Endometriose – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento

Endometriose – Sintomas, Diagnóstico e Tratamento
4 de setembro de 2018 Dra. Nubia
Avatar
Destaques, Doenças
endometriose

A Endometriose é uma doença bastante comum nas mulheres. Ela é identificada pela presença de tecido endometrial, a camada que reveste o útero internamente, fora da cavidade uterina. Esse tecido pode ser encontrado nos ovários, trompas, ligamentos, intestino e bexiga.

Causas da Endometriose

Existem 2 hipóteses para se explicar essa condição:

  • A primeira diz que esta se deve à menstruação retrógrada, condição condição em que uma parte do sangue menstrual volta pelas trompas, caindo na cavidade abdominal e se implantando nos órgãos pélvicos.
  • A segunda é a chamada teoria imunológica, em que as células de defesa, ao invés de removerem as células endometriais, parecem estimular o seu desenvolvimento.

E o mais provável é que essas duas teorias se complementem. Considera-se, também, a probabilidade de a Endometriose começar logo após a menarca, para manifestar sintomas apenas por volta dos 30 anos.

Fatores de Riscos da Endometriose

Os principais fatores de risco são:

  • Histórico familiar.
  • Nuliparidade (mulheres que não tiveram filhos).
  • Parto do primeiro filho após os 35 anos.
  • Ciclos menstruais curtos (menores que 27 dias).
  • Baixos índices de massa corporal.
  • Malformações uterinas, como útero bicorno ou didelfo.
  • Ter passado por procedimentos como conização ou cauterização do colo uterino.
  • Ser de raça branca e asiática.Sabe-se que há uma alta prevalência de Endometriose, cerca de 90% das vezes, em mulheres com dor pélvica ou infertilidade.

Como a Endometriose se Manifesta

Sabe-se que há uma alta prevalência, 90% das vezes, em mulheres com dor pélvica ou com problema de infertilidade.

Os exames de imagem mostram lesões avermelhadas, que sangram durante o ciclo menstrual, e que, com isso podem formar aderências, isto é, pontes fibróticas que colam um órgão ao outro. Quando estas pontes de fibras se localizam nos ovários, formam cistos de conteúdo espesso e achocolatado. Se ocorrerem nas trompas, podem causar obstruções e infertilidade.

Endometriose profunda é um termo utilizado para descrever as formas da doença que atingem o intestino, ureteres, bexiga e ligamentos pélvicos.

Endometriose de parede é a formação de nódulos endometrióticos na parede abdominal, geralmente ao redor da cicatriz de cesariana. Quando a paciente menstrua, sente dores na parede abdominal. Existem também casos de Endometriose nos pulmões, porém são muito raros.

Sintomas da Endometriose

Quais seriam, então, os principais sintomas da Endometriose?

  • A queixa mais comum é a de uma cólica menstrual intensa, que aumenta com o passar do tempo.
  • Dor pélvica crônica.
  • Dor durante a relação sexual.
  • Infertilidade causada tanto por aderência quanto por fatores imunológicos.
  • Dor ao urinar, sangue na urina ou obstrução urinária, na Endometriose do trato urinário.
  • Dor e distensão abdominal, diarreia ou prisão de ventre, náuseas e vômitos, na Endometriose intestinal.
  • Fluxo menstrual intenso, com coágulos e cólicas na Endometriose de Parede uterina (adenomiose).

É interessante sabermos que a gravidade da doença nem sempre está relacionada à dor. Pacientes com Endometriose Profunda podem sentir pouca ou nenhuma dor.

Exames para Diagnóstico da Endometriose

O diagnóstico pode ser feito por meio do exame físico e por exames complementares, como:

Ultrassonografia Transvaginal

  • Análise da dosagem de Ca 125 no sangue, que tende a estar aumentada.
  • Ultrassonografia transvaginal, que detecta cistos endometrióticos e a Endometriose uterina.
  • Ultrassonografia transvaginal com preparo intestinal, que permite a detecção, com alta sensibilidade, de focos endometrióticos no retossigmoide, ligamentos, espaço entre o útero e a bexiga, mapeando a extensão da doença.
  • Ressonância Magnética.
  • Laparoscopia, o método considerado padrão ouro para o diagnóstico da Endometriose, que examina e permite a retirada dos focos endometrióticos. Esse procedimento contempla a introdução de uma cânula óptica e pinças cirúrgicas em pequenos cortes feitos no abdômen, sob anestesia.

Tratamento da Endometriose

  • Anticoncepcionais de uso contínuo, que bloqueiam o ciclo menstrual.
  • O DIU de Mirena indicado para tratamento da dor pélvica e das cólicas menstruais.
  • Análogos do GNRH (hormônio liberador de gonadotropina), que produzem uma menopausa medicamentosa. Têm como inconveniente poder causar osteoporose, se utilizados por mais de 6 meses.

A cirurgia está indicada quando os sintomas são graves, incapacitantes ou não atenuam com tratamento medicamentoso. A laparoscopia permite a remoção de aderências e ressecção ou cauterização dos implantes, restaurando a anatomia pélvica.

Assim, podemos concluir que a Endometriose:

  • É uma doença benigna.
  • É considerada uma doença crônica, isto é, sem cura definitiva, mas passível de ser controlada.
  • Tem na ultrassonografia (US) transvaginal o primeiro exame a ser feito.
  • Tem na laparoscopia como o melhor método para diagnóstico e tratamento.
  • Nem sempre leva a paciente à infertilidade. Cerca de 50% das mulheres com Endometriose podem engravidar sem tratamento.

Se você apresenta ou conhece alguém que apresenta os sintomas que mencionei, indique este texto e o vídeo a seguir. Confirme com um ginecologista qual o exame de imagem mais indicado para o caso específico, a fim de se obter um diagnóstico mais preciso.

A Clínica Viver de Imagens Médicas, em Brasília, tem os mais modernos aparelhos de ultrassonografia, além de profissionais experientes e preparados para cuidar de seus exames e da sua saúde. Conseguimos agendar sua consulta e exame até para o mesmo dia.

Acompanhe nossos textos e vídeos para mais informações sobre sua saúde.

Comente, pergunte, participe das nossas discussões. Aguardamos e agradecemos sua participação.

Comentários (0)

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*