Ecografia Transvaginal: tudo sobre este exame ginecológico

Por:
Ecografia Transvaginal: tudo sobre este exame ginecológico
14 de agosto de 2020 Dra. Nubia
Ecografia Transvaginal tudo sobre este exame ginecológico

A ecografia transvaginal ou ultrassom é um exame de imagem gerado a partir do “eco” nos órgãos, produzido pelas ondas sonoras características do procedimento. Por meio da ecografia transvaginal é possível realizar o diagnóstico de diversas doenças ginecológicas como: ovários policísticos, endometriose , miomas , e tumores benignos e malignos .

Além disso, trata-se de um exame muito utilizado tanto para confirmar a gravidez, quanto para checar seus diferentes desenvolvimentos. 

Acompanhe o artigo para descobrir mais sobre o exame. 

 

O que a ecografia transvaginal irá analisar? 

 

A ecografia transvaginal analisa a anatomia dos órgãos reprodutores femininos ovários, útero e colo do útero. Esse exame é baseado na emissão de ondas sonoras a partir de um transdutor que é inserido na cavidade vaginal da mulher. É um exame rápido e indolor .

 

Quando o exame é recomendado? 

Mediante aparecimento de sintomas 

A ecografia transvaginal pode ser recomendada mediante a aparição de sintomas reportados pela própria mulher; a ocorrência dedores no pé da barriga”, sangramentos irregulares, cólicas muito intensas , suspeita de gravidez, dentre outros. 

 

Leia mais:

Quais as doenças que podem causar dor em baixo ventre em mulheres?

Check-up

Esse exame também é utilizado como forma preventiva e é comum que seja requisitado em check-ups. Isso acontece devido ao alto grau de detalhamento que ele pode fornecer, permitindo que condições silenciosas (assintomáticas) sejam diagnosticadas o mais rápido possível. 

 

Leia também:

Que médico procurar para um check-up?

Mulheres na menopausa 

Devido a extensa lista de alterações que ocorrem no corpo decorrentes da diminuição de produção dos hormônios reprodutivos femininos progesterona e estrogênio, a ecografia transvaginal se torna uma grande aliada para garantir que a saúde da mulher esteja em dia. 

 

Leia mais:

Check-up na menopausa: 6 exames que não podem faltar

Principais exames para diagnóstico de câncer ginecológico

 

O exame não só diagnostica uma série de doenças, como também avalia a situação geral dos órgãos reprodutores, auxiliando na avaliação de processos como a reposição hormonal, por exemplo. 

 

Mulheres com DIU 

Recomenda-se que mulheres que tenha um DIU (Dispositivo intrauterino) realizem o exame logo após o procedimento,  e  cerca de seis meses após a colocação para verificar o posicionamento na cavidade uterina. Depois disso, a checagem desse dispositivo não precisa ser tão constante a não ser que se observem sintomas que possam apontar para um possível deslocamento.

 

Mulheres em tratamento de fertilização 

Por meio do procedimento, realizado de dois em dois dias durante o período de estimulação ovariana, o médico poderá analisar a efetividade das medidas tomadas e identificar o melhor momento para a fertilização. 

 

Ecografia transvaginal em gestantes: é recomendado?

Sim; o exame é muito utilizado não só na ginecologia, como também na obstetrícia, sendo o principal exame para acompanhar o desenvolvimento do feto

A Ecografia Obstétrica Transvaginal do 1° Trimestre, por exemplo, é um exame muito importante para a avaliação do embrião em seus primeiros estágios de desenvolvimento. Por meio dele, é possível medir o comprimento do embrião, os batimentos cardíacos fetais, a placenta e o saco gestacional. Neste exame pode ser avaliada a prega ou translucência nucal, cujo espessamento pode indicar aumento de risco para Síndrome de Down e cardiopatias congênitas. 

Saiba mais sobre a Ecografia Obstétrica Transvaginal do 1° Trimestre clicando aqui.

Pelo procedimento também é possível confirmar a gravidez, caso exista a suspeita. 

A ecografia transvaginal pode machucar o bebê? 

Não, pode ficar tranquila! O transdutor não chega até a cavidade uterina, deixando o bebê bem protegido. 

 

Quando o exame não é recomendado? 

As contraindicações do procedimento são muito escassas; ele é um procedimento seguro,  que não apresenta risco de radiação, não costuma ser acompanhado de dor e não irá interferir de forma potencialmente perigosa com nenhum órgão ou a saúde da mulher. 

Porém, por ser um exame de introdução na cavidade vaginal, não costuma ser recomendado para pacientes virgens. 

 

Como é feito o exame? 

Com a paciente deitada em uma cadeira ginecológica, com os joelhos dobrados e pernas abertas, o médico introduzirá o transdutor ou sonda do ultrassom no canal vaginal. Esse aparelho é um tubo, envolto em um preservativo e embebido com lubrificante para facilitar a entrada. 

Com o transdutor bem posicionado, o médico poderá realizar pequenos movimentos para a melhor captação das imagens. Auxiliado de um computador que traduzirá os ecos em imagens, ele realizará a medição dos órgãos reprodutores, bem como de possíveis cistos que possa encontrar para auxiliar no processo de diagnóstico. 

 

Quanto tempo dura? 

O exame é muito rápido, durando, em sua totalidade, entre 15 e 20 minutos para ser realizado. Os resultados também são rápidos e costumam ser entregues no mesmo dia, poucos minutos depois da realização do exame. 

 

Como me preparar? 

A ecografia transvaginal não requer nenhuma preparação prévia, apenas a ida da paciente ao laboratório de imagem. Esse exame também não prevê a administração prévia de nenhum medicamento para a sua realização. 

Geralmente, não se recomenda a ecografia transvaginal durante o período menstrual, a não ser que seja por uma recomendação médica específica. 

 

A ecografia transvaginal dói? 

O procedimento costuma ser indolor, podendo gerar um certo incômodo para algumas mulheres. A ocorrência de dor intensa durante o procedimento é rara e indica a ocorrência de alguma anomalia que deve resultar na interrupção imediata do exame para averiguação das causas. 

 

Quais doenças a ecografia transvaginal poderá diagnosticar? 

Devido ao seu alto nível de detalhamento e capacidade de análise, a ultrassonografia é capaz de detectar a maior parte dos distúrbios ginecológicos que possa acometer a mulher

Podemos destacar: cistos ovarianos , pólipos uterinos,  infecções, gravidez ectópica (gravidez nas trompas), ovários policísticos, endometriose, mioma uterino e câncer do endométrio, que é a camada que reveste o útero internamente. 

Muitas dessas condições podem passar despercebidas no dia a dia por apresentarem sintomas muito leves em seus primeiros estágios, como é o caso do câncer  de endométrio. Por essa razão é essencial que não deixe de fazer parte da bateria de exames anuais (check-up). 

O que achou do artigo? Ficou alguma dúvida? Nós da Clínica Viver queremos te ajudar a estar 100% saudável sempre! 

Para colocar seu check-up em dia ou agendar a sua ecografia transvaginal, clique aqui e conte conosco no seu diagnóstico!