Principais exames do coração e para que servem

 

Nós já falamos por aqui no blog da Clínica Viver sobre os principais exames de coração, especificando como funciona cada um deles.

E hoje você verá não só os exames mais usuais na hora de checar a saúde do coração, mas sim quais os objetivos de cada um deles, com o apontamento dos casos em que cada um é indicado.

Boa leitura!

Principais exames do coração e para que servem

Confira uma lista com os principais exames de coração e quais são as doenças, ou problemas cardíacos, que podem ser descobertos através de cada um deles.

1. Exames laboratoriais

Os exames laboratoriais são aqueles feitos a partir da análise bioquímica de amostras corporais, como sangue, urina e fezes; a partir do que poderão ser identificados diversos fatores que impactam a nossa saúde como um todo, especialmente o sistema cardiovascular.

Por meio dos exames laboratoriais é possível diagnosticar e monitorar, por exemplo, como andam, por exemplo:

  • as taxas de gordura no sangue, com a avaliação do colesterol total e suas frações (HDL e LDL) e triglicerídeos. 
  • a quantidade de açúcar no sangue, para prevenção do diabetes, com a medição da glicemia.

Veja também

Dor no peito é sempre sinal de problemas cardíacos?

2. Raio X de tórax

Partindo para os exames de imagem, temos o raio X de tórax, que é importante para avaliar diversas estruturas do tórax, inclusive o coração.

Ele é indicado para avaliar o tamanho e o formato do coração, o que é importante para investigar, por exemplo, quadros de insuficiência cardíaca.

Outra função desse exame é investigar a possibilidade de deposição de cálcio na artéria aorta.

3. Eletrocardiograma

O eletrocardiograma é um dos principais exames do coração por conta da sua capacidade de investigar alterações elétricas, que se reflitam no ritmo e na frequência dos batimentos. 

Por meio dele, é possível diagnosticar problemas como arritmias ou infarto.

4. MAPA

O exame de MAPA (monitorização ambulatorial da pressão arterial) é outro exame fundamental para avaliação da saúde cardiovascular, neste caso a avaliação da pressão alta ao longo de 24 horas.

O exame é útil para confirmar alterações pressóricas com mais segurança, ao longo da rotina diária do paciente, já que monitora a pressão inclusive durante o sono.

5. Holter

O Holter também é um exame de longa duração, porém, ele não avalia a pressão arterial, mas sim o ritmo e a frequência do coração.

Sendo similar ao eletrocardiograma, o exame também ajuda a diagnosticar alterações nos batimentos cardíacos, porém de forma mais prolongada (24 horas), visando captar possíveis alterações que não seriam percebidas numa avaliação rápida em consultório.

O exame de Holter é útil para acompanhar paciente em uso de marcapasso cardíaco, monitorar a resposta de medicamentos, entre outras utilidades.

6. Ecocardiograma

Sendo basicamente um ultrassom do coração, o ecocardiograma é solicitado por cardiologistas que desejam verificar as condições do funcionamento do órgão.

A partir dele pode-se diagnosticar, por exemplo, insuficiência e sopros cardíacos, alterações nas câmaras do coração e nos  vasos, além de tumores no coração.

Veja também

Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

7. Teste ergométrico

Conhecido também como teste do esforço, esse exame tem a função de analisar as respostas do coração diante de um esforço físico controlado e gradual.

Esse exame é útil para determinar a capacidade cardiovascular do(a) paciente para a prática de atividades físicas, estabelecer risco cirúrgico, investigar suspeitas cardíacas, entre outras.

8. Ecodoppler de carótidas e vertebrais 

Este exame é um ultrassom das artérias que saem do coração e passam pelo pescoço em direção ao cérebro,  levando o sangue oxigenado à este; as artérias carótidas e vertebrais. 

Através desse ultrassom podemos avaliar se há placas de gordura nestas artérias, qual o grau de obstrução,  se existem estreitamentos ou dilatações (aneurismas) , e assim determinar o tratamento, que pode ser medicamentoso ou cirúrgico. 

Além disso, é  possível medir a espessura da parede da artéria carótida , e determinar se o paciente tem aumento do risco cardiovascular,  devendo fazer mudanças no estilo de vida e uso de estatinas.

Onde realizar seus exames do coração em Brasília?

Os exames do coração citados acima são os mais importantes para investigar, diagnosticar e acompanhar a saúde do seu coração e fazem parte do chamado check-up cardiológico, que devem ser feitos de forma regular, especialmente para pessoas a partir dos 40 anos ou que possuam fatores de risco, como histórico de doença cardíaca, hipertensos, sedentários, obesos, entre outros.

Nesse sentido, conte com a Clínica Viver para realizar seus exames de imagem!

Nosso time de profissionais, experientes e atenciosos, e nossa estrutura moderna vão garantir os diagnósticos mais precisos e seguros para você e sua família.

Se você está no Distrito Federal ou Entorno, clique no link abaixo e agende sua avaliação e venha se cuidar conosco!

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NA VIVER

Derrame pericárdico: causas e tratamento

 

Além das patologias comumente associadas ao coração, como isquemias, arritmias e insuficiência cardíaca, também existem aquelas que não são tão desconhecidas da maioria das pessoas, mas que também são perigosas.

É o caso do derrame pericárdico, uma condição que acomete o coração, trazendo riscos para o funcionamento do órgão e, por consequência, para a vida do paciente.

Confira mais sobre o que é o derrame, quais são as suas causas, sintomas e como é o tratamento.

Boa leitura!

O que é derrame pericárdico?

Para entender o que é derrame pericárdico, é necessário saber o que é o pericárdio e qual é a sua função em nosso corpo.

O pericárdio é uma membrana que envolve o coração em sua parte externa, criando uma espécie de parede entre o órgão e o restante do corpo. Dentro dessa membrana, líquidos são armazenados, servindo como lubrificante para o coração, facilitando seus batimentos.

Fonte: Minuto Biológico

Quando contraímos alguma doença ou condição que tem como uma de suas causas o estímulo da produção do líquido do pericárdio, temos a condição chamada de derrame pericárdico.

Ou seja, o derrame pericárdico é a condição em que a produção de líquido no pericárdio se torna excessiva, levando a um aumento da pressão sobre o órgão e atrapalhando o funcionamento das artérias.

Quais são as causas e sintomas do derrame pericárdico?

As principais causas do derrame pericárdico são as doenças que geram infecções na membrana, fazendo com que a produção do líquido aumente

Esse tipo de infecção recebe o nome de pericardite e tem como principais causadoras as seguintes doenças:

  • tuberculose;
  • colagenose;
  • metástases tumorais;
  • artrite reumatoide;
  • lúpus;
  • hipotiroidismo;
  • insuficiência renal.

Além dessas condições, o uso de medicações para controlar pressão alta também pode ser a causa da pericardite.

Já os sintomas do derrame pericárdico variam conforme o grau da infecção, que faz com o que acúmulo de líquido seja baixo ou mais alto, confira quais são os principais deles:

  • dificuldade para respirar;
  • sensação de cansaço, principalmente deitado;
  • dor do lado esquerdo do peito;
  • tosse;
  • febre;
  • aumento do ritmo dos batimentos.

Veja também

Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

Como é o diagnóstico e o tratamento do derrame pericárdico?

A partir da suspeita gerada pelos sintomas, o médico irá solicitar um ecocardiograma, o exame mais preciso para identificar o derrame pericárdico.

A partir do diagnóstico, a gravidade da condição será analisada. Se considerada branda, o tratamento envolverá o uso de medicamentos para controlar o quadro.

Entre as medicações possivelmente indicadas, estão a aspirina, o ibuprofeno e alguns corticóides, como a prednisolona.

Por outro lado, se o derrame pericárdico diagnosticado for considerado de mais alto risco para o funcionamento cardíaco, o tratamento poderá envolver outros tipos de procedimentos, como:

  • Pericardiectomia: remoção de um parte ou da totalidade do pericárdio, sendo uma alternativa em casos mais graves.
  • Drenagem pericárdica: procedimento para drenar o excesso de líquido e reparar possíveis lesões que possam ter causado o derrame.
  • Pericardiocentese: drenagem do líquido, porém de forma menos invasiva, sendo feita apenas através da inserção de uma agulha e um cateter no pericárdio.

Veja também

7 exames que avaliam a saúde do coração

Quais são as possíveis complicações do derrame pericárdico?

As possíveis complicações do derrame pericárdico se relacionam à insuficiência cardíaca, por conta da pressão exercida pelo líquido que está em excesso.

Essa insuficiência pode levar a paradas cardiorrespiratórias, sendo essa a consequência mais grave do derrame.

Cuide do seu coração na Clínica Viver!

Para que problemas como o derrame pericárdico sejam descobertos em seu estágio inicial, é necessário estar atento à saúde do seu coração.

A melhor forma de fazer isso é através da realização do check-up cardiológico regular.

Se você está em Brasília e tem exames solicitados, clique no botão abaixo e venha realizar seus exames conosco!

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NA VIVER 

Por que o infarto causa mais mortes entre as mulheres?

Sendo uma das principais causas de morte no Brasil e no mundo, alguns problemas de coração preocupam mais o público feminino, já que o infarto causa 50% mais mortes em mulheres que nos homens.

Hoje você vai conferir qual é a motivo desse elevado número, quais são os principais causadores do infarto entre as mulheres, os seus sintomas e como você pode se prevenir.

Boa leitura!

Por que as mulheres morrem mais de infarto?

O infarto causa mais mortes entre as mulheres por conta de uma junção de fatores. Confira quais são os principais deles:

  • Menor calibre das artérias do coração, podendo ser “fechadas” com maior facilidade.
  • Queda natural na produção do estrogênio, após a menopausa sendo que o hormônio é responsável por evitar o acúmulo do colesterol ruim (LDL) , elevar o colesterol bom (HDL), e dilatar as artérias. 
  • Maiores índices de ansiedade, depressão e sedentarismo.
  • A chamada “doença do coração partido”; patologia que acomete 90% mais as mulheres, causada por situações de estresse profundo, como o falecimento de uma pessoa próxima.
  • Doença vasoespástica, problema que também aparece com superioridade em mulheres, sendo gerado pela contração involuntária da artéria coronária. 
  • Doença microvascular, quando vasos de menor tamanho são acometidos por lesões involuntárias, também presente em maior número em mulheres.

Todas as doenças e condições apresentadas acima, além de serem desenvolvidas em maior número por mulheres, têm o infarto como uma de suas consequências.

O que causa o infarto em mulheres?

Os causadores de doenças cardiovasculares nas mulheres são em sua maioria os mesmos que os homens, porém, quando as condições são somadas aos fatores apresentados acima, o infarto torna-se mais frequente.

Confira quais são esses causadores:

  • Tabagismo.
  • Hipertensão arterial.
  • Diabetes.
  • Níveis elevados de colesterol.
  • Casos de infarto na família.

Outro fator a ser considerado é que entre as mulheres o diabetes, a hipertensão e o tabagismo representam maior risco de desenvolvimento de doenças do coração quando os mesmos comportamentos são observados em homens.

Veja também

Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

Sintomas do infarto nas mulheres

O infarto em mulheres pode ter sintomas diferentes dos homens, isso porque no público feminino eles podem não parecer relacionados ao coração.

Eles costumam ser classificados em dois grupos: típicos e atípicos. Os primeiros são os mais comuns também nos homens, mas são os últimos (atípicos) que são os mais perigosos, já que podem confundir a paciente e fazê-la não achar que o problema tem a ver com o coração.

1. Sintomas típicos

  • Dor ou desconforto do tipo “aperto” na região do peito, podendo irradiar para o braço esquerdo, para as costas e até para o rosto.
  • Suor frio.
  • Palidez.
  • Falta de ar.
  • Sensação de desmaio.

2. Sintomas atípicos

  • Dor abdominal, semelhante a quadros gástricos, como refluxo, esofagite ou gastrite.
  • Enjoo.
  • Mal-estar generalizado.
  • Cansaço excessivo sem causa aparente.

Veja também

6 sintomas que podem indicar problema no coração

Como se prevenir do infarto

Agora que você já sabe por que o infarto causa mais mortes entre as mulheres, é fundamental também saber que a prevenção é o melhor caminho para evitar o desenvolvimento da condição.

Entre os cuidados para prevenir o infarto estão aqueles indicados para todas as outras condições cardiovasculares.

Entre os principais cuidados de prevenção, estão:

  • Não fume
  • Cuidado com a pressão alta
  • Controle o colesterol e os triglicerídeos
  • Fique atento quanto ao diabetes
  • Realize atividades físicas regularmente
  • Mantenha seu peso ideal
  • Mantenha uma alimentação saudável e equilibrada
  • Evite bebidas alcoólicas em excesso
  • Fuja do estresse e da ansiedade
  • Faça check-up com cardiologista regularmente

Veja também

7 exames que avaliam a saúde do coração

Acompanhe a saúde do seu coração na Clínica Viver

Como vimos, diversos motivos podem tornar o infarto uma ameaça ainda maior para as mulheres do que para os homens. No entanto, com cuidados básicos no dia a dia, é possível minimizar bastante esse risco.

E um dos cuidados mais importantes é manter as consultas médicas e os exames regulares, na forma do check-up cardiológico.

Se você está no Distrito Federal ou Entorno e tem exames solicitados, clique agora no link abaixo e venha cuidar da sua saúde conosco!

QUERO AGENDAR MEUS EXAMES NA VIVER

Por que fazer check-up cardiológico?

Segundo dados da Sociedade Brasileira de Cardiologia, os problemas relacionados ao coração são a principal causa de morte em nosso país.

Mesmo com essa evidente gravidade, as patologias cardiológicas têm um importante aliado em seu combate, o diagnóstico precoce, que pode ser realizado através da identificação das doenças durante o check-up cardiológico.

Saiba mais sobre essa importante bateria de exames e porque você deve fazer o check-up cardiológico, boa leitura!

O que é e por que fazer check-up cardiológico?

O check-up cardiológico é um conjunto de exames que visam avaliar a condição de saúde do seu coração e de outros componentes do corpo ligados a ele, como as artérias.

Como a maioria das doenças do coração apresentam sintomas apenas quando o quadro já é grave, a melhor forma de saber se você está desenvolvendo alguma delas é através de uma seleção de exames realizados em conjunto que oferecem informações sobre a saúde cardiovascular.

Você sente dores no peito? Saiba se elas se relacionam aos problemas cardíacos:

Dor no peito é sempre sinal de problemas cardíacos?

Quando fazer check-up cardiológico?

Não existe um período definitivo que indique o momento que você deve realizar o check-up cardiológico, isso dependerá principalmente da sua condição de saúde.

Pessoas que se possuem algum dos fatores de risco a seguir devem se acostumar a fazer o check-up desde o início da vida adulta:

  • Histórico familiar de doença cardiológica;
  • Obesidade;
  • Hipertensão;
  • Diabetes;
  • Colesterol alto.

Também se incluem nos fatores de risco alguns hábitos de vida, como tabagismo, alcoolismo, sedentarismo e má alimentação.

Se você não se enquadra ao grupo de risco, é recomendado que o check-up cardiológico seja agregado aos seus exames de rotina anuais, a partir dos 35 anos para homens e 40 para mulheres.

Pensando em procurar um médico cardiologista? Saiba se é o momento certo:

Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

Exames do check-up cardiológico

Agora que você já sabe o que é e qual é a importância do check-up cardiológico, confira os principais exames que fazem parte dele:

1. Exames de laboratório

Os exames laboratoriais são uma excelente fonte de material para o início de uma investigação da saúde do coração, a partir da coleta de sangue é possível analisar os seguintes resultados que se relacionam ao órgão:

  • Glicemia em jejum;
  • Níveis de colesterol;
  • Triglicerídeos.

2. Eletrocardiograma

Provavelmente quando você pensa em exames ligados à verificação do coração, o eletrocardiograma é o que vem em sua mente.

Fundamental para uma checagem e o começo de um diagnóstico aprofundado, o procedimento é realizado através de eletrodos fixados no tórax do paciente.

Eletrocardiograma

Nesse exame, será possível avaliar o ritmo do coração, se ele possui algum distúrbio na condução elétrica, sobrecargas de artérias e válvulas e isquemias cardíacas.

3. Teste ergométrico

Similar ao eletrocardiograma, no teste ergométrico, conhecido também como teste do esforço, eletrodos são fixos ao tórax dos pacientes. Porém, esse exame, ao contrário do anterior, é realizado em movimento, podendo ser em uma esteira ou bicicleta ergométrica.

Por que fazer check-up cardiológico?

Através do controle dos batimentos e da pressão arterial durante o procedimento, é possível indicar se o paciente possui algum problema do coração quando submetido a um grande esforço físico.

4. Exames complementares

Além dos 3 principais exames citados, o médico responsável também pode incluir no check-up cardiológico outros exames complementares, como o MAPA e o Holter.

O MAPA – Monitoramento Ambulatorial da Pressão Arterial – mede durante 24 horas a pressão arterial do paciente em ambiente externo ao da clínica.

MAPA 24h

Já o Holter verifica, nas mesmas 24 horas, o ritmo cardíaco através de eletrodos fixos ao paciente durante o período.

Por que fazer check-up cardiológico?
Exame Holter 24h

Conheça outros exames relacionados a avaliação do coração:

7 exames que avaliam a saúde do coração

Faça check-up na Clínica Viver!

Como você viu, o check-up cardiológico engloba os principais exames que possibilitam o diagnóstico precoce de problemas no coração.

Se você está em Brasília e deseja cuidar da saúde desse órgão vital para o funcionamento do seu corpo, não deixe de conhecer a Clínica Viver.

Possuímos toda a infraestrutura necessária para que você seja bem atendido e realize os seus procedimentos com tranquilidade. 

Agende já os seus exames aqui!