Como cuidar da saúde mental durante a pandemia do coronavírus

O distanciamento social, a falta do trabalho diário, da atividade física costumeira e as informações negativas com as quais somos bombardeados diariamente são uma mistura que pode ser perigosa para nossa saúde mental durante a pandemia do coronavírus. 

Tudo o que foge à nossa rotina pode nos causar estresse e até mesmo precipitar quadros de ansiedade e depressão.

Por isso, é importante procurarmos manter nosso equilíbrio, tão fundamental nestes tempos de incertezas. Neste artigo, listamos algumas medidas que podem te ajudar a se fortalecer psicologicamente e a manter o equilíbrio emocional durante esse período de quarentena e isolamento social. Acompanhe. 

Limite o tempo assistindo a noticiários

Limitar o tempo que você e sua família passam assistindo notícias alarmantes na televisão ou em redes sociais é extremamente importante. Manter-se bem informado é superimportante, mas o segredo é o equilíbrio. Ficar o dia inteiro recebendo notícias tristes não vai te fazer bem. 

Portanto, delimite um período de tempo para assistir as notícias e saber o que está acontecendo. Escolha algum período do dia para se atualizar. Fora daquele momento, não ocupe sua cabeça com isso. 

Tome cuidado com as Fake News

Informe-se sempre com fontes confiáveis, como a Organização Mundial de Saúde, por exemplo. Na internet é muito fácil divulgar informações falsas que trazem cenários apocalípticos e podem causar terror na população. 

Tenha uma rotina

Procure criar uma rotina, com horário de acordar, fazer as refeições, exercícios físicos, e dormir. Dessa forma você mantém seu corpo e sua mente sempre ocupados, evitando muito tempo ocioso favorável para o desenvolvimento de ansiedades. Ter um objetivo e uma rotina diária é uma das melhores e mais simples estratégias para “manter a cabeça no lugar” mesmo na quarentena. 

Ritual do sono

Ao se preparar para dormir, tome um banho quente, desligue o celular e mantenha o ambiente mais escuro e silencioso. Chás relaxantes, como erva cidreira, camomila e capim santo são muito recomendados.

Dormir bem continua sendo um fator essencial para a sua saúde mental. Leve a sério seu sono e crie uma rotina de sono para desacelerar seu ritmo antes de ir para a cama. 

Cuidado com os entorpecentes

Entorpecentes podem se tornar muito requisitados em momentos de crise já que as pessoas ficam mais propensas a procurar por uma válvula de escape. Mas cuidado! Apesar da sensação de bem estar imediata, o uso de entorpecentes pode piorar a sua situação ao criar uma dependência. 

Não fume, não use bebidas alcoólicas ou drogas para lidar com suas emoções. Se se sentir muito ansioso ou deprimido, procure um especialista. Muitos estão fazendo consultas virtuais.

Pratique exercícios físicos

Não deixe de praticar algum exercício físico. Mesmo em casa podem ser realizados exercícios orientados por professores em redes sociais, como Instagram e Facebook, ou por aulas disponíveis no Youtube. Muitas são gratuitas. O mais importante é se manter ativo. Use o que você tem à sua disposição. 

Os exercícios físicos liberam hormônios de bem-estar e, além de manterem seu corpo saudável, sua mente também se beneficiará grandemente da prática. 

Mantenha contato com família e amigos

Manter boas relações sociais é essencial para nossa felicidade. Não deixe de manter contato com a família e amigos. Use a tecnologia a seu favor: faça chamadas de vídeo ou mande mensagens, mas não fique sozinho(a) e totalmente isolado(a) das pessoas que você gosta. 

Alimente-se de maneira saudável

Procure se alimentar de maneira saudável, com muitas frutas e vegetais. A nossa tendência, quando estamos ansiosos, é nos alimentar com alimentos doces e gordurosos. A questão é que nosso corpo e mente respondem de acordo com nossa alimentação. Se você só comer alimentos não saudáveis, vai ser ainda mais difícil se sentir bem. 

Priorize atividades lúdicas que gerem emoções positivas

Faça leituras e assista filmes com conteúdo alegre e leve, que te motivem. Descubra o prazer de fazer um prato especial, cuidar de plantas, mesmo em pequenos vasos, desenhar, e outras atividades manuais que você goste.

Cultive sua espiritualidade

Se você tem religião, aproveite para se conectar com Deus ou outras divindades de sua preferência. Muitos padres, pastores, e orientadores espirituais transmitem rituais religiosos em vários horários. Caso não tenha religião, procure ter pensamentos e vibrações positivas.

Seja solidário

Procure ser solidário com os idosos. Muitos moram sozinhos. Se puder, ofereça para fazer compras ou ir à farmácia. Ajudar a quem precisa é também um forma de se manter ativo durante a quarentena. E além disso, não há melhor recompensa do que ajudar ao próximo, não é mesmo?

Acima de tudo, tenha em mente que esta situação é temporária! Não se desespere. Cuide do seu corpo, da sua mente e das pessoas mais próximas. Vamos sair dessa juntos. Até a próxima!

Cuidados com a casa em tempos de coronavírus

Mesmo dentro de casa, em quarentena, é importante adotar boas práticas de higiene e segurança para se prevenir e proteger sua família do contágio pelo novo Coronavírus, o Sars-CoV-2. 

Dentre as medidas de prevenção contra o Coronavírus mais conhecidas estão o hábito de lavar as mãos com água e sabão frequentemente, evitar tocar o rosto com as mãos não lavadas e o distanciamento social. 

Essas recomendações são muito importantes para conter o avanço do vírus. Porém, muitas pessoas podem pensar que elas são as únicas providências necessárias e, caso estejam de quarentena em casa, acabam deixando passar batido outras orientações essenciais para que o isolamento social funcione – os cuidados com a casa.  

Neste artigo vamos trazer alguns cuidados básicos que você deve ter com a sua casa em tempos de coronavírus. Vamos lá?

Calçados

Delimite uma área suja, onde deve ter um banquinho para que você retire os sapatos ao entrar em casa. A ideia é não trazer para dentro de casa microorganismos que estiveram em contato com seus calçados na rua. Ao destinar uma área específica para retirar os sapatos e deixá-los ali, você previne que toda a casa fique exposta a vírus e bactérias patológicas. 

Roupas e itens pessoas

  • Deixe sua bolsa, carteira e chaves em um recipiente próximo à entrada;
  • Limpe o celular e óculos com sabão e água ou álcool;
  • Antes de falar com seus familiares, retire suas roupas (devem ser lavadas com água e sabão) e tome um banho;

Essas medidas, assim como a dos calçados, tem o objetivo de não trazer para dentro de casa possíveis microorganismos patológicos, como o novo coronavírus (Covid-19). 

Toda vez que você sai de casa, está exposto ao contágio. Alguns estudos comprovam que o coronavírus pode sobreviver até 3 dias em algumas superfícies. Por isso é tão importante evitar trazer para dentro de casa objetos e itens pessoais que estiveram em contato com o exterior. Se trouxer, higieníze-os.

Evite elevadores

Se você mora em apartamento, prefira subir pelas escadas. Os elevadores são instalações de uso comum, portanto, mais suscetíveis ao acúmulo de vírus e microorganismos. Nesse contexto, vale a pena utilizar escadas ao invés de elevadores. 

Cuidados com as compras

Ao voltar do supermercado, faça uma higienização dos produtos antes de consumí-los ou guardá-los na dispensa. Embalagens devem ser descartadas ou higienizadas com água e sabão ou álcool em gel.

Os produtos nos supermercados também entram em contato com muitas pessoas diferentes e podem carregar consigo o agente transmissor do coronavírus. 

Higiene da casa

Manter sua casa sempre limpa e bem ventilada faz muita diferença como método de prevenção – faça a limpeza da casa com água e sabão, desinfetante ou uma solução de água sanitária e água comum (proporção de 1 para 9). Lembre-se: atenção especial à maçanetas, descargas, e torneiras. Como a maioria das pessoas está trabalhando de casa, em profissão home office, esse é um item importante e que deve-se estar atento.

Cuidado com os produtos de limpeza

Produtos de limpeza podem ajudar muito no combate ao coronavírus, mas é importante prestar atenção nas medidas de segurança e armazenamento de cada um deles. Uma boa recomendação é não misturar vários produtos de limpeza diferentes, pois pode ocorrer reações químicas e a liberação de substâncias tóxicas.

Agora você já sabe como cuidar da sua casa durante a pandemia coronavírus. É importante que você siga as instruções dos órgãos responsáveis, como o Ministério da Saúde, dentro e fora de casa.

Recapitulando o que você precisa fazer: quando sair de casa, tome os cuidados necessários com os calçados, roupas e itens pessoais, evite instalações utilizadas por muitas pessoas diferentes (como elevadores) e redobre os cuidados com higiene da casa, mantendo-a sempre limpa e bem ventilada.  

10 mitos e verdades sobre o Coronavírus

A pandemia de Coronavírus pegou todo mundo de surpresa. Por ser um vírus novo, ainda existe muita desinformação a respeito dos sintomas, tratamento e prevenção.

Pensando nisso, neste artigo resolvemos trazer 10 mitos e verdades sobre o Coronavírus para esclarecer as suas principais dúvidas sobre essa pandemia. Acompanhe. 

1. A doença é causada por um novo tipo de vírus

Verdade

O vírus Sars-Cov-2 (nome oficial) pertence a uma família de vírus que apresenta a forma de uma esfera com espinhos, semelhante a uma coroa, e que já causaram outras epidemias respiratórias como a SARS em 2002 e a MERS em 2012. Porém, esse tipo de coronavírus é totalmente novo em humanos. Por isso a dificuldade em desenvolver vacinas e remédios. 

2) O Coronavírus foi fabricado em laboratório

Mito

O coronavírus parece ter surgido em um mercado de animais silvestres em Wuhan, na China. Sabe-se que o seu código genético é muito semelhante aos vírus encontrados em morcegos e pangolins (uma espécie de tatu). Provavelmente o vírus foi transmitido para o homem através da ingestão de carne de pangolim, tendo o morcego como hospedeiro intermediário. Nesse processo o vírus deve ter sofrido uma mutação para atingir células humanas.

3) O Coronavírus é transmitido de pessoa para pessoa

Verdade

O Coronavírus é transmitido de pessoa para pessoa em pequenas partículas que são lançadas no ar por meio de tosse ou espirro, toque ou aperto de mão. Quando estas partículas caem, contaminam as superfícies, dependendo do local, por horas ou até mesmo dias.

4) Os sintomas da infecção pelo coronavírus são semelhantes  aos de uma gripe

Verdade

Febre, tosse e falta de ar. Alguns pacientes podem apresentar coriza, dor de garganta, dificuldade para engolir, e perda do olfato e paladar. De maneira geral, os sintomas são muito semelhantes aos de uma gripe comum. O agravante é o comprometimento do sistema respiratório, gerando falta de ar. 

5) Devo procurar um médico caso apresente qualquer sintoma de gripe

Mito

Para evitar a superlotação dos hospitais e, tendo em vista que o grupo de risco são pessoas a partir dos 60 anos, recomenda-se procurar um médico apenas quando apresentar febre por mais de 24 horas, ou falta de ar, independentemente de haver ou não febre. Nos demais casos, a recomendação é ficar em casa até se recuperar. 

6) Somente idosos podem desenvolver quadros graves

Mito

Os pacientes com mais de 60 anos são mais propensos a desenvolverem quadros graves com a infecção pelo coronavírus, no entanto, pessoas com outras doenças associadas, como diabetes, hipertensão, doença cardíaca, doença pulmonar, portadores de câncer, e pacientes em uso de medicamentos imunossupressores, também representam um grupo de risco para a doença. 

7) Usar máscara é uma boa medida de prevenção

Verdade

O Ministério da Saúde recentemente recomendou o uso de máscaras caseiras, feitas de tecido, com dupla face, para quando for sair de casa. A máscara é de uso individual, e pode ser usada por 2 horas, por isso, ao sair, levar mais de uma máscara para trocar, e uma embalagem para guardar a máscara usada. Ao chegar em casa, lavar a máscara usada com água sanitária.

8 ) O coronavírus pode causar malformações  ao bebê durante a gestação

Mito 

Até agora,  todos os estudos realizados até agora em recém nascidos de mães portadoras de coronavírus não demonstraram nenhum tipo de malformação fetal. 

9) A prevenção é feita por medidas de higiene e isolamento social

Verdade

Como ainda não existem vacinas, a prevenção deve ser feita com medidas de higiene e isolamento social. As medidas de higiene são:

  • Lavagem frequente das mãos com água e sabão, e quando não for possível, o uso de álcool gel 70%;
  • Usar lenço descartável para a higiene do nariz;
  • Cobrir a boca e nariz ao espirrar e tossir;
  • Evitar tocar nos olhos, boca ou nariz;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal;
  • Manter os ambientes ventilados.

10) A cloroquina e azitromicina curam o Coronavírus

Mito

Segundo a Sociedade Brasileira de Infectologia, até o momento não existe medicamento comprovadamente seguro e eficaz para ser usado contra a infecção pelo coronavírus, e ela considera este tratamento como uma terapia de salvamento experimental, com importantes efeitos colaterais cardíacos e na retina. Vários estudos clínicos estão sendo conduzidos com esta e outras drogas no Brasil e no mundo.

Notícias falsas sobre o Coronavírus

No meio de uma crise, muitos boatos e crenças populares são difundidos como verdadeiros. No desespero de encontrar soluções, é comum que as pessoas apelem para tradições populares e métodos pouco científicos. Para evitar que você caia em alguma notícia falsa sobre a pandemia, separamos 10 notícias falsas sobre o Covid-19. 

  • Gargarejos de água com vinagre matam o vírus;
  • Água prateada , ou seja água com prata coloidal elimina o vírus (falso, e pode causar uma intoxicação;
  • Homeopatia trata a doença;
  • Vitamina C e própolis ajudam a prevenir o vírus; 
  • Chá de abacate com mel ou chá de hortelã previnem a infecção pelo coronavírus;
  • Lavar as mãos com água e sabão não é tão eficaz quanto o álcool gel;
  • A vacina para influenza diminui o risco de contágio do coronavírus;
  • Antibióticos previnem contra a infecção pelo coronavírus;
  • Alho protege contra o coronavírus.

Espero que este artigo tenha esclarecido alguns mitos quanto ao novo Coronavírus. Lembre-se de seguir as orientações do Ministério da Saúde e dos especialistas. 

Sintomas do AVC e como diagnosticar

Você sente dores de cabeça associadas à fraqueza, dormência no rosto e vômitos? Estes podem ser sintomas do AVC (Acidente vascular cerebral), quando ocorre o interrompimento dos vasos responsáveis por levar sangue ao cérebro, paralisando-o.

Também conhecida como acidente vascular encefálico (AVE) ou derrame cerebral, a doença pode ser prevenida e até identificada em estágios iniciais, reduzindo o risco de sequelas do AVC.

Para saber mais sobre os diferentes tipos de AVC, como diagnosticar e se prevenir, continue lendo!

Tipos e sintomas do AVC

Existem dois tipos de acidente vascular cerebral (AVC): o AVC hemorrágico e o AVC isquêmico. Acompanhe a diferença entre cada um a seguir.

AVC hemorrágico

O AVC hemorrágico consiste no sangramento cerebral derivado do rompimento de uma artéria ou de um vaso sanguíneo, provocando, portanto, a hemorragia cerebral. Dentre as principais causas do AVC hemorrágico, estão: hipertensão arterial, problemas de coagulação do sangue e traumatismos

Sintomas do AVC hemorrágico

A sua incidência é menor do que a do AVC isquêmico, porém a sua gravidade é maior e deve-se atentar aos sinais da doença. Os sintomas de um AVC hemorrágico estão associados à perda neurológica súbita e geralmente se manifestam em forma de:

  • Dores de cabeça fortes e repentinas;
  • Fraqueza em um dos lados do corpo;
  • Dormência no rosto, mãos e pernas;
  • Alterações visuais;
  • Edemas cerebrais;
  • Aumento da pressão intracraniana; e
  • Náuseas e vômitos.

AVC isquêmico

Já o AVC isquêmico, que é mais comum, é derivado da obstrução de uma ou mais artérias, provocando a falta de circulação em alguma região do cérebro e a morte de células cerebrais. Ocorre, principalmente, devido a quadros de trombose e embolia

Sintomas do AVC isquêmico

A doença é um alerta principalmente para pessoas fumantes, que tenham diabetes, níveis de colesterol elevados, hipertensão arterial e/ou problemas vasculares. E os seus sintomas se assemelham aos do AVC hemorrágico, porém, também podem se manifestar das seguintes formas:

  • Tonturas;
  • Confusão mental;
  • Alterações de memória;
  • Dificuldades na comunicação oral e na compreensão; e
  • Formigamento em um dos lados do corpo.

Como se prevenir de um AVC?

É preciso se atentar aos sinais de um possível AVC, mas é igualmente importante entender os fatores de risco e adotar hábitos saudáveis para se prevenir do surgimento da doença.

Fatores de risco

Os principais fatores de risco do AVC são referentes ao estilo de vida e aos problemas de saúde, conheça alguns:

  • Hábitos que são fatores de risco: sedentarismo, estresse, má alimentação, sobrepeso e obesidade, tabagismo, uso de drogas e excesso de bebidas alcoólicas.
  • Problemas de saúde que são fatores de risco: hipertensão, diabetes tipo 2 e colesterol alto.

Além disso, ter histórico familiar e ser do sexo masculino também são fatores de risco.

Formas de prevenção

  • Adote um estilo de vida saudável;
  • Pratique atividades físicas regularmente;
  • Mantenha a pressão e os níveis de glicose sob controle; e
  • Procure manter uma alimentação balanceada.

Como diagnosticar um AVC?

O AVC é uma emergência médica e é necessário ter o atendimento hospitalar assim que os sinais se manifestarem. Porém, é possível identificar sinais com a realização de exames periódicos, como o Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais.

Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais

O Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais é um exame indolor que analisa as artérias  carótidas e vertebrais  artérias responsáveis pelo transporte de sangue rico em oxigênio para o cérebro.

O exame é realizado, principalmente, para identificar alterações iniciais  aumentando as possibilidades de tratamento e cura. 

Conheça mais sobre a importância do Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais na prevenção do AVC no vídeo abaixo, com a Dra. Nubia, Médica Radiologista da Clínica Viver.

Quem deve realizar o exame?

Principalmente pessoas que estão entre os fatores de risco, ou seja, com mais de 50 anos de idade, que tenham hábitos ou condições de risco, como o fumo e a obesidade, por exemplo, e em casos de histórico familiar.

Portanto, cuide de sua saúde realizando os seus exames periodicamente e encontre uma Clínica com profissionais dedicados e com experiência. Estes serão essenciais para a melhor realização de seus exames, diagnósticos e tratamentos.

Na Clínica Viver, você realiza o seu Ecodoppler de Carótidas e Vertebrais, além de outros exames de diagnóstico para manter a sua saúde em dia.

cta clinica viver agende seu exame
Agende seus exames na Clínica Viver de Imagens Médicas!

Leia também:

A Importância dos Exames de Doppler Vascular

A Importância do Ecodoppler de Carótidas na Prevenção do AVC