Como é feita a cirurgia de próstata

Quando os problemas de próstata avançam e passam a gerar incômodos ou riscos ao paciente, um procedimento cirúrgico acaba sendo a única solução realmente efetiva.

Com as novas tecnologias – como as cirurgias a laser ou robóticas – esse tipo de tratamento tem se tornado cada vez mais seguro e confortável.

A seguir você vai conhecer como é feita a cirurgia de próstata, quando ela é indicada e quais exames são feitos para essa definição.

Confira!

Quando é indicada a cirurgia de próstata?

Existem várias condições que podem levar o urologista – especialista no tratamento de problemas urinários e da próstata – a indicar a realização de uma cirurgia.

Entre os principais, podemos citar:

Hiperplasia prostática benigna (HPB)

Se um homem apresenta sintomas significativos relacionados a um aumento benigno (não cancerígeno) da próstata, como dificuldade para urinar, fluxo urinário fraco, micção frequente, necessidade urgente de urinar ou retenção urinária, uma cirurgia de próstata pode ser considerada para aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida.

Complicações urinárias

Caso a hiperplasia prostática benigna tenha causado complicações, como infecções do trato urinário recorrentes, formação de pedras na bexiga ou retenção urinária persistente, uma cirurgia de próstata pode ser necessária para resolver essas complicações e prevenir danos adicionais.

Presença de sangue na urina

Homens que apresentam a presença de sangue na urina (hematúria) devido a condições como HPB avançada ou câncer de próstata, também costumam ser candidatos a uma cirurgia para avaliar e tratar a causa relacionada.

Câncer de próstata

Em alguns casos de câncer de próstata – localizado ou avançado – a cirurgia pode ser recomendada como parte do tratamento para remover o tumor e prevenir a disseminação da doença. Geralmente, outras medidas também são tomadas.

Obstrução urinária grave

Se um homem apresenta uma obstrução urinária grave devido a condições como estreitamento uretral (estenose uretral) ou compressão da uretra pela próstata aumentada, uma cirurgia de próstata pode ser necessária para restaurar o fluxo urinário adequado.

Essas são algumas das situações em que a realização de uma cirurgia de próstata pode ser considerada. No entanto, é importante ressaltar que a decisão de realizar uma cirurgia deve ser individualizada e discutida com um urologista, levando em consideração o estado de saúde geral do paciente, a gravidade dos sintomas e os potenciais riscos e benefícios do procedimento.

Quais exames são feitos antes?

Existem diversos exames e avaliações que um médico pode solicitar para avaliar a necessidade de uma cirurgia de próstata. Alguns dos exames mais comuns incluem:

Exame de toque retal

O exame de toque retal permite ao médico avaliar o tamanho, a consistência e a forma da próstata, bem como detectar a presença de anormalidades, como nódulos ou áreas endurecidas. Este exame é uma parte importante da avaliação para problemas de próstata, incluindo câncer de próstata.

Dosagem do antígeno prostático específico (PSA)

O PSA é uma proteína produzida pela próstata, e níveis elevados podem indicar a presença de problemas na próstata, como hiperplasia prostática benigna (HPB) ou câncer de próstata. O PSA é frequentemente utilizado como um marcador para ajudar a determinar a necessidade de realizar outros exames, como biópsia da próstata.

Ultrassonografia transretal

Este exame utiliza ondas sonoras para criar imagens detalhadas da próstata, permitindo ao médico avaliar o tamanho, a forma e a textura da glândula. A ultrassonografia transretal é frequentemente utilizada para guiar a realização de biópsias da próstata.

Exame de urina

Um exame de urina pode ser realizado para detectar a presença de sangue na urina (hematúria) ou sinais de infecção urinária, que podem estar associados a problemas na próstata.

Urofluxometria

Este exame mede o fluxo urinário e pode ajudar a avaliar a presença e a gravidade da obstrução do trato urinário inferior, muitas vezes causada por condições como hiperplasia prostática benigna (HPB).

Exames de imagem

Além da ultrassonografia, outros exames de imagem, como tomografia computadorizada ou ressonância magnética, podem ser realizados para avaliar a extensão de problemas na próstata e guiar o planejamento cirúrgico, especialmente em casos de câncer de próstata.

Estes são alguns dos exames mais comuns utilizados para avaliar a necessidade de uma cirurgia de próstata. O médico poderá solicitar outros exames específicos, dependendo da situação clínica de cada paciente.

Como é feita a cirurgia de próstata?

Existem diferentes procedimentos cirúrgicos para tratar problemas na próstata, cada um com suas indicações específicas. Aqui estão algumas das formas mais comuns de cirurgia de próstata:

Ressecção transuretral da próstata (RTUP)

A RTUP é um procedimento minimamente invasivo, realizado através da uretra, sem a necessidade de incisões externas. 

Durante o procedimento, um instrumento especial, chamado de ressectoscópio, é inserido pela uretra até a próstata. O médico então remove o tecido prostático excessivo que está causando obstrução no fluxo urinário. 

A RTUP é frequentemente utilizada para tratar a hiperplasia prostática benigna (HPB).

Prostatectomia aberta

A prostatectomia aberta é uma cirurgia mais invasiva, que envolve a remoção de parte ou de toda a próstata através de uma incisão na região abdominal. 

Este procedimento é geralmente reservado para casos de próstatas muito grandes ou quando há complicações associadas à cirurgia transuretral.

No câncer de próstata,  além de se retirar a próstata,  são removidas as vesículas seminais e os gânglios linfáticos infiltrados.

Laserterapia

Existem várias técnicas de laserterapia que podem ser utilizadas para tratar problemas na próstata. Estas incluem a vaporização da próstata com laser (vaporização fotosseletiva da próstata – PVP), a enucleação da próstata com laser (enucleação da próstata com laser – HoLEP) e a ablação da próstata com laser (ablação da próstata com laser – TULSA-PRO).

Estes procedimentos utilizam energia laser para destruir o tecido prostático excessivo e aliviar os sintomas urinários.

Implante de stents

Em alguns casos de obstrução uretral devido a um estreitamento ou compressão da uretra pela próstata, pode ser realizado o implante de um stent uretral para manter a passagem da urina aberta.

Cirurgia laparoscópica da próstata  

Nesse caso, são feitos pequenos cortes, de 1 cm a 3 cm, na parede do abdome, por onde são introduzidos os instrumentos cirúrgicos e a câmera. Com esses instrumentos, o urologista pode realizar a retirada parcial ou total da próstata.

A cirurgia laparoscópica permite um menor sangramento, menor tempo de hospitalização e recuperação mais rápida.

Cirurgia robótica

A cirurgia robótica pode ser utilizada para realizar prostatectomias com precisão e controle melhorados. Neste procedimento, o cirurgião controla um sistema robótico, que auxilia na remoção da próstata. A cirurgia robótica é frequentemente utilizada para tratar o câncer de próstata. É o método mais avançado de que dispomos atualmente,  permitindo uma visualização melhor da pelve e movimentos cirúrgicos mais amplos . Assim como na laparoscopia , a recuperação do paciente é mais rápida. 

Cada um desses procedimentos tem suas próprias vantagens e limitações, e a escolha do melhor método dependerá das características específicas do paciente, da gravidade do problema prostático e das preferências do médico. 

É importante discutir as opções de tratamento com um urologista para determinar a melhor abordagem para cada caso individual.

————————————–

Caso você esteja em Brasília ou Entorno e tenha exames de imagem solicitados, considere a Clínica Viver como sua melhor opção. 

Somos referência no Distrito Federal e contamos com uma estrutura moderna, além de profissionais experientes e atenciosos para te dar o melhor atendimento.

Quero agendar meus exames na Viver

Recomendados