Cálculos ureterais: diagnósticos e tratamentos!

Relatados pelas pessoas que já tiveram como “uma das piores dores que uma pessoa pode sentir”, os cálculos ureterais são o tipo de condição que pode ser extremamente limitante e incômoda.

Como não há formas definitivas de evitar o problema, conhecer mais do assunto, suas possíveis causas, diagnósticos e tratamentos é algo importante para todos.

Neste artigo vamos te explicar o que são os cálculos ureterais, como surgem, diagnósticos e tratamentos.

Acompanhe!

.

Cálculos ureterais: o que são e por que se formam?

Cálculos ureterais – também conhecidos como cálculos urinários ou pedras nos rins – são depósitos sólidos que se formam nos rins e podem se deslocar para o trato urinário, incluindo os ureteres, os tubos que conectam os rins à bexiga. 

Quando isso acontece, recebem o nome de cálculos ureterais.

Quando uma pedra se move dos rins para os ureteres, ela pode ficar presa e obstruir parcial ou completamente o fluxo de urina. Isso pode resultar em:

✅ Sintomas dolorosos e desconfortáveis, como dor nas costas e dor abdominal;

✅ Dor ao urinar;

✅ Hematúria (sangue na urina);

✅ Dificuldade para esvaziar a bexiga.

✅ Necessidade frequente de urinar.

Essas pedras são compostas por minerais e sais, que se acumulam na urina devido a várias razões, como desidratação, dieta inadequada, predisposição genética e outros fatores.

Os cálculos ureterais podem variar em tamanho, desde pequenos cristais quase microscópicos até pedras maiores, que podem causar obstruções no trato urinário. 

.

Quais os  riscos dos cálculos urinários?

Os cálculos ureterais podem trazer vários riscos e complicações, quando não são tratados ou quando causam obstruções significativas no trato urinário. Alguns dos principais riscos associados aos cálculos ureterais incluem:

Dor Intensa

Quando uma pedra está se movendo pelo ureter ou causa obstrução, pode causar dor intensa nas costas, abdômen ou região pélvica, que se irradia para os testículos ou grandes lábios vaginais.Essa dor é frequentemente descrita, pelas pessoas que já tiveram esse tipo de problema, como “uma das piores dores que uma pessoa pode sentir”.

.

Infecção urinária

A obstrução causada pelas pedras pode dificultar o esvaziamento adequado da bexiga, tornando o trato urinário mais suscetível a infecções do trato urinário (ITUs).

.

Danos aos rins

Se uma pedra bloqueia completamente o fluxo de urina de um rim, isso pode causar pressão crescente no órgão e eventualmente levar a danos nesses órgãos.

.

Hematúria

As pedras podem causar pequenos danos aos revestimentos internos do trato urinário, levando à presença de sangue na urina (hematúria).

.

Dificuldade no fluxo urinário

Pedras menores podem passar pelo trato urinário por conta própria, mas pedras maiores podem obstruir completamente o ureter, tornando impossível urinar.

.

Insuficiência renal aguda

Em casos graves de obstrução bilateral (ambos os ureteres), a função renal pode ficar comprometida, resultando em insuficiência renal aguda.

.

Recorrência

Pessoas que já tiveram cálculos ureterais têm um risco aumentado de desenvolver pedras novamente no futuro.

.

Complicações cirúrgicas

Em casos em que o tratamento cirúrgico é necessário, pode haver riscos associados à cirurgia, como infecções, sangramentos ou lesões dos órgãos circundantes.

.

Impacto na qualidade de vida

A dor e o desconforto causados pelos cálculos ureterais podem afetar significativamente a qualidade de vida do paciente.

É importante notar que nem todas as pedras ureterais causarão complicações ou sintomas graves. Muitas pedras são pequenas o suficiente para passar naturalmente pelo trato urinário sem causar obstruções ou sintomas severos. 

No entanto, qualquer pessoa que experimente sintomas de cálculos ureterais, como dor abdominal intensa ou sangue na urina, deve procurar atendimento médico o quanto antes para avaliação e tratamento adequados, a fim de evitar possíveis complicações e riscos à saúde.

.

Como é feito o diagnóstico 

O diagnóstico de cálculos ureterais envolve uma série de procedimentos e exames, que ajudam os profissionais de saúde – em geral urologistas – a confirmar a presença das pedras, determinar o tamanho, a localização e avaliar os danos que elas podem causar. 

A seguir, listamos os principais métodos usados para diagnosticar cálculos ureterais.

1. Exame clínico

O médico realizará um histórico médico detalhado e fará perguntas sobre os sintomas do paciente, como dor abdominal, dor lombar, sangue na urina e outros sintomas relacionados às pedras.

Além disso, é comum que o médico pressione suavemente a área abdominal ou lombar – ou dê leves batidas nessas regiões – para verificar a presença de dor ou sensibilidade.

A natureza e a localização da dor relatada pelo paciente podem fornecer pistas importantes para o diagnóstico.

.

2. Exames de imagem

Exames de imagem são frequentemente usados para detectar e localizar pedras nos rins e ureteres. Os principais exames incluem:

Ultrassonografia: A ultrassonografia ou ecografia é um dos exames mais solicitados pelos médicos para avaliar esse tipo de condição, sendo indicada a ecografia de rins e vias urinárias, que avalia todo o trato urinário do(a) paciente e ajuda na detecção de pedras, além de investigar possíveis alterações anatômicas que favoreçam esse tipo de problema.

Tomografia computadorizada (TC): A TC é um dos métodos mais precisos para identificar cálculos ureterais. Ela cria imagens detalhadas do trato urinário e pode determinar o tamanho e a localização das pedras.

Radiografia: A radiografia simples do abdômen , pode ajudar a identificar pedras radiopacas (que aparecem na radiografia) nos rins e ureteres.

Urografia excretora: Esse é um exame de raios-X especial,, que envolve a administração de um contraste por via intravenosa para visualizar o trato urinário e identificar obstruções causadas por pedras.

.

3. Análise de urina

A análise laboratorial de uma amostra de urina pode identificar a presença de sangue na urina (hematúria) e determinar se há infecção do trato urinário, o que pode estar relacionado às pedras.

.

4. Exames de sangue

Os exames de sangue, como dosagem de creatinina e ureia, podem avaliar a função renal e determinar se os rins estão afetados pela presença das pedras.

O diagnóstico de cálculos ureterais é fundamental para determinar o tratamento adequado. Com base nos resultados dos exames, o médico pode decidir se é necessário tratamento imediato, como a remoção da pedra, ou se o paciente pode ser monitorado para ver se a pedra passará por conta própria.

Quais os melhores tratamentos para cálculos ureterais 

O tratamento dos cálculos urinários depende de vários fatores, incluindo o tamanho e a localização da pedra, a gravidade dos sintomas e a saúde geral do paciente. Existem diferentes abordagens para o tratamento de cálculos ureterais, e o médico selecionará a opção mais adequada para cada caso. 

Aqui estão os principais tratamentos:

Observação e hidratação

Muitos cálculos ureterais pequenos podem passar naturalmente pelo trato urinário, sem a necessidade de intervenção médica. O médico pode recomendar hidratação adequada e analgésicos para aliviar a dor enquanto a pedra é expelida. 

Durante esse período, o paciente é monitorado para garantir que a pedra seja eliminada.

.

Litotripsia extracorpórea por ondas de choque (LEOC)

 A LEOC é um procedimento não invasivo no qual ondas de choque são direcionadas para a pedra, fragmentando-a em pedaços menores que podem ser eliminados pela urina. Essa abordagem é adequada para cálculos de tamanho médio.

.

Ureteroscopia

A ureteroscopia é um procedimento endoscópico no qual um tubo fino e flexível (ureteroscópio) é inserido no ureter para visualizar e remover a pedra. É uma opção eficaz para pedras maiores ou que não podem ser tratadas com LEOC.

.

Cirurgia treteral

Em casos raros, pedras muito grandes ou pedras que não podem ser tratadas com outros métodos podem exigir cirurgia para remoção. A cirurgia pode envolver a incisão do ureter (ureterotomia) para acessar e retirar a pedra.

.

Stent ureteral

Às vezes, um stent ureteral (um tubo flexível) é colocado temporariamente no ureter para aliviar a obstrução causada pela pedra e permitir o fluxo de urina. Isso é frequentemente feito antes de outros procedimentos para evitar complicações.

.

Tratamento médico

Em casos de infecção do trato urinário ou dor intensa, o médico pode prescrever antibióticos para tratar a infecção e analgésicos para aliviar a dor.

A escolha do tratamento depende da avaliação clínica individual e da situação do paciente. É importante discutir com o médico as opções disponíveis, os riscos e benefícios de cada tratamento, além do plano adequado para o caso específico. 

Em geral, a grande maioria das pedras ureterais pode ser tratada de forma eficaz com procedimentos minimamente invasivos ou observação cuidadosa.

————————————–

Se você está em Brasília ou Entorno, considere a Clínica Viver como sua melhor opção. Basta clicar no link abaixo para falar com nossa equipe pelo WhatsApp.

Quero agendar meus exames na Viver

Recomendados