Ovários Micropolicísticos (Síndrome): o que é, sintomas e tratamento

Por:
Ovários Micropolicísticos (Síndrome): o que é, sintomas e tratamento
4 de novembro de 2020 Dra. Nubia
Destaques, Doenças
Síndrome dos Ovários Micropolicísticos

A Síndrome dos Ovários Micropolicísticos ou policísticos, também chamada de SOP, é responsável por 30 a 40% dos casos de infertilidade, pela grande maioria dos casos de amenorreia, que é a ausência de menstruação, e pelos ciclos menstruais irregulares.

Além disso, esta síndrome responde por cerca de 80% dos casos de aumento de pelos na face, seios e queixo das mulheres, o hirsutismo.

Acompanhe esse artigo que preparamos para você sobre o assunto!

Diferença entre ovários micropolicísticos, policísticos e a Síndrome dos Ovários policísticos (SOP)

Uma confusão comum entre as mulheres é entender a diferença entre ter ovários policísticos e ter sido diagnosticada com a síndrome do ovário policístico (SOP).

Ovários policísticos se referem a uma imagem de ultrassom dos ovários que parecem ser policísticos (ovários contendo alta densidade de folículos parcialmente maduros).

A SOP é uma condição metabólica que pode ou não vir com ovários policísticos. Na verdade, para ser diagnosticada com SOP, uma mulher precisa ter 2 dos seguintes itens:

  1. Ovários policísticos aparecem na ultrassonografia.
  2. Períodos menstruais irregulares.
  3. Aumento do hormônio masculino no exame de sangue ou sintomas associados, como crescimento de pelos ou acne.

Portanto, se uma mulher tem período menstrual irregular e hormônio masculino acima do normal, ela pode ter SOP sem que seus ovários sejam micropolicísticos.

O que é a Síndrome dos Ovários policísticos? 

É uma doença que se caracteriza pelo aumento dos hormônios masculinos nas mulheres, principalmente da testosterona e da androstenidiona. Estes hormônios, na síndrome,  produzidos principalmente nos ovários, sob comando da hipófise.

Por isso, como os pequenos folículos não se desenvolvem, a ovulação não ocorre. Formam-se vários pequenos cistos na periferia dos ovários, que dão um aspecto bem característico nas ultrassonografias.

Síndrome dos Ovários policísticos

Calcula-se que este problema atinja entre 7 e 8% da população feminina em fase fértil.

Sintomas da Síndrome dos Ovários Micropolicísticos (SOP)

Sem ovulação, a menstruação ou não ocorre ou fica extremamente irregular. Por isso, e pelas diversas condições que acompanham a síndrome, a SOP demanda tratamento.

São problemas comuns, relacionados à Síndrome dos Ovários Micropolicísticos:

  • A redução na frequência das menstruações, que normalmente passa a ocorrer em intervalos maiores que 35 dias, que chamamos de oligomenorreia.
  • Hemorragias também são comuns nessa situação.
  • O hirsutismo, aumento nos pelos na face, seios, queixo , tórax e abdome, é bastante comum na SOP.
  • Casos de acne,  seborreia, alopecia (queda de cabelos) principalmente nas áreas frontal e temporal.
  • A infertilidade é outra queixa bastante frequente nas pacientes com Síndrome dos Ovários Micropolicísticos, visto que resulta da falta de ovulação.
  • Há, também, maior tendência ao abortamento precoce em comparação com a população em geral.
  • A Síndrome dos Ovários Micropolicísticos também produz complicações nas gravidezes, como diabetes gestacional, pré-eclâmpsia e partos prematuros.
  • A distribuição da gordura tende a acumular-se na região central do corpo, a gordura androide,  que é a mais prejudicial.
  • Na Síndrome dos Ovários Micropolicísticos ocorre também a resistência à insulina, que faz com que a glicose aumente no sangue, causando obesidade, aumento do colesterol e hipertensão, a chamada Síndrome Metabólica. As pacientes tem também maior risco de desenvolver diabetes tipo 2.
  • As mulheres com esta patologia podem apresentar, ainda, Acantose Nigricans, que são manchas escuras nas axilas, mamas, nuca e face interna .

Diagnóstico da Síndrome dos Ovários policísticos

O diagnóstico é feito por meio de exames clínico, pela análise de histórico descrito pela paciente; de imagem, no caso, ecografias pélvicas ou transvaginais; e exames de laboratório, como pesquisa da dosagem de testosterona, androstenediona, LH e FSH.

É importante salientar que a mera identificação de ovários micropolicísticos nas imagens das ecografias não é suficiente para o diagnóstico da Síndrome dos Ovários Micropolicísticos. Além disso, a paciente deve apresentar também anovulação (ausência de ovulação) ou hiperandrogenismo (excesso de hormônios masculinos), comprovados por exame clínico ou laboratorial.

Veja o video que a Dra Núbia preparou sobre este assunto.

Tratamento para Ovários policísticos (síndrome)

Na definição do tratamento, é importante saber se a paciente deseja ou não a gravidez.

Para as pacientes que não desejam engravidar, utilizam-se anticoncepcionais, preferencialmente os que têm propriedades anti-androgênicas.

Para combater a infertilidade, a primeira escolha é o citrato de clomifeno, visto que é um indutor da ovulação. As gonadotrofinas são alternativamente indicadas nas pacientes que não respondem ao citrato de clomifeno.

O hirsutismo é tratado com espironolactona ou com finasterida, anticoncepcionais anti-androgênicos.

Para os casos de diabetes relacionada à Síndrome dos Ovários Micropolicísticos, por resistência à insulina, utiliza-se a metformina.

Em todos os casos, é muito importante salientar a importância de uma dieta adequada e exercícios físicos, para fins de redução de peso, já que algumas pacientes conseguem retornar a ter uma ovulação normal apenas com a perda de peso.

Clínica Viver de Imagens Médicas, em Brasília, já se consolidou como referência em exames por imagens, porque preza pela experiência e credibilidade de seu corpo clínico, pelo constante aperfeiçoamento das suas equipes médicas e de atendimento, e pela disponibilidade de equipamentos de última geração.

Nossos Compromissos

Nosso compromisso é proporcionar a quem nos procura um atendimento humano e ético, garantindo um diagnóstico seguro e rápido.

Nós dispomos de ambiente amplo e confortável, composto de grande área de recepção e espera, com área para crianças e 3 banheiros. Temos 9 salas de ultrassonografia (ecografia), sendo uma delas com ecógrafo para ecodoppler fetal, além de mamografia digital e densitometria óssea.

Todos os nossos equipamentos são recentes e de última geração. Veja nossas instalações em fotos normais e 360º.

Temos, também, consultórios para fazer punções, guiadas por ultrassonografia, de mama, linfonodos, parótida e tireoide.

Além disso, nossa equipe de mamografia, ecografia e punção mamária (PAAF de Mama ou Core Biopsy de Mama) conta com profissionais altamente qualificados, treinados para as particularidades do atendimento ao público feminino. Oferecemos, ainda, consultas médicas de Endocrinologia, Mastologia, Ginecologia e Obstetrícia.

Prezamos pela agilidade na marcação de consultas e exames, assim como na entrega dos resultados. Nossos laudos ecográficos são entregues minutos após o término do exame, enquanto os laudos de mamografias e densitometrias ósseas, em até 3 dias, sempre com checagem dupla.

Teremos grande prazer em receber você na nossa clínica.

Agradecemos seu interesse por nosso conteúdo sobre Síndrome dos Ovários Micropolicísticos. Acompanhe todos os nossos textos e vídeos a fim de ter mais informações sobre sua saúde.

Comente, pergunte, participe das nossas discussões.

Se precisar de exames de ultrassonografias, densitometrias, mamografias, tomografia, endoscopias ou biopsia em Planaltina-DF e região, procure a Clínica Afetus.

Comentários (0)

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*