas.
  • Ecodoppler de Membro Superior (Arterial e Venoso) – por meio deste exame é possível encontrar coágulos no interior de veias dos braços (trombose).
  • Ecodoppler de Membro Inferior (Arterial e Venoso) – tem como objetivo encontrar coágulos no interior de veias da perna (trombose), que podem se soltar para os pulmões, causando embolia pulmonar. 
  • Ecodoppler de Veia Cava Inferior – é o exame que avalia o fluxo sanguíneo na veia cava inferior, com o objetivo principal de verificar a presença de trombos em seu interior.

Tratamento da trombose

Após devidamente diagnosticado, o tratamento da trombose é feito com remédios anticoagulantes que diminuem a viscosidade do sangue e facilitam a dissolução do coágulo. Além disso, os remédios previnem que o problema ocorra novamente e permitem que o corpo dissolva o coágulo sem deixar sequelas, como nos casos de trombose crônica. 

No entanto, os medicamentos devem ser prescritos por um médico qualificado depois de uma avaliação cuidadosa. 

A Clínica Viver realiza vários exames capazes de identificar a trombose ainda seu estágio inicial. Para agendar um, ou conhecer outros exames que realizamos, clique aqui! 

retangulo exames

Osteoporose: o que é e quais são os sintomas

Osteoporose: o que é?

A osteoporose é uma doença em que ocorre a perda da massa óssea, fazendo com que os ossos fiquem frágeis e porosos, tornando-se consequentemente mais sensíveis e quebradiços. Essa condição geralmente se desenvolve em pessoas mais velhas e atinge principalmente mulheres. 

Pessoas com osteoporose ficam mais suscetíveis a fraturas nos ossos. E como é uma doença mais comum em pessoas idosas, uma série de riscos podem estar envolvidos. Por exemplo, uma mulher mais velha quando fratura um osso demora muito tempo para conseguir recuperar a saúde completa dele. Além disso, as fraturas podem levar à embolias para o pulmão,  causando um quadro grave.

Sintomas da osteoporose

A osteoporose não é uma doença que possui muitos sintomas. De maneira geral, ela pode causar fortes dores na coluna. Fora isso, ela geralmente é descoberta depois da fratura de algum osso.

Os principais sintomas da osteoporose são: 

  • Retração gengival;
  • Diminuição da força de preensão;
  • Diminuição da altura corporal;
  • Dor nas costas;
  • Formigamento nas pernas;
  • Deformidade da coluna;
  • Dor no pescoço;
  • Dor no quadril.

Por isso é importante realizar exames de prevenção anualmente, como a densitometria óssea, para identificá-la, ainda, em seu estágio inicial.

Tratar e prevenir a osteoporose

A osteoporose não tem cura, portanto exige uma série de cuidados durante a vida inteira do paciente. Para o controle da doença é indicada a ingestão de alimentos ricos em cálcio. Isso porque o cálcio é um dos grandes responsáveis pela resistência e força dos ossos. Dentre os alimentos recomendados podemos citar: 

  • Soja;
  • Leite e derivados;
  • Folhas escuras;
  • Tofu;
  • Castanha-do-pará.

Além dos alimentos citados, existem diversos outros ricos em cálcio que são acessíveis e podem ser incluídos na sua dieta. 

Apesar da alimentação correta ser importante, há outros fatores que devem ser considerados para o tratamento da doença. A vitamina D, por exemplo, é essencial para preservar a saúde óssea. O nutriente é importante quando se trata de fortalecer e nutrir os ossos. Além disso, quando necessário, o médico pode passar suplementos vitamínicos para tratar a doença. Também é importante manter uma rotina de exercícios leves em dia.

Tudo o que foi pontuado anteriormente como forma de tratamento também pode ser usado como método de prevenção da doença. 

Principais causas

Como citado anteriormente, a doença é causada por meio da perda excessiva de massa óssea, que geralmente ocorre conforme a pessoa vai envelhecendo. Além disso, existem alguns fatores que aumentam a chance de desenvolver esta doença,  que são: tabagismo, baixa exposição solar, sedentarismo, baixa ingestão de cálcio e vitamina D, consumo exagerado de café e refrigerantes,  ser do sexo feminino e menopausada, e ter pais que tiveram osteoporose

Osteoporose: o que é e quais são os sintomas
A osteoporose é uma doença em que ocorre a perda da massa óssea

Osteoporose e pós menopausa: qual a relação?

Depois da menopausa a mulher diminui consideravelmente a produção de estrogênio. A  ausência do hormônio, portanto, torna os ossos ainda mais porosos que o normal. Não é à toa que, de acordo com a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a doença atinge um homem a cada quatro mulheres atingidas. 

Diagnóstico da osteoporose: densitometria óssea

A osteoporose, como apontado anteriormente, geralmente não apresenta muitos sintomas. Por isso é necessário que pessoas idosas tomem cuidado redobrado quando se trata da doença. 

A densitometria é um exame que serve como uma forma de avaliação dos minerais presentes nos ossos. Inclusive, a densitometria óssea pode detectar o estágio antecedente à osteoporose, chamado osteopenia.. Quando descoberta a tempo, a doença pode ser contornada por meio dos tratamentos indicados pelo médico.

Devido a esses fatores o exame deve ser incluído nos exames de check-up anual de pessoas com mais de 50 anos, principalmente quando se trata das mulheres. 

Como é feito o exame?

O exame é realizado por meio de um aparelho chamado densitômetro.  Por isso, é rápido, seguro e indolor — de maneira geral, dura de 5 a 10 minutos. 

———————————————————————————————————————————————————————————

Como está sendo o seus cuidados com a saúde óssea? Já incluiu a densitometria no seu check-up? Lembre-se: o exame deve ser feito anualmente, com o objetivo de detectar sinais precoces da osteoporose. Dessa forma, sua saúde óssea será preservada, assim como a qualidade de vida. 

Caso tenha o pedido de exame em mãos, marque-o agora com a Clínica Viver. Confira aqui a lista de convênios que atendemos ou marque o seu exame particular.

Cuidados com transporte público em tempos de Covid-19

Embora a recomendação dos órgãos de Saúde, em tempos de Covid-19, seja evitar transitar pelas cidades, muitas pessoas precisam trabalhar, ir ao mercado e realizar outras atividades fora de casa que demandam, muitas vezes, do uso do transporte público. Mas como se proteger nos ônibus e nos metrôs, onde circulam pessoas vindo de tantos lugares diferentes?

Nós trouxemos os cuidados essenciais na hora de usar o transporte público. Confira!

Ao sair de casa

O primeiro passo para se cuidar em sua trajetória, é começar a proteção desde a saída de casa. Portanto, siga essas recomendações:

Use máscara

A máscara é essencial na hora de sair de casa, pois ela te ajudará a se proteger da exposição direta a gotículas ao seu redor. Ela deve ser de  uso individual, cobrir totalmente a sua boca e o seu nariz e ficar bem ajustada ao rosto.

Ainda, recomenda-se usar uma máscara descartável em caso de suspeita de coronavírus, ter outra reserva para trocá-la sempre que estiver molhada, não tocar a parte da frente da máscara com as mãos, não deixá-la presa no pescoço e guardá-la dentro de um saco de papel ou plástico perfurado na bolsa para evitar a sua exposição a outros objetos.

Leve o seu álcool em gel na bolsa

É primordial que você tenha com você um frasco de álcool em gel 70% para poder higienizar as mãos, os seus objetos pessoais, como o celular, e superfícies de contato enquanto estiver na rua ou no transporte público.

No transporte público

Depois de sair de casa equipado com tudo que precisa, é importante se atentar para os cuidados que deve ter na rua e no transporte público. Veja só:

Evite tocar a boca, os olhos e o nariz

Seja no metrô ou no ônibus, não tem jeito. Para garantir a mobilidade dentro do transporte público, é preciso segurar em barras de apoio, que mesmo que fossem higienizadas constantemente, ainda assim seriam perigosas. São inúmeras pessoas usando o mesmo ônibus ou vagão do metrô todos os dias e passando germes para esses locais. Por isso, a atenção deve ser redobrada ao se usar o transporte público.

Mantenha a distância de, pelo menos, 1,5m de outras pessoas

No transporte público, pode ser complicado conseguir ficar longe de outras pessoas, por isso, caso seja possível, que tal procurar horários alternativos para evitar as aglomerações? Uma outra solução é esperar um próximo ônibus ou metrô mais vazios.

Abra as janelas dos ônibus

Se você irá transitar pela cidade de ônibus, busque abrir as janelas para manter o ônibus bem ventilado. Assim, você contribui com todos, visto que ambientes fechados estão mais propícios à transmissão do vírus.

Cubra a boca ao tossir ou espirrar

Bateu aquela vontade de tossir ou espirrar no transporte público (ou em qualquer outro lugar)? Lembre-se de cobrir a boca com a parte interna do braço, assim, você evita que as gotículas do seu espirro ou tosse se espalhem pelo espaço.

Use o álcool em gel

Subiu ou desceu do transporte público? Higienize as suas mãos com o álcool em gel que você levou na bolsa. Assim, você se protege contra as superfícies que tenha tocado, como as barras de apoio.

Ao chegar ao seu destino, lembre-se de higienizar as mãos com álcool em gel ou com água e sabão, respeitando as técnicas recomendadas pelos órgãos de Saúde para uma higienização mais completa.

Ao chegar em casa

Após um dia de circulação pela cidade e uso do transporte público, é importante você tomar alguns cuidados em casa. Portanto, siga essas dicas:

  • Descarte a sua máscara, caso ela seja descartável;
  • Coloque a sua máscara para lavar, caso ela seja de pano;
  • Coloque as suas roupas para lavar; e
  • Tome um banho antes de ter qualquer contato com seus familiares.

Caso queira saber os cuidados completos para se ter ao chegar em casa, clique AQUI e veja as dicas da Clínica Viver de Imagens Médicas para você.