Como saber se é hora de procurar um cardiologista?

Por:
Como saber se é hora de procurar um cardiologista?
20 de agosto de 2021 Dra. Nubia
Como saber se é hora de procurar um cardiologista!

O mais comum é as pessoas procurarem um cardiologista somente quando estão com algum problema cardíaco ou ao menos com uma suspeita. Além disso, boa parte das pessoas enxerga o cardiologista somente como aquele profissional que acompanha a saúde de idosos.

Mas não é bem assim!

A cardiologia é uma especialidade importante em todas as fases da nossa vida, devido ao grande risco trazido pelas doenças cardiovasculares, que costumam ser silenciosas e não dar muitos sinais, até que estejam graves.

Nas próximas linhas você vai conhecer os sinais indicativos de que é hora de procurar um cardiologista e os riscos de não fazer isso.

Confira a leitura e aprenda a se proteger!

Quando é hora de procurar um cardiologista?

Quando falamos dos cuidados necessários para manter a saúde do coração e dos vasos sanguíneos, existem duas formas básicas de prevenção:

  • Prevenção primária: conjunto de cuidados – incluindo consultas, exames e mudanças de hábitos – que visam prevenir o surgimento de doenças e alterações, como no caso dos check-ups regulares, especialmente nos casos em que há a presença de fatores de risco.
  • Prevenção secundária: acompanhamento regular e periódico  de quadros cardiovasculares que já estão ocorrendo, a fim de reverter ou evitar possíveis complicações.

Principais sinais de problemas cardiovasculares

As doenças relacionadas ao sistema cardiovascular, em geral, costumam ser silenciosas e não darem muitos sinais, até que o quadro já esteja avançado e grave. Esse, inclusive, é tido pelos especialistas como um dos principais fatores que fazem com que essas doenças provoquem tantas mortes.

Porém, alguns sinais podem bons indicativos de que você precisa procurar um cardiologista, como:

  1. Dor no peito (especialmente do tipo peso e aperto).
  2. Falta de ar mesmo aos pequenos esforços.
  3. Cansaço excessivo sem motivo.
  4. Palpitações e batimentos cardíacos irregulares.
  5. Desmaios.
  6. Suor frio.
  7. Pele pálida ou azulada.
  8. Enjoo ou falta de apetite constante.
  9. Tosse seca duradoura.
  10. Urinar muitas vezes durante a noite.
  11. Inchaço em pernas, tornozelos e pés.
  12. Dores de cabeça sem causa aparente.
  13. Dor no pescoço e região do maxilar.

Alguns são mais frequentes que outros, com destaque para dor no peito, falta de ar, cansaço, tonturas e desmaios. Porém, todos eles podem indicar que há algo de errado com o seu coração.

Vale lembrar que esses sintomas podem também estar presentes em diversos outros quadros não relacionados ao coração, mas é sempre importante estar atento.

Caso você note a presença desses sintomas – principalmente de forma combinada –, essa é uma boa hora para procurar um cardiologista. Assim, você poderá eliminar a possibilidade de problemas no coração ou, se for o caso, já começar um acompanhamento e tratamento.

Aprenda a identificar quando uma dor no peito pode ser sinal de problema no seu coração, acessando este artigo do nosso Blog:

Dor no peito é sempre sinal de problemas cardíacos?

Como saber se tenho um problema cardiovascular?

Como dissemos, a maioria das doenças cardiovasculares se desenvolvem de maneira lenta, progressiva e silenciosa.

Por isso, para garantir uma boa prevenção ou diagnóstico precoce, o ideal é se manter em dia com check-ups periódicos com o cardiologista, especialmente se houver fatores de risco, como veremos a seguir.

Além disso, não demore a procurar um cardiologista, assim que notar a presença de alguns dos sintomas listados acima, independentemente de idade ou fatores de riscos.

Os check-ups anuais em geral são indicados a partir dos 40 anos, para prevenir doenças ou identificá-las logo no seu início, já que os problemas cardiovasculares se tornam mais frequentes à medida que envelhecemos.

Porém, se apresenta fatores de risco, esse acompanhamento deve começar ainda mais cedo. São consideradas fatores de risco cardiovascular as seguintes condições:

  • Idade avançada.
  • Diabéticos.
  • Histórico familiar de hipertensão.
  • Histórico familiar de colesterol elevado.
  • Obesos.
  • Fumantes.
  • Consumo elevado de álcool.
  • Estresse, depressão ou ansiedade.
  • Histórico familiar de problemas cardiovasculares.

O histórico familiar é um dos principais indicadores porque, mesmo pessoas saudáveis, sem nenhum dos outros fatores listados, podem apresentar problemas no coração por terem casos na família.

Portanto, se você ainda não conhece seu histórico familiar, é importante ir atrás de informações sobre pais, avós e tios, por exemplo.

Veja, neste artigo, por que o ecocardiograma é um exame tão importante e conheça as doenças que ele pode detectar:

Ecocardiograma transtorácico: 8 doenças que podem ser detectadas!

Para cuidar do coração: não se esqueça dos exames!

Neste artigo, você conheceu os sinais indicativos de que é hora de procurar um cardiologista, bem como os fatores de risco mais importantes para se manter atento e proteger a saúde do seu sistema cardiovascular.

Se você (ou alguém próximo) tem apresentado algum desses sintomas ou pertence aos grupos de maior risco, não perca tempo e busque logo uma avaliação o quanto antes. Como vimos, os problemas cardiovasculares avançam de forma progressiva e silenciosa, e precisam ser tratados de forma precoce, para evitar complicações.

Juntamente com as consultas, a realização dos exames cardiológicos é parte fundamental para esse cuidado. 

Para isso, conte com a Clínica Viver. Dispomos de uma estrutura moderna e um time de profissionais experientes e atenciosos, prontos para cuidar da sua saúde.

Caso você esteja em Brasília ou Entorno, venha cuidar da saúde do seu coração conosco!

Quero agendar meus exames na Viver!