Autoexame das mamas: por que e como fazer

Por:
Autoexame das mamas: por que e como fazer
16 de outubro de 2020 Dra. Nubia
Autoexame das mamas por que e como fazer

O autoexame das mamas é um procedimento realizado pela própria mulher, sendo importante tanto para seu autoconhecimento quanto para que seja possível identificar possíveis alterações nas mamas.

Apesar de ser uma avaliação apenas complementar e não substituir os exames tradicionais de investigação, como a mamografia, o autoexame exerce um importante papel para a observação de alterações de cor nas mamas, presença de nódulos, saída de secreção ou mesmo mudanças no formato das mamas.

Mas isso só é possível se ela tiver o hábito regular de avaliar a si mesma.

Pelo relato das mulheres, a gente sabe que no início pode ser um pouco difícil aprender como realizar corretamente o autoexame, até por desconhecimento do próprio corpo. E para te ajudar nessa tarefa, criamos este texto com muitas informações.

Siga a leitura! 

Por que devo fazer o autoexame das mamas? 

Dados do INCA mostram que mais de 60% dos casos de câncer de mama são descobertos pela própria mulher.

Como dissemos no início, o autoexame é uma forma de conhecer seu próprio corpo e também de se manter vigilante quanto a qualquer mudança que surja em suas mamas, podendo buscar tratamento o quanto antes.

E isso só é possível quando a mulher se acostuma a avaliar regularmente as próprias mamas e percebe qual o seu padrão de textura, coloração, formato, composição e densidade das mamas. É isso que torna possível a ela perceber quando algo deixou de ser como era antes.

Obviamente, uma das grandes preocupações das mulheres ao realizar o autoexame é o câncer de mama. O que se justifica pelos dados que mostram ser este o segundo tipo de câncer mais prevalente em mulheres no mundo.

Porém, por mais volumosos que sejam os casos, é uma doença que tem tratamento e prognósticos de recuperação muito altos, acima de 95% caso seja diagnosticado em seus estágios iniciais. 

Para isso, o autocuidado e a frequência regular nas avaliações médicas são fundamentais. 

Leia mais:

Outubro Rosa – Clínica Viver e a Saúde das Mamas

Como fazer o autoexame das mamas? 

Para que você se acostume a fazer o exame é preciso tempo e prática. Não será na primeira vez que você vai conseguir avaliar adequadamente. Mas isso é normal.

Para que você veja na prática como deve realizar o exame, a Dra. Núbia, da equipe Viver, preparou um vídeo tutorial com o passo a passo completo. Acompanhe a seguir!

 

A partir de que idade devo fazer o autoexame?

O autoexame é recomendado para todas as mulheres a partir dos 20 anos, podendo ser iniciado, porém, ainda na adolescência.

O ideal é que a mulher realize essa avaliação todos os meses.

A escolha do dia para realizar o autoexame também é importante: recomenda-se que seja feito cerca de 7 a 10 dias após o primeiro dia do ciclo menstrual. Essa recomendação é feita porque, durante o período menstrual, algumas mamas podem ficar mais “encaroçadas” e sensíveis, podendo confundir o resultado do autoexame. 

Com quais sinais devo me preocupar no autoexame?

Caso você perceba qualquer tipo de nódulo ou caroço nas mamas, durante o autoexame, entre em contato com seu ginecologista ou mastologista. É importante lembrar que encontrar um nódulo nas suas mamas não significa necessariamente que você tem um câncer de mama.

Na realidade, grande parte dos nódulos encontrados nessa área são benignos. Porém, especialmente para mulheres a partir dos 40 anos, perceber nódulos nos seios é uma ocorrência importante e deve ser avaliada pelo médico o quanto antes. 

Os nódulos malignos geralmente costumam ser endurecidos e fixos, não se movimentando mesmo com a manipulação da mama. 

Além da presença de nódulos, alterações de cor, tamanho, formato e textura das mamas e mamilos também são fatores que pedem atenção.

Caso você perceba alguma vermelhidão, diferença de tamanho entre as mamas (que não era assim antes), deformações, descamação ou secreção (aquosa ou sanguinolenta) nos mamilos, procure o quanto antes o mastologista ou o ginecologista. 

Só o autoexame é o suficiente? 

Não! Pesquisas indicam que boa parte das mulheres brasileiras acreditam que o autoexame seja suficiente para atestar a saúde das mamas. Mas o fato é que, através da palpação das mamas, é possível perceber apenas nódulos maiores que 1 cm aproximadamente. 

A mamografia, por outro lado, é o exame mais eficiente para o diagnóstico de câncer de mama, sendo capaz de captar nódulos milimétricos, bem como microcalcificações no tecido mamário, possibilitando um diagnóstico mais precoce que qualquer outro exame

A ecografia mamária também é capaz de notificar e analisar nódulos bem pequenos e apresenta a vantagem de poder ser realizada em pacientes de todas as idades, uma vez que não há emissão de radiações. 

O autoexame das mamas, aliado às consultas de rotina são sua melhor prevenção contra o câncer de mama. 

Leia mais: 

Ecografia Mamária ou Mamografia: qual o melhor exame para você? Entenda!

Como posso me prevenir?

Depois que você aprendeu por que e como fazer o autoexame das mamas, é importante saber que os cuidados mais específicos serão dados pelo seu médico.

Não apenas durante o Outubro Rosa, mas durante todo o ano, a Clínica Viver tem como missão oferecer aos nossos pacientes um tratamento humano e ético, sempre garantindo um diagnóstico seguro.

A Clínica Viver é referência na realização de mamografias, sendo certificada com o selo de qualidade em mamografia pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e pelo Instituto Nacional do Câncer. 

Caso você esteja em Brasília e queira ficar em dia com sua prevenção, agende sua consulta conosco.

 

Leia também: 

5 doenças que acometem mais as mulheres