Cisto no Ovário é Perigoso? Problemas no Ovário – Parte 1

Cisto no Ovário é Perigoso? Problemas no Ovário – Parte 1
23 de fevereiro de 2019 Dra. Nubia
Cisto no ovário é perigoso

Cisto no ovário é perigoso?

Cisto no ovário é perigoso? Com cisto de ovário se pode engravidar? Cisto no ovário atrasa a menstruação? Cisto ovariano pode vira câncer? São muitas as dúvidas que recebemos, por isso vamos tratar deste assunto.

Como se trata de um assunto extenso, nós o  dividiremos em uma série de 3 artigos.

Primeiramente, saiba que na maior parte das vezes, os cistos no ovário que têm sintomas são benignos, e que os tumores ovarianos malignos geralmente crescem silenciosamente, sem sintomas aparentes.

Se preferir assistir o vídeo sobre cistos de ovário, que a Dra. Nubia preparou sobre o assunto, clique abaixo.

 

O que são cistos?

Antes de tudo, é importante definirmos o que são cistos.

Os cistos são bolsas de líquido que podem existir em vários locais do corpo, como mama, fígado, tireoide e rins, além de ovários.

Quando o cisto estiver localizado nos ovários será chamado de cisto ovariano ou, similarmente, cisto de ovário.

 

cisto de ovário

Cistos de Ovário

O cisto de ovário que se desenvolve em mulheres na idade reprodutiva, isto é, entre os 20 aos 40 anos. Ele normalmente é benigno e relacionado ao ciclo menstrual.

Os principais sintomas do cisto no ovário, quando presentes, são dor abdominal e irregularidade no ciclo menstrual. Isso pode representar um problema, visto que estes sintomas são parte da rotina da mulher, e muitas vezes passam despercebidos.

Já os cistos malignos são mais frequentes após a menopausa e não têm sintomas, na maior parte das vezes. Isso torna os cistos nos ovários perigosos, fazendo com que sejam descobertos somente em estágios mais avançados.

Os sintomas, quando ocorrem, são inespecíficos, como dor abdominal, sensação de estômago cheio mesmo que com a ingestão de pequenas quantidades de alimentos, sangramento vaginal e necessidade urgente de urinar.

 

Cistos Funcionais

Os cistos de ovário mais comuns são chamados de cistos funcionais. Eles são menos sérios, já que são relacionados à ovulação, e costumam regredir espontaneamente.

Os principais cistos funcionais, assunto da primeira parte dessa série de artigos sobre cistos no ovário, são categorizados como:

 

  1. Cistos foliculares

Ocorrem quando o folículo, que é um pequeno cisto com o óvulo em seu interior, não se rompe durante o processo de ovulação e acumula líquido em seu interior.

Geralmente medem entre 3 cm a 6 cm e desaparecem espontaneamente, pois estão relacionados ao ciclo menstrual.

Normalmente, não causam sintomas, a não ser quando maiores que 6 cm, já que nessa situação podem se romper, causando dor abdominal.

Na ultrassonografia aparecem como uma bolinha preta, homogênea, com conteúdo apenas liquido.

 

2. Cistos de corpo lúteo

São aqueles que ocorrem após a ovulação e produzem progesterona, um hormônio que prepara o útero para receber o embrião.

Geralmente são assintomáticos, a não ser quando maiores que 5 cm, quando, por causa de seu volume, podem causar dor no baixo ventre.

Os cistos de corpo lúteo costumam apresentar regressão espontânea em até 3 semanas.

Na ultrassonografia com dopplerfluxometria, este tipo de cisto ovariano apresenta um aspecto muito característico, que é a presença de artérias formando um anel em volta do cisto.

 

3. Cistos hemorrágicos

É o cisto de corpo lúteo em que ocorreu um pequeno sangramento em seu interior. Na grande maioria das vezes, não é necessária intervenção, já que também costumam regredir espontaneamente e podem causar um dor discreta no baixo ventre, do lado afetado.

Igualmente, quando maiores que 6 cm, podem vir a se romper, derramando líquido na cavidade abdominal, o que pode causar dor intensa.

Na ultrassonografia, o cisto hemorrágico apresenta conteúdo espesso, com um aspecto de teia de aranha em seu interior.

O principal diagnóstico diferencial entre o cisto hemorrágico e o cisto endometriótico é justamente causar dor discreta na parte de baixo do ventre.

 

Resumo

Bom, nesta primeira parte, ficamos com os seguintes conceitos:

  • O cisto no ovário caracterizado como cisto funcional é normalmente benigno e não se transforma em câncer.
  • Além disso, só apresentam sintomas quando maiores que 6 cm.
  • Na grande maioria das vezes, regridem sem tratamento específico.
  • Seu diagnóstico é feito pela ultrassonografia.

No próximo artigo, falaremos dos cistos de ovário não funcionais. Clique para acessá-lo.

 

A Clínica Viver

Nós, da Clínica Viver de Brasília, consideramos que, acima de tudo, a informação é sua melhor companheira na busca por uma vida saudável.

Estamos sempre à disposição para responder suas dúvidas, ainda que você não esteja em Brasília.

Oferecemos, igualmente, vídeos com informações importantes em nosso canal de saúde, no Youtube.

Se você está em Brasília, estamos sua disposição. Será um prazer cuidar da sua saúde.

A Clínica Viver de Imagens Médicas, em Brasília, tem os mais modernos aparelhos de ultrassonografia, mamografia digital e densitometria óssea. Igualmente, realizamos punções de tireoide e mama, além de biópsias.

Além disso, temos profissionais experientes e preparados para consultas nas especialidades de Endocrinologia, Ginecologia, Obstetrícia e Mastologia, a fim de cuidar de seus exames e da sua saúde.

Ligue para a Viver. Conseguimos agendar sua consulta e/ou exame até para o mesmo dia.

Gostou de saber mais sobre cisto no ovário? Leia, igualmente, as partes 2 e 3 da série sobre problemas no ovário:

  • 2 – Cistos Não Funcionais e
  • 3 – Câncer de Ovário.

Comente, pergunte e, acima de tudo, participe das nossas discussões.

Aguardamos e agradecemos sua participação.

 

Se precisar, de ultrassonografias, densitometrias, mamografias, tomografia, endoscopias ou biópsias em Planaltina-DF e região, procure a Clínica Afetus.

A Clínica Afetus também oferece consultas de gastroenterologia, cirurgia geral, ortopedia, clínica médica, mastologia, ginecologia e obstetrícia, angiologia, cirurgia vascular, cardiologia, reumatologia, urologia, neurologia em Planaltina/DF.

Comentários (0)

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*