Doenças

Por que a menopausa aumenta o risco de doenças cardiovasculares?

Muitas mulheres não sabem, mas a menopausa aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Trata-se de um período em que um acompanhamento com um cardiologista é fundamental.

Segundo um estudo realizado por pesquisadores da Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, as características dos ciclos menstruais no período pré-menopausa podem ser um indicador de problemas futuros relacionados à saúde cardiovascular. 

Ainda segundo a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia, a menopausa pode aumentar a ocorrência de doenças no coração em até duas vezes.

Neste artigo, você vai entender o porque isso acontece, quais são as enfermidades mais comuns e como preveni-las.

Acompanhe!

Por que a menopausa aumenta o risco de doenças cardiovasculares?

Na menopausa, o organismo da mulher reduz a produção de alguns hormônios, como estradiol e progesterona. 

Contudo, é a diminuição dos níveis de estrogênio que causam o maior impacto. 

Isso porque ele influencia a dilatação dos vasos sanguíneos, facilitando a circulação do sangue, além de trabalhar na proteção das artérias, atuando na prevenção de problemas como o infarto.

A queda nos níveis do estradiol também causa dislipidemia, que é o aumento do colesterol ruim (VLDL), responsável pela  formação de placas nas paredes das artérias, e a queda do colesterol bom (HDL), que retira o colesterol do sangue e leva para o fígado.

Além disso, ocorre uma mudança na distribuição da gordura corporal, que passa a se acumular no abdômen – a chamada gordura androide – relacionada ao aumento do risco de diabetes e doenças cardiovasculares. 

Com a diminuição da produção do estrogênio, até mulheres sem fatores de risco para problemas cardíacos podem ter mais chance de vir a ter.

👉 Saiba mais:

Entenda por que a menopausa pode afetar a tireoide.

As doenças cardiovasculares mais comuns nas mulheres após a menopausa

As alterações hormonais que ocorrem durante a menopausa levam a importantes alterações no organismo das mulheres, o que pode levar ao desenvolvimento de doenças cardíacas.

As mais comuns são: 

👉 Veja também:

Você sabia que o infarto pode ter sintomas diferentes em homens e mulheres?

Como minimizar os riscos de doenças cardiovasculares após a menopausa?

Através de hábitos saudáveis de vida, como a prática regular de exercícios físicos e uma alimentação nutritiva e equilibrada

Isso porque o sedentarismo e a má alimentação são fatores que, sabidamente, aumentam os riscos cardiovasculares. A prática de exercícios ajuda a dilatar os vasos (melhorando a circulação), controla a frequência cardíaca, regula a pressão arterial, além de ajudar a reduzir o colesterol ruim (LDL).

Já especificamente no período do climatério/menopausa, é fundamental manter um acompanhamento médico regular – com ginecologista e cardiologista – para que sejam monitoradas as mudanças hormonais dessa fase e como isso se reflete na saúde cardiovascular.

Dessa forma, é possível que sejam adotadas condutas que minimizem os riscos.

Além da menopausa, outros fatores também elevam os riscos cardiovasculares e também devem ser evitados, como:

Veja também: Sintomas e como prevenir a gordura no fígado!

👉 Leia também:

Artrite reumatoide: causas, sintomas e tratamentos modernos!

Saúde cardiovascular pós-menopausa: consultas e exames!

Neste artigo você conheceu por que a menopausa aumenta o risco de doenças cardiovasculares. Viu também a importância de se adotar certos cuidados para minimizar os riscos.

Entre os cuidados mais importantes está o acompanhamento médico, com as consultas e exames regulares.

Nesse sentido, considere a Clínica Viver como sua melhor opção em exames de imagem.

Somos referência em Brasília em exames de imagem e oferecemos a nossos(as) pacientes tecnologia de ponta, em um ambiente confortável e acolhedor.

Se você está em Brasília ou Entorno, faça o pré-agendamento do seu exame, clicando no botão abaixo.

QUERO AGENDAR MEU EXAME NA VIVER

Recomendados