Por Que Analisar os Nódulos da Tireoide?

Por Que Analisar os Nódulos da Tireoide?
14 de setembro de 2018 Dra. Nubia
Avatar
Destaques, Doenças, Exames de Imagem
Nódulos de Tireoide

Nódulos da Tireoide

Esta é a 3ª parte desta série sobre tireoide e suas disfunções e trata dos Nódulos da Tireoide.

Se você ainda não leu a primeira parte, aconselho que a leia primeiro. Clique a seguir para acessar a 1ª parte: HIPOtireoidismo. Conheça Mais Sobre as Disfunções da Tireóide ou a 2ª parte: HIPERtireoidismo. Conheça Mais Sobre as Disfunções da Tireóide.

É preciso monitorar quaisquer nódulos da tireoide, não apenas para tratar o hipotireoidismo ou hipertireoidismo, mas para identificar rapidamente problemas potencialmente mais sérios.

Os nódulos de tireoide são lesões arredondadas, que surgem na glândula tireoide, sendo a grande maioria (em torno de 95%) benigna. Eles podem ser sólidos, císticos (com conteúdo liquido), ou mistos (sólidos e císticos).

Os nódulos são geralmente assintomáticos, isto é, não apresentam sintomas, a não ser nos casos em que são grandes, visíveis ou palpáveis, situação que pode causar dificuldade para se engolir. Quando os nódulos produzem hormônios, isto normalmente denota sintoma de hipertireoidismo.

Assim como são comuns as condições de hipertireoidismo e hipotireoidismo, a presença de nódulos tireoidianos também são ocorrências usuais. Estatísticas dizem que 1 em cada 3 mulheres adultas pode ter nódulos na tiroide, assim como mais da metade das pessoas acima dos 50 anos, independentemente de sexo.

Quais os Tipos de Nódulos da Tireoide?

Resumidamente, podemos citar:

  • Cistos Coloides – são nódulos líquidos e benignos.
  • Adenomas Foliculares – nódulos sólidos, geralmente únicos e benignos.
  • Cistos complexos – nódulos com parte sólida e líquida, que podem ser benignos ou representar a existência de carcinoma.
  • Nódulos Inflamatórios – geralmente originários de processo inflamatório, a tireoidite. São nódulos benignos, também chamados de falsos nódulos.
  • Bócios – é o aumento excessivo da glândula, que pode ser causada por nódulo único ou por múltiplos nódulos. A principal causa de bócio é a deficiência de iodo na dieta. O risco de um nódulo no bócio multinodular de ser maligno é de 7 a 10%.
  • Carcinoma Papilífero – é o tipo de câncer mais comum da tireoide. O Carcinoma Papilífero acomete 3 vezes mais mulheres que homens, e geralmente ocorre nas 3ª ou 4ª décadas da vida. Ele costuma ter crescimento lento e baixo grau de malignidade. Os carcinomas podem aparecer na forma de nódulo sólido ou cístico, com componente sólido. As microcalcificações são as suas características mais marcantes.
  • Carcinoma Folicular – geralmente se apresenta na forma de nódulo sólido. O carcinoma folicular pode ser de baixo grau ou invasivo.
  • Carcinoma Medular – tem um grau de malignidade intermediário e geralmente ocorre nas 5ª ou 6ª décadas de vida. Raramente o carcinoma medular gera metástases a distância, mas há casos onde seu desenvolvimento chega a atingir o fígado e os pulmões.
  • Carcinoma Anaplásico – tem crescimento rápido e é um tumor mais agressivo. Geralmente, o carcinoma Anaplásico tem seu pico de incidência ocorre na 7ª década de vida. Ele costuma causar rouquidão, falta de ar e dificuldade para engolir, pois pode atingir um tamanho grande.
  • Linfoma de Tireoide – é mais comum em pacientes com Doença de Hashimoto e costuma ter um bom prognóstico. O linfoma de tireoide ocorre, geralmente, em mulheres na 6ª década de vida.

 

Exames para Diagnóstico de Nódulos da Tireoide

Os possíveis tratamentos dependem do tipo nódulo(s) encontrado(s). Tudo começa com exames laboratoriais de sangue, para se saber mais dos níveis de TSH, T3 e T4, e, assim, rastrear o desenvolvimento do nódulo.

Os níveis indicarão a necessidade de exames mais aprofundados ou o tratamento mais indicado. Quando o TSH está baixo, isto normalmente indica um nódulo produtor de hormônios, sendo o próximo passo a realização de uma cintilografia de tireoide para confirmar se o nódulo é ativo.

São exames indicados para aprofundamento da análise de nódulos da tireoide:

  • Ultrassonografia da Tireoide
    É um ótimo exame, não invasivo, para detecção e avaliação de nódulos suspeitos. Devemos ter em mente que a grande maioria dos nódulos de tireoide é benigna, e, atualmente, a ultrassonografia nos fornece muitos detalhes para determinarmos a natureza dos nódulos tireoidianos.
    Nódulos sólidos, maiores que 1 cm, hipoecoicos (mais escuros), com margens irregulares, mais altos que largos, e com microcalcificações em seu interior, são considerados suspeitos.O exame de doppler, se mostrar a ocorrência de fluxo sanguíneo no centro do nódulo maior que em volta dele, aumenta a suspeição de malignidade.
  • Punção Aspirativa da Tireoide por Agulha Fina (PAAF)
    É o exame mais efetivo para se determinar a natureza do nódulo tireoidiano.
    A punção de tireoide é indicada no caso de nódulos suspeitos. Ela é realizada no consultório, guiada por ultrassonografia da tireoide, e ocorre de forma rápida e com baixo nível de desconforto.
    Para saber mais, acesse um conteúdo que fizemos especificamente para Punções de Tiroide por agulha fina (PAAF).
  • Cintilografia
    É indicada para avaliar se o nódulo é funcionante (nódulo quente) ou não funcionante (nódulo frio). O paciente recebe uma pequena dose de iodo radioativo, via oral. A partir daí serão realizadas análises da efetiva captação do iodo pela tireoide. Os nódulos frios, que não captam o iodo, indicam maior grau de suspeição.

O resultado dos exames pode classificar os nódulos em 4 categorias:

  • Benigno.
  • Maligno.
  • Suspeito.
  • Não diagnóstico.

Tratamento do Nódulos da Tireoide

O tratamento do nódulo da tireoide depende da sua etiologia (causas) e da categoria do resultado:

  • Os nódulos benignos devem ser apenas monitorados por exames de ultrassonografia, a cada 6 ou 12 meses.
  • Os nódulos que produzem hormônios, apesar de serem geralmente benignos, devem ser retirados ou tratados com iodo radioativo, pois podem causar hipertireoidismo.
  • Para nódulos malignos é indicada a retirada da tireoide por cirurgia, seguida de terapia com iodo radioativo, para destruir células nocivas remanescentes.
  • A cirurgia de retirada da tireoide é também indicada para todos os nódulos malignos na primeira PAAF ou para aqueles que forem suspeitos e tiveram como resultado de nódulo frio na cintilografia.
  • Para resultados de nódulos suspeitos de tireoide ou nódulos de não diagnóstico deve-se prosseguir a pesquisa com outros exames ou procedimentos.

Confirme com um endocrinologista quais os exames laboratoriais e de imagem mais indicados para um diagnóstico preciso do caso específico, e, em caso de necessidade, é aconselhável partir imediatamente para o tratamento.

 

Clínica Viver

A Clínica Viver de Imagens Médicas, em Brasília, tem os mais modernos aparelhos de ultrassonografia, fazemos punções de tireoide e mama, além de biópsias. Temos, também, profissionais experientes e preparados para cuidar de seus exames e da sua saúde.

Ligue para a Viver. Conseguimos agendar sua consulta e/ou exame até para o mesmo dia.

E acompanhe nossos textos e vídeos para mais informações sobre sua saúde.

Comente, pergunte, participe das nossas discussões.

Aguardamos e agradecemos sua participação.

Comentários (0)

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*